‘Mão de Deus’ protege Israel quando o sistema falha, segundo operador do Domo de Ferro

O sistema de defesa de mísseis de Israel, Iron Dome, tem sido uma parte importante na segurança da nação. Mas o baixo número de vítimas é encarado como favor de Deus.

O sistema de defesa de mísseis de Israel bloqueou 86% dos mísseis lançados pelo Hamas no início do mês, segundo dados do Exército israelense.

Entre os 690 mísseis disparados por terroristas palestinos contra Israel, 410 atingiram áreas desabitadas. Outros 279 foguetes foram acionados pelo Iron Dome (Domo de Ferro, em tradução livre). Destes, 240 (86%) foram interceptados com sucesso.

Outros 39 mísseis, cerca de 14%, conseguiram atingir Israel e causaram quatro mortes, segundo as Forças de Defesa de Israel.

O complexo o sistema do Domo de Ferro não é 100% eficaz e não consegue interceptar todo foguete disparado por militantes palestinos. Sendo assim, o contraste entre o alto número de foguetes lançados e o baixo número de vítimas tem sido encarado como favor de Deus sobre a nação de Israel.

Foi o que confirmou um operador do Domo de Ferro ao site Israel Today. O homem, que não foi identificado, relata que viu a bateria do sistema falhar três vezes para derrubar um míssil que seguia em direção a Tel Aviv, em 2014.

“Um míssil foi disparado de Gaza. O Domo de Ferro calculou precisamente [sua trajetória]. Sabemos onde esses mísseis irão pousar em um raio de 200 metros. Esse míssil em particular ia atingir os prédios do Azrieli Center, a Kirya Tower ou uma estação ferroviária central de Tel Aviv. Centenas poderiam ter morrido”, disse o operador.

“Nós disparamos o primeiro [interceptador]. Ele errou. Disparamos o segundo. Ele errou. Isso é muito raro. Eu estava em choque. Neste momento tínhamos apenas quatro segundos até o míssil pousar. Nós já havíamos notificado os serviços de emergência e avisamos sobre um incidente em massa”, acrescentou.

“De repente, o Domo de Ferro mostrou um grande vento vindo do leste, um forte vento que enviou o míssil para o mar. Ficamos todos atordoados. Eu me levantei e gritei: ‘Existe um Deus!’”, ele relatou.

“Eu testemunhei esse milagre com meus próprios olhos. Não foi contado ou relatado para mim. Eu vi a mão de Deus mandar esse míssil para o mar”, ele destaca.

Na mesma semana do ataque contra Israel, o coronel Ofer Winter, comandante da Brigada de Infantaria Givati, descreveu um nevoeiro misterioso que cobriu favoravelmente a ele e suas tropas enquanto avançavam em uma posição inimiga na luz da manhã, após o ataque noturno ser adiado.

O Coronel Winter rotulou a cobertura como “nuvens de glória”.

 

DEUS PROTEGE ISRAEL

INCRÍVEL, Mísseis do Hamás lançados sobre Jerusalém, retornam em pleno ar e cai sobre os Palestino.DIVULGUE ESSE VÍDEO PARA QUE TODOS SAIBAM QUE YAHWEH AMA E PROTEGE ISRAEL.

Posted by Pastor Daniel Vieira on Tuesday, May 14, 2019

Ex-oficial da Coreia do Norte se converte em presídio após ser preso por “deslealdade”

A Coreia do Norte ocupa o posto número um na lista de países que mais perseguem os cristãos no planeta, segundo a organização Portas Abertas. Essa é uma realidade que um ex-oficial do regime comunista do país, chamado Kim Yong-Hwa, conhece muito bem.

Kim foi acusado de “deslealdade” após um acidente locomotivo em 1988. Uma trem militar que estava sob a sua responsabilidade descarrilhou, porém, devido às condições precárias da ferrovia. No entanto, as autoridades acusaram o então oficial do Exército Popular da Coreia do Norte de “deslealdade”.

Este episódio afetou profundamente Kim, pois ele literalmente adorava o líder norte-coreano da época, o ditador Kim Il-Sung. “Eu até morreria por ele. Isso seria felicidade e alegria. Já que não havia Jesus naquela nação oficialmente, então ele era maior do que Jesus naquela época para mim”, lembra ele.

Kim foi condenado pelo regime da Coreia do Norte à prisão. Isso lhe fez querer se suicidar. Ele pensou em ir para a China e atirar em si mesmo, em um local isolado, para que ninguém achasse o seu corpo, já que a descoberta de suicídio seria outro motivo de acusação, dessa vez por “traição”, o que acarretaria perseguição aos seus familiares.

Kim não conseguiu escapar da prisão e felizmente foi isso o que lhe permitiu conhecer o Evangelho, ao ser transferido para um presídio no Vietnã. Ele contou que teve acesso à Bíblia através de outro detento.

“Ele estava me dando a Bíblia e eu estava lendo. Embora eu estivesse sempre sozinho, agora eu podia pelo menos me comunicar verbalmente, murmurar para alguém. Eu estava pedindo a Deus para me salvar. Por alguns anos, eu não tinha realmente falado, mas aquela conversa [ajudou]. Na verdade, eu amaldiçoei muito a Deus durante esse tempo. Eu também estava gritando por ajuda”, lembra.

Finalmente, ao sair da prisão Kim já havia criado intimidade com Deus e com a Bíblia. Ele se tornou evangélico e fundou a Associação de Direitos Humanos dos Refugiados Norte-Coreanos, onde auxilia pessoas com histórias parecidas com a sua, segundo o Christian Post.

Em carta, jovem ex-muçulmano narra encontro com Jesus: “Descobri a verdade”

O testemunho de conversão de um jovem muçulmano que vive na Turquia foi enviado por carta à emissora cristã SAT-7 – que se dedica a veicular programas evangelísticos em países onde há intensa dificuldade de pregação do Evangelho – expondo a importância do trabalho missionário nessas regiões.

A carta do jovem Omar (nome alterado por razões de segurança) foi compartilhada pelo portal God Reports, dos Estados Unidos, com o relato em primeira pessoa das experiências vividas pelo jovem criado numa família muçulmana que entregou sua vida a Jesus.

Confira a íntegra:

Eu sou da Turquia e não vim de uma base cristã. Desde cedo comecei a investigar diferentes religiões. Eu me lembro quando meu pai me levou para passear. Por alguma razão, ele me levou a uma igreja… não sei por quê. Quando entramos, senti que havia entrado em um mundo diferente. Eu estava cheio de paz. Olhando para trás, foi o Espírito Santo. Fiquei em conflito, confuso e comecei a orar: ‘Deus, guia-me para a verdade’.

Era véspera de Natal. Eu tinha 12 anos e, na minha busca, estava lendo uma Bíblia. De repente, senti que Jesus Cristo estava diante de mim. Eu não conseguia entender o que estava acontecendo. Instantaneamente, caí de joelhos e disse: ‘Jesus Cristo, eu acredito em você’. Imediatamente, soube que havia encontrado verdade e propósito para minha vida. 

Mas contar à minha família resultaria em graves conseqüências. Foi o momento mais difícil da minha vida. Eu perguntei a Deus o que Ele queria que eu fizesse, se eu dissesse aos meus pais.

Eu orei: ‘Se Tu queres que eu diga aos meus pais, eles devem vir até mim e perguntar sobre o cristianismo’. Cinco minutos depois, minha mãe entrou no meu quarto e viu uma cruz pendurada no meu pescoço. ‘O que é isso? Você se tornou um cristão?!’. Eu disse a ela que tinha [entregado a vida a Jesus]. 

Ela começou a chorar. Era como se eu tivesse cometido assassinato. Meus pais começaram a me pressionar com espancamentos e [tentavam] me fazer retratar. Por dois anos, eles só me deixaram sair de casa para ir à escola, para me impedir de ir à igreja. Eu lhes trouxe vergonha.

Finalmente encontrei a oportunidade de sair de casa e visitar uma igreja. Eu estava com tanta fome para aprender mais. Um homem na igreja me viu olhando por cima do livreiro e me deu vários livros. Eu os levei para casa e estudei em segredo, sempre escondendo-os dos meus pais. Eventualmente, eu cresci e saí de casa. Meus pais ainda estão em negação, mas eu descobri a verdade.

 

O MAIS IMPORTANTE 04/06

O MAIS IMPORTANTE

Texto: Lucas 10:38-42 (ORE ANTES DE MINISTRAR).

Introdução: a critério do líder.

1°) É ter Jesus no centro da nossa vida: Lc. 10:38-42;

2°) É permanecer na casa do Pai eternamente. Lc. 15:11-14; Sl. 122:1;

3°) É ocupar a nossa mente com tudo o que é bom e confiar no Senhor: Fp. 4:4-8;

4°) É viver todos os dias no Espírito Santo e não na carne: Gl.5:16-22;

5°) É nunca perder Jesus no caminho, ou seja, na caminhada cristã: Lc.2:41-52;

6°) É fortalecer-se no Senhor: Ne. 8:10, Ef. 6:10;

7°) É entregar o nosso caminho ao Senhor e confiar nEle: Sl. 37:4,5; Sl. 46:10;

8°) É viver na dimensão Espiritual todos os dias: Is. 55:10-11;

9°) É testemunhar corretamente, sempre olhando para Jesus: Hb. 12:1-2;

10°) É reconhecer Jesus pelas suas marcas: Lc. 24:13-32.

Conclusão: a critério do líder

EDIFICANDO A NOSSA VIDA NO AMOR – PARTE II 03/06

EDIFICANDO A NOSSA VIDA NO AMOR – PARTE II

Texto: 1 Coríntios 8:1 (ORE ANTES DE MINISTRAR).

Introdução: Comece perguntando aos discípulos como foi a semana. Se cada um sentiu o amor de Deus sendo ministrado em seus corações.

4°) Não podemos atirar pedras nas pessoas: Jo. 8:1-11: • Cuidado com os que usam a Bíblia para condenar: Jo. 8:1-5; • Jesus conhece profundamente os nossos corações: Jo. 8:6; • Só poderão atirar pedras quem não possui pecados: Jo. 8:7.

5°) Não podemos escandalizar pessoas: Jo. 13:34-35: • Jesus é o nosso maior exemplo: Jo. 13:34, Jo. 15:12-13; • É no amar que somos conhecidos como discípulos: Jo. 13:35.

6°) Não podemos viver de fingimento: Rm. 12:9-21: • Aborrecer ao mal, apegar-se ao bem: Rm. 12:9; • Amor cordial; a honra: Rm. 12:10; • Sobriedade, serviço, alegria, paciência, perseverança, cuidado, socorro, hospitalidade, abençoar, alegrar-se, chorar junto, ser unânime, humildade, simplicidade, não se vingar, procurar o certo: Rm. 12:11-16; • Fazer de tudo para ter paz com todos: Rm. 12:18; • Entregar nas mãos do Pai: Rm. 12:19; • Servir até mesmo “o inimigo” (pessoas que não te ama, não te suporta, te odeia, só fala mal de você): Rm. 12:20; • Vencer o mal com o bem: Rm. 12:21.

Conclusão: nossa luta não e contra o meu irmão (ã), mas sim contra as trevas Ef. 6:10-18, Rm. 13:8.

EDIFICANDO A NOSSA VIDA NO AMOR – PARTE I 02/06

EDIFICANDO A NOSSA VIDA NO AMOR – PARTE I

Texto: 1 Coríntios 8:1 (ORE ANTES DE MINISTRAR).

Introdução: todas as coisas que recebemos no dia a dia nos incham, e fazem com que pareça que estamos abastecidos. Mas tudo se acaba, e o amor é a única coisa que permanece em nós e nos edifica. Se não tivermos amor não seremos nada.

1) Não podemos chegar diante do altar estando em pecados: Mt. 5:23-26, Is. 59:1-2: • Lembrar do que o irmão tem contra mim: Mt. 5:23; • Reconcilia-te com irmão: Mt. 5:24; • No caminho com o adversário: Mt. 5:25; • Quando somos entregues ao guarda da prisão: Mt. 5:25; • Liberdade só depois de tudo acertado: Mt. 5:26.

2) Não podemos viver com as nossas atitudes, mas com as de Cristo: Mt. 5:38-45: • Nada de olho por olho: Mt. 5:38-45; • Entregar a outra face: Mt. 5:39; • Entregar a capa também: Mt. 5:40; • Caminhar a 2° milha: Mt. 5:41; • Amar o inimigo e orar pelos que perseguem: Mt. 5:43-44.

3) Não podemos ignorar os 2 maiores mandamentos: Mt. 22:36-40; • Praticar o 1° grande mandamento: Mt. 22:37-38; • Praticar o 2° grande mandamento: Mt. 22:39; • Tudo depende destes 02 mandamentos: Mt. 22:40.

CONCLUSÃO: Continua na próxima semana. Ore e peça a Deus para que o AMOR dEle seja derramado durante a semana sobre seus discípulos.

UMA ALIANÇA É ETERNA 01/06

UMA ALIANÇA É ETERNA

Texto: 2 Timóteo 4:6-11 (ORE ANTES DE MINISTRAR).

Introdução: quem você é para o seu discipulador? (Demas ou Lucas ?). Aquele que vai embora ou aquele que fica e enfrenta a batalha.

1°) Aquele que não está em aliança, desampara; 2Tm. 4:9: • Não deixe que o mundo faça você quebrar alianças. 1Jo. 2:15; • Não deixe que o dinheiro faça você quebrar aliança. 1Tm. 6:10.

2°) Aquele que está em aliança não desampara. 2Tm. 4:11: • Aliança de Rute com Noemi. Rt. 1:14-17; • Aliança de Jônatas com Davi. 1Sm. 18:3 e 4 ; 1Sm. 20:16.

3°) Deus é fiel em sua aliança, por isso devemos ser fiéis a nossa: • Aliança de Deus com Noé: Gn. 9:14,15; • A aliança de Deus com Abrão, que posteriormente se chamou Abraão: Gn. 15:17,18, 17:3-7.

Conclusão: quando aceitamos Jesus, estabelecemos uma aliança com Ele. Jesus tem sido fiel, mas nós muitas vezes queremos voltar atrás. Aliança é algo inquebrável, devemos perseverar até o fim como Paulo em 2Tm.4:7

“Dos perseguidos é Reino dos céus”, diz pastor durante julgamento na China

Durante seu julgamento em um tribunal de Hong Kong, na China, o pastor Chu Yiu-ming, 75 anos, líder da Igreja Batista Chai Wan, fez uma declaração de fé enquanto era condenado por supostamente ter se envolvido com movimentos pró-democracia.

“Durante décadas, tenho pregado inúmeros sermões. Mas a mensagem que levou mais tempo de preparação e oração, e que provavelmente alcançará o maior público, é precisamente essa que está sendo entregue no banco dos réus”, disse ele.

Para o religioso, ser condenado vítima de perseguição religiosa é o cumprimento de sua missão. “Eu fui chamado como um servo do Senhor, em imitação de Cristo. Seguindo Seus passos, cumprindo Sua missão, fazendo conhecidas Suas preocupações pelo mundo. Sem medo da pressão política ou como os outros veem seu trabalho”.

É por isso que ele não se arrepende e nem guarda ressentimentos de seus algozes. “Nas palavras de Jesus, ‘felizes são os perseguidos por fazerem a vontade de Deus; o Reino dos céus pertence a eles! (Mateus 5:10)”, declarou ele durante o julgamento que aconteceu no último dia 9 de abril

Em 2013, Chu, juntamente com os estudiosos Benny Tai e Chan Kin-man, fundaram o Occupy Central with Love and Peace (“Ocupe a Central com Amor e Paz”, em tradução livre). O principal objetivo do movimento era promover a democracia através de manifestações pacíficas.

Por conta disto, o trio foi acusado e condenado por “cometer incômodos públicos”. Durante o julgamento na última semana,  cerca de 200 cristãos se reuniram para um culto na igreja Kowloon Union, onde Chu e os outros ativistas anunciaram pela primeira vez a campanha Occupy Central. Segundo o site Evangelical Focus, fora do tribunal, partidários seguravam guarda-chuvas como forma de protesto.

Se condenado, o pastor pode pegar até sete anos de prisão. Seu caso foi classificado como “m golpe esmagador contra a liberdade de expressão e protesto pacífico em Hong Kong” pela Anistia Internacional.

Filme cristão leva quase 100 funcionários a deixarem seus empregos em clínicas de aborto

Chuck Konzelman, diretor do filme pró-vida “Unplanned”, da Pure Flix, revelou ao Congresso Nacional dos EUA nesta semana que quase 100 trabalhadores de clínicas de aborto decidiram deixar seus empregos depois de assistirem à produção.

Durante seu depoimento ao Subcomitê da Constituição do Comitê Judiciário do Senado, Konzelman disse que 94 trabalhadores de clínicas abordaram a organização sem fins lucrativos Abby Johnson, da ex-diretora da Planned Parenthood, e ‘Then There Were None’, de acordo com a agência de comunicação ‘Pure Flix Insider’.

“1% dos trabalhadores de clínicas de aborto nos Estados Unidos, depois de ver um deles ser retratado no filme”, ​ disse ele, “decidiram mudar suas vidas… e o que eles fazem para viver”.

O cineasta da Pure Flix estava no Capitólio para falar em um painel sobre a suposta censura do Twitter sobre o filme “Unplanned”. Nos dias de lançamento do longa, no final do mês de março, a plataforma de mídia social suspendeu temporariamente a conta promocional do filme.

O filme “Unplanned” narra a carreira de oito anos da médica Abby Johnson na Planned Parenthood e sua conversão ao Evangelho e também ao movimento pró-vida, depois que ela assistiu a um médico realizar um aborto via ultrassom.

Ashley Bratcher, a atriz que interpreta Johnson no filme cristão, twittou na quinta-feira que ela recebe mensagens “todos os dias” de pessoas cujas vidas — e mentes — foram transformadas depois de ver “Unplanned”.

O filme superou as expectativas de bilheteria já no fim de semana de abertura, arrecadando US $ 6,1 milhões — mais que dobrando os lucros previstos.

Em uma entrevista no início deste ano para o site cristão ‘Faithwire’, Konzelman disse que o filme foi feito “para tempos como este”, observando a série de projetos pró-aborto que passaram pelas casas legislativas nos EUA nos últimos meses.

“Não poderíamos prever os rápidos desenvolvimentos que de repente estão chegando ao auge”, disse ele, “mas servimos a um Deus que pode e fez isso”.

 

“Não temos mais uma cultura de discipulado em nossas igrejas”, alerta pastor

Confirmado como um dos preletores do Encontro Sepal 2019, que será realizado entre os dias 6 e 10 de maio, o pastor David Kornfield concedeu uma entrevista para a organização, intitulada “Igreja e Discipulado”, onde o mesmo fez sérios alertas para às igrejas evangélicas da atualidade.

“A única pessoa que pode fazer discípulos é aquela que é discípulo. É impossível reproduzir o que não somos. Muitos dos que supõem ser discipuladores não o são porque não são discípulos”, disse o pastor, que é doutor em Educação pela Universidade de Chicago e missionário da Sepal (OC Internacional).

David focou na importância do discipulado como uma ferramenta de aprendizado e amadurecimento para o cristão, especialmente os pastores que, segundo ele, desprezam tal necessidade por, provavelmente, julgarem que já são autossuficientes e seguros na fé.

“A maioria dos pastores nunca aprende a ser discípulos, muito menos discipuladores. Se eles não o são, não há muita esperança para suas igrejas”, explica David.

“Por isso acredito tão firmemente no valor indispensável do discipulado e pastoreio de pastores. Acredito de forma profunda que pastores e discipuladores saudáveis são a maior chave para uma igreja ser saudável e também discipuladora”, destaca.

David utilizou a parábola dos talentos para ensinar que cada convertido deve ser discipulado, do contrário estará abandonado à própria sorte, sem o devido cuidado pastoral. Para isso, no entanto, os pastores precisam dedicar suas vidas ao ministério, tendo o Reino de Deus como o maior foco de suas vidas.

“Todo verdadeiro discípulo se torna discipulador, reproduzindo discípulos. Se não temos uma igreja de discípulos é porque o pastor não é discipulador”, disse ele.

“Hoje, os pastores estão ocupados com tudo e qualquer coisa menos com a missão de fazer discípulos. Jesus vivia uma vida simples, não fazendo quase nada das muitas atividades dos pastores de nossos dias, para poder dedicar-se ao discipulado”, completa.

Finalmente, David contraria a ideia de que um título de liderança pode ser algo mais importante do que saber discipular. O pastor enfatiza o cuidado como principal característica de um verdadeiro pastor, algo vivenciado pelos discípulos de Jesus Cristo.

“Para o Senhor, o discipulado focava a liderança principal da igreja. Focava os pastores e apóstolos que ele estava formando”, diz ele, segundo informações da Sepal.

“É impressionante que, em meio à formação de seus discípulos, Jesus os enviou como mensageiros, como apóstolos. Mas apenas ao final de seu ministério os enviou como discipuladores. Em certo sentido, o chamado a ser discipulador é maior do que o chamado a ser apóstolo”, conclui.

 

Alunos que oravam no pátio escapam ilesos após desabamento de escola

Um grupo de alunos escapou da morte quando o teto de uma escola desabou em Fortaleza (CE). Eles haviam se reunido no pátio para uma oração quando ocorreu o incidente.

Cerca de 90 alunos estavam reunidos no grupo de oração semanal, realizado na Escola Estadual de Educação Profissional Maria Ângela da Silveira Borges, localizada no bairro Vicente Pinzón, na capital cearense.

O caso, registrado na última sexta-feira, 29 de março, está sendo tratado pelos sobreviventes como um verdadeiro livramento. “A gente já ia encerrar, mas a nossa equipe entrou na conclusão para colocar mais um louvor. Tinham pessoas que nunca foram para célula e entraram quase no final. Foi aí que veio o ocorrido”, contou o estudante Douglas Sousa.

“O nosso intuito é de levar o nome do Senhor para as escolas, e falar que Deus cuida de cada detalhe em nossas vidas. Eu estava falando sobre a atitude e que Deus cuidava de cada detalhe em nossas vidas”, acrescentou o aluno, de acordo com informações do portal Tribuna do Ceará.

Agora, as investigações sobre o que causou a ruptura do teto do edifício estão sendo realizadas por um grupo de engenheiros da Secretaria da Educação, do Departamento de Arquitetura e Engenharia (DAE) e da empresa responsável pela construção da escola, que permanecerá interditada até obter o conhecimento do laudo.

“A Secretaria se coloca à disposição das famílias de todos os alunos e interditou a escola até ter conhecimento do laudo”, diz uma nota oficial divulgada logo após o incidente.

 

Jovem é curado de grave lesão no cérebro e médicos dizem que foi obra de Deus

O testemunho de fé de Cole Burton é mais que desafia à ciência. Após sofrer um grave acidente, ele sofreu uma lesão no cérebro que, segundo os médicos, deveria ter lhe deixado em estado vegetativo pelo resto da vida. No entanto, algo surpreendente aconteceu.

Burton é um militar de 21 anos, estudante de geologia na Universidade de Auburn, Estados Unidos. Sua vida mudou repentinamente quando ele estava com outros amigos examinando rochas ao longo de uma estrada.

Um carro dirigido por um motorista embriagado atropelou Burton e um dos seus amigos, Nick Hood, que morreu pouco tempo depois, segundo informações da emissora americana Fox News.

Levado para o hospital, Burton foi diagnosticado com uma grave lesão cerebral e seu prognostico não foi nada bom. Charlie Burton, pai do rapaz, disse que naquele momento lembrou do versículo que está em Efésios 3:20, que diz que Deus “é capaz de fazer infinitamente mais”.

“Contra circunstâncias avassaladoras, esse versículo nos deu coragem de pedir a Deus por um milagre. Ficamos humildes pelo fato de algumas pessoas não experimentarem a cura. Há coisas que nunca entenderemos, mas no momento essa foi a nossa fé, que Deus é capaz”, lembra o pai.

De fato, a fé da família em Jesus Cristo foi fundamental para que Deus operasse na vida de Burton, porque contrariando às expectativas da medicina, o rapaz começou a se recuperar, sendo curado da lesão cerebral.

“A maioria dos pais só tem o privilégio de ver o filho andar pela primeira vez uma vez. Agora, já vimos isso pela segunda vez”, disse Charlie. Seu filho, Burton, testemunhou o que ouviu dos próprios médicos a respeito do seu estado:

“Meus médicos me disseram que a ciência não pode explicar minha recuperação”, disse ele. “Eles me disseram que Deus tem algo a ver com isso”.

Atualmente Burton faz fisioterapia todos os dias e já pretende retornar aos estudos em setembro. A sua vida se tornou um exemplo de superação e fé para toda a família.

“Minha esposa e eu vemos os pequenos milagres que acontecem todos os dias. Isso te rouba completamente a capacidade de reclamar sobre a maioria das coisas com as quais nos preocupamos hoje”, disse Charlie.

 

Hindus invadem culto, agridem cristãos e queimam suas Bíblias no meio da rua

A perseguição religiosa aos cristãos tem sido intensificada, também, na Índia, onde o hinduísmo é a religião predominante. Grande parte disso parte do radicalismo motivado pela ideologia ultra-nacionalista, a qual não admite a presença de outras crenças religiosas em determinada cultura.

Um dos casos mais recentes de intolerância religiosa contra os cristãos ocorreu em Kurubatti, na cidade de Hosur, quando cerca de 15 homens dos grupos hindus Munani (Hindu Front) e Vishva Hindu Parishad (VHP) invadiram a casa de um estudante cristão no momento de uma reunião de oração.

Os intolerantes questionaram o motivo da reunião e sem seguida arrastaram os cristãos para fora do recinto, espancando eles violentamente. Em seguida, esvaziaram suas mochilas, jogando fora folhetos evangelísticos, hinários e suas Bíblias. Os hindus ainda queimaram às Bíblias com gasolina.

Este episódio ocorrido em 19 de março, mostra a gravidade da perseguição religiosa sofrida pelos cristãos na Índia, porque não se trata de uma violência praticada nas ruas, apenas, o que já é grave, mas dentro de suas próprias casas.

“Todas as reuniões cristãs correm o risco de serem interrompidas pelas forças Hindutva”, disse Nehemiah Christie, diretor de Legislação e Regulamentação do Sínodo das Igrejas Pentecostais em Tamil Nadu, referindo-se a um termo associado ao hindus que pregam o conceito de “Hindu Rashtra”, que seriam os verdadeiros dominadores do país.

“É preocupante ver que tais grupos invadem livremente casas, questionam a crença de alguém e apreendem artigos de adoração, incluindo Bíblias, e os profanam”, destaca Christie.

“A ideologia hindutva da intolerância e da impunidade está se espalhando neste estado, incitando as pessoas a perseguir e atacar as minorias religiosas, que só querem praticar sua religião ou crença pacificamente”, completou.

Apesar da onda de violência estar crescendo, autoridades indianas parecem ignorar a realidade e em muitos casos até apoiá-la, chegando a implementar leis que proíbem a conversão religiosa de hindus para outras religiões, como o cristianismo.

“O governo indiano não pode permitir que essa ideologia divisora ​​denuncie a identidade da Índia como uma nação historicamente amante da paz. Eles devem agir agora”, pede Christie, segundo informações do Premier.

O PODER DE NOSSAS PALAVRAS – Luciano Subirá

Nossas palavras tem o poder de curar e de ferir. Mas não podemos usá-las de qualquer forma. O justo e o ímpio se distinguem em muitas coisas e, de acordo com a Palavra de Deus, não é só no seu caráter e atitudes, mas também na forma de falar:

A boca do justo é manancial de vida, mas na boca dos perversos mora a violência” Provérbios 10.11

Da boca do justo jorra vida; ou seja, palavras que vivificam, que comunicam vida espiritual (e mesmo emocional). Por outro lado, da boca do ímpio flui violência (palavras que ferem, que matam). De acordo com este texto, a violência no lar não é só física, mas também verbal. E pior: é uma característica do comportamento do ímpio. Confirmando esta verdade (que palavras ferem ou curam) a Bíblia ainda afirma:

“Alguém há cuja tagarelice é como pontas de espada, mas a língua dos sábios é medicina”. Provérbios 12.18

Nossas palavras possuem um poder maior do que conseguimos mensurar. Elas podem produzir vida ou morte!

“A morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza come do seu fruto” Provérbios 18.21

Precisamos ter o cuidado com a forma de falar, pois, a maneira errada de falar não trará dano só a quem nos ouve. O problema também nos atinge! O livro de Provérbios mostra que guardar a boca (as palavras) é conservar a alma; por outro lado, o muito abrir os lábios (falar demais) traz ruína para quem fala:

“Do fruto da boca o homem comerá o bem, mas o desejo dos pérfidos é a violência. O que guarda a boca conserva a sua alma, mas o que muito abre os lábios a si mesmo se arruína”. Provérbios 13.2,3

Há momentos em que o silêncio é a maior expressão de sabedoria. Falar com o coração irado ou exasperado nunca fará bem a ninguém (nem ao que fala). Na hora das emoções alteradas devemos reter as palavras, quando o espírito estiver sereno, ai é inteligente falar:

“Quem retém as palavras possui o conhecimento, e o sereno de espírito é homem de inteligência” Provérbios 17.27

As Escrituras ainda nos revelam que falar de modo sereno traz cura enquanto que a língua perversa, por sua vez, traz mal trato ao íntimo (quebranta o espírito):

A língua dos sábios adorna o conhecimento, mas a boca dos insensatos derrama a estultícia. A língua serena é árvore de vida, mas a perversa quebranta o espírito” Provérbios 15.2,4

“O homem se alegra em dar resposta adequada, e a palavra, a seu tempo, quão boa é”. Provérbios 15.23

CONSEQUÊNCIAS DA NOSSA FORMA DE FALAR

A maneira de falarmos que adotamos produzirá consequências. A consciência deste fato pode nos ajudar a refletir sobre a forma correta de falar e, assim, evitarmos muitos transtornos e dissabores nos relacionamentos.

“A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira” Provérbios 15.1

Quando alguém já está emocionalmente alterado, a maneira branda de falar irá aplacar seu sentimento e, de acordo com a Palavra de Deus, desviar seu furor. Por outro lado, uma palavra dura irá suscitar a ira. Portanto, precisamos aprender com a sabedoria bíblica (bem como com a humildade de Cristo) a sermos brandos em nossa forma de falar.

É por isso que em muitos casamento a maior parte das tentativas de discutir a relação terminam em briga. As emoções já encontram-se carregadas e, para piorar, as palavras duras só aumentam a ira já represada dentro do cônjuge.

Depois de muitos anos de ministério pastoral e aconselhamento comecei a entender um pouco mais do porque as mulheres se queixam tanto com seus maridos sobre a forma de falar. A célebre frase “não é o quê você fala e sim como fala que incomoda” repetida pelas esposas em todos os lugares, é mais do que uma grande coincidência. É um fato! A forma de falar tem sido um grande problema para os relacionamentos, especialmente a forma de falar dos maridos!

Não adianta ser excessivamente duro em exercitar direitos e opiniões, Muitas vezes, as consequências de nossa falta de sensibilidade no falar são desastrosas! Como disse antes, tenho aprendido muito nesta área com o Pr. Abe Huber, meu discipulador. Primeiramente tenho aprendido muito através de sua conduta exemplar nesta área, mas também tenho crescido por meio dos preceitos ensinados. Nunca esqueço o dia em que, pela primeira vez, o ouvi ensinando sobre este assunto. Ele falou acerca dos efraimitas e sua forma tempestiva de agir e também falou sobre como dois líderes em Israel lidaram de forma tão diferentes com estes homens da tribo de Efraim.

A primeira situação acontece com Gideão, logo depois dele vencer os midianitas e trazer livramento a Israel. Os homens da tribo de Efraim reclamaram com ele por não terem sido convocados para a guerra, mas ele os abrandou com a sua palavra.

“Então os homens de Efraim lhe disseram: Que é isto que nos fizeste não nos chamando quando foste pelejar contra Midiã? E repreenderam-no asperamente. Ele, porém, lhes respondeu: Que fiz eu agora em comparação ao que vós fizestes? Não são porventura os rabiscos de Efraim melhores do que a vindima de Abiezer? Deus entregou na vossa mão os príncipes de Midiã, Orebe e Zeebe; que, pois, pude eu fazer em comparação ao que vós fizestes? Então a sua ira se abrandou para com ele, quando falou esta palavras” Juízes 8.1-3

Em outra ocasião, Jefté, também juiz em Israel, teve que lidar com a mesma atitude dos efraimitas. Porém, sua maneira de falar com eles e lidar com a questão foi bem diferente da de Gideão. O resultado? Uma tragédia nacional! Uma guerra civil que custou a morte de mais de quarenta mil pessoas:

“Então os homens de Efraim se congregaram, passaram para Zafom a Jefté: Por que passaste a combater contra os amonitas, e não nos chamaste para irmos contigo? Queimaremos a fogo a tua casa contigo. Disse-lhes Jefté: Eu e o meu povo tivemos grande contenda com os amonitas e quando vos chamei, não me livrastes da sua mão. Vendo eu que não me livráveis, arrisquei a minha vida e fui de encontro aos amonitas, e o Senhor mos entregou nas mãos por que, pois, subistes vós hoje para combater contra mim? Depois ajuntou Jefté todos os homens de Gileade, e combateu contra Efraim, e os homens de Gileade feriram a Efraim porque este lhes dissera: Fugitivo sois de Efraim, vós gileaditas que habitais entre Efraim e Manassés. E tomaram os gileaditas aos efraimitas os vaus do Jordão; e quando alguns dos fugitivos de Efraim dizia: Deixai-me passar; então os homens de Gileade lhe perguntavam: És tu efraimita? E dizendo ele: Não; então lhe diziam: Dize pois Chibolete; porém ele dizia: Sibolete porque não o podia pronunciar bem. Então pegavam dele, e o degolavam nos vaus do Jordão. Caíram de Efraim naquele tempo quarenta e dois mil” Juízes 12.1-6

Gideão, com sabedoria, conseguiu abrandar o coração dos efraimitas e evitou derramamento de sangue. Jefté se viu na obrigação de se defender e sustentar o seu direito e causou um grande banho de sangue.

No Novo Testamento também vemos que a inflexibilidade trouxe grande dano à Igreja de Jesus, separando dois gigantes do apostolado aos gentios: Paulo e Barnabé…

“Decorridos alguns dias, disse Paulo a Barnabé: Tornemos a visitar os irmãos por todas as cidades em que temos anunciado a palavra do Senhor para ver como vão. Ora, Barnabé queria que levassem também a João, chamado Marcos. Mas a Paulo não parecia razoável que tomassem consigo aquele que desde a Panfília se tinha apartado deles e não os tinha acompanhado no trabalho. E houve entre eles tal desavença que se separaram um do outro, e Barnabé, levando consigo a Marcos, navegou para Chipre. Mas Paulo, tendo escolhido a Silas, partiu encomendado pelos irmãos à graça do Senhor.E passou pela Síria e Cilícia, fortalecendo as igrejas.” Atos 15.36-40

Barnabé queria dar uma segunda chance a João Marcos, uma vez que na primeira viagem missionária, ele havia desistido logo no começo. Paulo por sua vez, acreditava que, justamente por ter desistido, Marcos não poderia
ir nesta segunda viagem missionária. Vejo gente advogando a causa dos dois lados. Há quem defenda o coração de Barnabé como quem acredita nos outros e há quem defenda a coerência de Paulo de que viagem missionária não é brincadeira e que, pelo comportamento errado da primeira viagem, Marcos ainda não estava pronto para a nova convocação.

Eu, particularmente, vejo um pouco de razão em cada um, mas a questão não é quem tem a razão; trata-se de sensibilidade. Cada um foi flexível em seu posicionamento e, pela discussão de quem seria (ou não) ajudante a mais, perderam a companhia principal, a parceria que Deus havia gerado desde o início (At 13.2). E preciso entender que o relacionamento vale mais do que se ter a razão na discussão.

Sabemos que depois houve algum concerto entre eles, pois Paulo, muitos anos depois, fala de Marcos como tendo sido reintegrado à equipe:

“…Toma a Marcos e traze-o contigo, porque me é muito útil para o ministério” (2 Tm 4.11).

Que o Senhor nos dê graça e nos ensine a comunicar com nosso próximo segundo o Seu coração e os princípios da Sua Palavra!

Texto extraído do livro “O Propósito da Família”

“Pastores precisam plantar igrejas lideradas pelo Espírito Santo e não por suas preferências pessoais”

Palestrando durante a Conferência Exponencial, na terça-feira, na First Baptist Orlando em Orlando, Florida, o pastor Francis Chan falou sobre a necessidade de os pastores realmente aceitarem que Jesus Cristo, e não eles, quem manda nas igrejas, referindo-se a Efésios 5.

“Ele é o nossa cabeça. Então, à luz dessa verdade, como devo agir? Todos nós acreditamos que Ele é o cabeça, certo? E se ele não fosse o chefe da Igreja? Como você faria as coisas de maneira diferente? Pense nisso ”, pediu Chan, que abandonou seu ministério como pastor de uma megaigreja nos EUA para dedicar-se a escrever e trabalhar com discipulado individual.

“Eu percebo que muitas vezes eu não ajo como se Jesus fosse o chefe da Igreja. Eu não ajo como se eu fosse apenas um braço. Eu realmente não me humilho, ‘Senhor, você é o cabeça da Igreja. O que você quer que eu faça? O braço não faz nada a menos que a cabeça diga a ele para fazer isso’”, argumentou.

Para o teólogo, é preciso que os pastores declarem constantemente: “Deus, por favor, mate minha carne”. Destacou que sempre pede “que Cristo viva através de mim”. “De vez em quando, vejo o pequeno Francis. Mate-o, Deus. Não há nada para defender aqui. Eu quero ele crucificado. Eu realmente quero que Cristo viva através de mim”.

O preletor usou o exemplo de uma “piscina de ondas” que ele viu recentemente. Para Chan, aquilo “lembra da Igreja”.

“Eu posso criar uma onda. Eu posso fazer uma onda começar às 9:20. Eu posso ter um pico às 9:30. E então vai acabar às 9:50… Eu consigo criar uma onda artificial onde mexo com a emoção de todo mundo e então saímos dizendo ‘uau, Deus se moveu!’. Mas, bem, eu acho que isso foi feito pelo homem”, explicou Chan.

Albert Tate, líder da Fellowship Church em Monrovia, Califórnia, e outro pregador da conferência, implorou para que os pastores “parem de construir igrejas que se pareçam com vocês e comecem a construir igrejas que se parecem com Jesus”.

Ele não poupou críticas ao que vê em seu país: “Nessas igrejas… todo mundo se veste da mesma forma, todos fazem compras no mesmo lugar, todas têm as mesmas coisas, todos são quase da mesma idade. Deixe-me dizer uma coisa, você tem uma igreja que está pronta para o domingo, mas não está pronta para o céu”.

“Negue a Cristo, ou sua esposa pagará o preço”

Quando Manoj se converteu ao cristianismo ele não imaginava o que aconteceria com sua família alguns meses depois do encontro que transformou a sua vida.

Ele começou a compartilhar o Evangelho com seus vizinhos e isso enfureceu os nacionalistas hindus que resolveram se revoltar contra o recém-convertido e sua família.

Certo dia, uma multidão foi até a casa de Manoj, invadiram o imóvel e o arrastaram para fora, tirando com violência sua esposa, Geeta, e o filho mais novo do casal.

“Negue a Cristo, ou sua esposa pagará o preço”, disseram os manifestantes que agrediam Geeta enquanto exigiam que Manoj renunciasse sua fé em Jesus.

Além da mulher, o próprio cristão foi espancado pela multidão enfurecida que não conseguiram vê-lo negando sua fé. O líder do grupo teve uma ideia de como fazer com que Manoj se retratasse.

Ele arrastou Manoj até o lago, amarrou suas mãos atrás das costas para não se defender e começou a empurrar a cabeça para baixo da água. Ele continuou fazendo isso repetidas vezes, privando Manoj de ar por mais e mais tempo. Ainda assim, não funcionou.

“Se você não negar a Jesus, nós vamos acender sua esposa e você vai vê-la queimar até a morte.” Com esta declaração, os homens da turba começaram a arrancar as roupas de Geeta dela, se preparando para mergulhá-la com querosene, mas ela conseguiu escapar.

Mesmo seminua, Geeta conseguiu fugir da multidão pela selva juntamente com seu filho, encontrando uma vila diversas mulheres que aceitaram escondê-los.

Os homens que a perseguiram encontraram o grupo de mulheres e questionaram se elas haviam visto a fugitiva ou seu filho, elas mentiram que eles estavam no mercado e eles não foram encontrados.

Algum tempo depois, Manoj e Geeta foram reunidos e levados para um local seguro. A equipe de campo do ministério Timothy Initiative em sua região ouviu sua história e imediatamente planejou visitá-los e incentivá-los com orações e assistência financeira, considerando que eles estavam agora permanentemente deslocados e haviam perdido tudo o que possuíam.

 

Apenas 25% das famílias cristãs nos EUA oram e leem a Bíblia

Segundo uma pesquisa do Barna Research, apenas  25% dos cristãos norte-americanos leem a Bíblia e oram em suas casas. O estudo questionava os entrevistados a respeito de três elementos da prática de fé, e a maioria cumpre apenas uma ou nenhuma das atividades.

Os três elementos são: orar todos os dias com os seus familiares e ler a Bíblia juntos; conversar sobre Deus pelo menos uma vez por semana; e acolher não familiares regularmente ou várias vezes por mês.

Dos entrevistados 33% declara que seguem as práticas espirituais de orar e ler a Bíblia e ainda conversam sobre Deus; 14% pratica apenas a hospitalidade e 28% não pratica nenhuma das ações.

“Famílias vibrantes se destacam por terem um tempo significativo, divertido e de qualidade com seus familiares”, diz a pesquisa ao comparar dados de que 32% dos entrevistados se reúnem para jogos, 63% para tomarem o café da manhã juntos e 75% que jantam juntos todos os dias.

“Um dos objetivos deste estudo era aprender com famílias que pareciam estar excepcionalmente engajadas na expressão de fé comunitária e consistente em casa”, explicou o instituto de pesquisa.

Para chegar nesta conclusão, 2.347 pessoas foram ouvidas.

Estado quer expulsar idosa de 84 anos de abrigo por dar estudos bíblicos no local

Uma situação intrigante envolvendo uma idosa de 84 anos está causando indignação nos cristãos da Califórnia, Estados Unidos. Isso porque, a viúva Artis Breau está sendo acusada de cometer “abuso de idosos”, simplesmente por dar estudos bíblicos no abrigo onde mora, correndo risco de ser expulsa do local por essa razão.

Artis mora atualmente na Veterans Home, um abrigo voltado para militares. O esposo dela, já falecido, foi um veterano de guerra. Ele serviu na Segunda Guerra Mundial, na 82ª Divisão Aerotransportada no exterior e na Força Aérea durante a Guerra da Coreia.

Como forma de exercer sua fé, Artis teve a iniciativa de realizar estudos bíblicos do abrigo, onde a participação dos residentes é totalmente voluntária. Apesar disso, ela recebeu uma carta do Departamento de Assuntos de Veteranos da Califórnia (CalVet), exigindo que ela pare com os estudos.

“A casa alega que precisa proteger os moradores dessa viúva, idosa, embora a frequência de seus estudos bíblicos seja totalmente voluntária”, informou a Pacific Justice Institute (PJI), organização advocatícia que defende Artis.

Segundo o CalVet, houve uma denúncia de que Artis teria cometido abuso ao participar de um debate com outros idosos, sobre questões relativas ao céu e o inferno. Um dos participantes do estudo não teria conseguido dormir direito naquela noite.

Para o PJI, no entanto, a única motivação contra sua cliente é por intolerância religiosa, visto que o estudo bíblico é voluntário e debates dessa natureza são comuns em se tratando de questões teológicas.

“Ao longo deste processo, temos sido profundamente perturbados não apenas pela falta de diretrizes constitucionais, inépcia e falta de devido processo na investigação, mas ainda mais pela noção de que discutir opiniões religiosas sobre o estado eterno da alma é considerado abuso emocional”, diz a PJI.

Artis também acredita estar sendo vítima de perseguição religiosa por uma “crente evangélica judaica em Jesus, o que não é aceito por alguns dos capelães do lugar”, segundo informações do Christian Headlines.

O presidente da PJI, Brad Dacus, destaca que o exercício da liberdade religiosa é um direito garantido pela Primeira Emenda Americana, e que a ameaça de expulsar Artis do abrigo, caso ela não pare com os estudos, contraria diretamente esse princípio legal.

“Este ataque chocante do Estado contra o exercício de convicções religiosas da nossa cliente é profundamente perturbador”, disse ele.

“O Estado procura punir Artis com base em diretivas inexistentes, privando-a de um ministério pessoal para os veteranos que se beneficiaram de seus serviços religiosos durante anos”, destaca.

Atualmente o caso de Artis continua na justiça, mas ela continua proibida de dar estudos, enquanto aguarda o desfecho final da sua história. “Artis não está lutando apenas por si mesma, mas pelo Evangelho e pelos moradores que são incapazes de lutar por si mesmos contra a tentativa de intimidação do Estado”, conclui Dacus.

 

Marcas de Cristo – Pr Gean Carlos

Here is the Music Player. You need to installl flash player to show this cool thing!