“O QUE EU ERA E O QUE EU SOU AGORA” 04/11

“O QUE EU ERA E O QUE EU SOU AGORA”

Adaptado do livro de devocional

Texto: Salmo 14:2,3 (ORE ANTES DE MINISTRAR).

Introdução: Preciso ter conhecimento da minha verdadeira posição em Cristo. Antes, eu era escravo dos meus próprios desejos, hoje sou controlado pelo Espírito Santo de Deus.

1º) Ele se fez filho do homem, para que eu me tornasse filho de Deus: Gl. 4:4 e Jo. 1:12.

2º) Ele participou da minha natureza humana para que eu fosse participante da sua natureza divina: Fl. 2:6,7 com 2Pe. 1:4.

3º) Ele se tornou em tudo semelhante a mim, para que eu me tornasse em tudo semelhante a Ele: Hb. 2:17 com Rm. 8:29.

4º) Ele recebeu a minha punição, para que eu fosse perdoado: Is. 53:3,4.

5º) Ele foi ferido, para que eu fosse sarado: Is. 53:4,5.

6º) Ele se fez pecado, para que eu fosse feito justiça de Deus: 2Co. 5:21.

7º) Ele morreu a minha morte, para que eu recebesse a sua vida: Hb. 2:9.

8º) Ele se fez maldição em meu lugar, para que eu fosse participante da benção:Gl. 3:13.

9º) Ele se fez pobreza para que eu compartilhasse da sua abundância: 2Co. 8:9 e 9:8.

10º) Ele sofreu a minha vergonha, para que eu participasse da sua Glória: Mt. 27:35,36.

11º) Ele sofreu rejeição para que eu tivesse a sua aceitação com o Pai: Mt. 27:46 e Ef. 1:5.

12º) Ele foi cortado pela morte, para que eu fosse unido à Deus para sempre: Is. 53:8.

13º) Ele tomou o meu corpo humano, para me dar o seu Espírito Divino: Hb. 10:5 e At. 5:32.

14º) Meu velho homem morreu com Ele,para que eu ande com Ele em novidade de vida e o novo homem em mim se manifeste: Rm. 6:6; Cl. 3:9,10.

Conclusão: tome hoje, a sua posição real em Cristo e viva a unção de conquista e multiplicação que o Senhor te deu.

“ENFRAQUECIMENTO ESPIRITUAL” 03/11

“ENFRAQUECIMENTO ESPIRITUAL”

Texto: Hebreus 12:1-3 (ORE ANTES DE MINISTRAR). Introdução: O que é enfraquecimento espiritual? O que causa o enfraquecimento espiritual? Como voltar a ser forte espiritualmente novamente?

1º) O que causa o enfraquecimento espiritual? 1.1: deixar de olhar para Jesus: Hb. 12:2; 1.2: perda da simplicidade do evangelho: Rm. 14:13-20; 1.3: perda do discernimento espiritual: Gn. 2:22-25; Gn. 3:1-10.

2º) Qual o comportamento do fraco espiritual? 2.1: ira, nervosismo, rosto diferente, fuga, críticas: Gl. 5:16; 2.2: desconfiança espiritual: Tg. 3:1-10; 2.3: perda do compromisso, responsabilidade, temor, fé: 2Tm. 4:10; 2.4: apego às coisas materiais: Pv. 11:24-28.

3º) Por quê acontece o enfraquecimento espiritual? 3.1: más companhias: pv.13:20; 1Jo.4:1; 3.2: inveja, ciúmes, pecados ocultos: Sl. 66:18; Sl 32:1-5; 3.3: desobediência a Deus: 1Sm. 15:23.

4º) Quem tira proveito do enfraquecimento espiritual? 4.1: o diabo, os demônios : 1Pe. 5:8; Tg. 4:7; 4.3: as falsas religiões: 1Pe. 3:15; 4.4: incrédulos que não querem Jesus: Hb. 12:1,2; 4.5: “crentes” frios e rebeldes: 1Co. 3:1-3.

5º) Quem é atingido com o enfraquecimento espiritual? 5.1: Deus (Pai, Filho Jesus Cristo e o Espírito Santo) 1Co. 15:58; 5.2: líderes da igreja (pastor, líderes de células e de macro-células): Fp. 2:25-30; Cl. 4:12; 5.2: a igreja; família; sociedade: Hb. 10:25.

6º) Como voltar a ser forte espiritualmente? 6.1: perdão e arrependimento: Sl. 32 (todo o salmo); 6.2: tomar sua posição em cristo: Ap. 2:1-5; 6.3: congregar; dizimar; ofertar: Mt. 22:23; Ml. 3:8-12; 6.4: praticar a palavra: Tg. 1:22; 6.5: orar e jejuar: Lc. 18:1; 1Ts. 5:17; Mt. 26:41; 6.6: fortalecer a célula principal, que é a família: 1Pe. 3:1-7; 6.7: pagar todas as dívidas: Rm. 13:8; 6.8: tomar cuidado com as palavras: Mt. 12:36,37; 6.9: andar só com sábios espirituais:Pv. 13:20; 6.10: não ignorar a batalha espiritual: Ef. 6:10-18; 6.11: TER A VISÃO DO PASTOR E DA PASTORA: Am. 3:7, At.1:8.

Conclusão: todo nós, cristãos, passamos por provas e lutas e devemos tirar proveito para nossa edificação espiritual. Determinadas batalhas só servem para nosso fortalecimento espiritual. Não adianta se desviar do Senhor e da Igreja. Não adianta mudar de Igreja. É preciso mudar o nosso comportamento. Não adianta abandonar os cargos e posições. Não adianta fugir do compromisso. Quando se sentir fraco, confia no Senhor. Ne. 8:10 e Jl. 3:10.

“PEQUENAS COISAS QUE PODEM TIRAR A NOSSA PAZ COM DEUS” 02/11

“PEQUENAS COISAS QUE PODEM TIRAR A NOSSA PAZ COM DEUS”

Texto: Cantares de Salomão 2:15 (ORE ANTES DE MINISTRAR). Introdução: Nossa vida espiritual pode muito bem ser comparada a uma vinha que está em flor. As “Rapozinhas”, na verdade, são pequenas coisas, e às vezes, aos nossos olhos, coisas insignificantes, que, se não forem tratadas, danificarão as flores da vinha, impedindo nossa frutificação e multiplicação.

1º) Não podemos ignorar as pequenas coisas: Zc. 4:10; 2º) Nada começa grande, mas pequeno: 1Co. 5:6; Gl. 5:9; 3º) Cuidado para não tropeçar em pequenas coisas: Tg. 2:10; Jo. 11:19; 4º) Pequenas coisas atrapalham as grandes: 2Co. 11:3; 1Sm. 17:32-47; 5º) Pequenas coisas em cada discípulo se transformam em coisas gigantescas: Jz. 5:1-8; Jz. 3:711; Jz. 3:12-14; 6º) Pequenas coisas abrem legalidades à Satanás: 1Pe .5:8; Tg. 4:6-7; Jo. 13:21-30; Jo. 12:1-6; 7º) O diabo trabalha no sentido de derrubar o Cristão. Sua função é: roubar , matar, destruir: Jo. 10:10; Ef. 6:10-18.

Lista de pequenas coisas que podem tirar a nossa Paz: 1. Passar o sinal vermelho. 2. Assistir novelas ou filmes indecorosos. 3. Comer demais, beber muito café, beber muito refrigerante. 4. Gritar com os filhos. 5. Faltar nos cultos da igreja. 6. Não entregar ofertas para missionários. 7. Usar roupas provocantes. 8. Usar perfumes e cosméticos provocantes. 9. Discutir com o cônjuge e não pedir perdão. 10. Preguiça, dormir demais. 11. Criticar os patrões, chefes, a empresa, o Presidente, etc…. 12. Não cumprimentar aos irmãos. 13. Não conservar limpa a casa. 14. Desanimar por qualquer coisa. 15. Perder oportunidades de falar de Jesus. 16. Criticar o tempo, murmurar por causa do calor, frio, chuvas. 17. Não querer andar a pé.

Lista de coisas mais graves: 1. Não orar, não ler a Bíblia. 2. Não falar de Jesus, não buscar o desviado. 3. Criticar a visão que Deus deu ao Pastor e à Igreja. 4. Não entregar o dízimo e as ofertas missionárias. 5. Fofocar, criticar, murmurar etc… 6. Faltar aos cultos constantemente. 7. Não respeitar nenhuma autoridade humana. 8. Falar mal da obra do Espírito Santo. 9. Brigar com o cônjuge e não se reconciliar. 10. Cobiçar o cônjuge alheio. 11. Não se reconciliar com o irmão. 12. Não pagar as dívidas, não dar
justificativas. 13. Abandonar o chamado de Deus. 14. Voltar ao vício da mentira. 15. Voltar ao vício da masturbação. 16. Voltar a sentir rancor pelas pessoas . 17. Voltar aos traumas,complexos e problemas psicológicos. 18. Ignorar a batalha espiritual. 19. Achar que é mais espiritual que os demais 20. Não se esforçar para conhecer a Palavra de Deus. 21. Não dar um testemunho cristão aos outros.

“CURADOS PARA CONQUISTAR” 01/11

“CURADOS PARA CONQUISTAR”

Texto: 2 Timóteo 2:4 (ORE ANTES DE MINISTRAR).

Introdução:temos uma nação para conquistar; e há no exercito do Senhor muitos soldados feridos. Nestes dias o Senhor Jesus está levantando um exército curado, com capacidade e habilidade para invadir e conquistar almas para o Senhor.

1º) RETIRAR OS CONQUISTADORES DAS CAVERNAS: 1.1 – chamados da caverna: 1Sm. 22:1,2; 1.2 – tornando-se valentes: 2Sm. 23:8.

2º) SAIR DA MEDIOCRIDADE: 2.1 – ignorar os fatos: Jz. 6:11; 2.2 – não esconder mais: Jz. 6:11-16.

3º) SAIR DA INVEJA: 3.1 – aprender a se conformar com a vitória dos outros: 1Sm. 18:5-9; 3.2 – quando há interferência dos demônios: 1Sm. 19:8-10.

4º) TIRAR O ESPÍRITO DE GRANDEZA: 4.1 – tirar a idéia de que “sou o melhor”: Mt. 20:20-28; 4.2 – servir acima de tudo: Mt. 20:26-28.

Conclusão: Permita que o Espírito Santo possa curar a tua alma, transformando-o em um soldado curado e preparado para conquistar almas para o Senhor Jesus.

Lembrando Reforma Protestante, pastor reprova organização de ‘halloween gospel’ nas igrejas

A festa pagã do “dia das bruxas” tem origem pagã e é sempre fruto de enorme polêmica no meio cristão, pois há sempre a dúvida se é errado participar de eventos com essa temática nos dias atuais. No entanto, a realização de festas de “haloween gospel” da festa motivou um artigo bastante contundente do pastor Renato Vargens.

O pastor, integrante do movimento Coalizão pelo Evangelho, lamenta no texto que a fé bíblica venha sendo relativizada em um grau tão acentuado que “o certo virou errado e o errado, certo”.

Vargens recapitula a origem da festa do Halloween, seu paganismo, e diz que “31 de outubro não é dia para se comemorar ou celebrar o Halloween dos ‘evangeli-wicca’”, e diz que os cristãos protestantes têm outro motivo de celebração: “Essa data obrigatoriamente deveria remeter-nos aos idos de 1517, quando o monge alemão Martinho Lutero afixou às portas do castelo de Wittenberg as 95 teses denunciando as indulgências e os excessos da Igreja Católica, dando início à Reforma Protestante”.

Confira a íntegra do artigo de Renato Vargens, publicado no portal Pleno News:

Em um ambiente marcado por poucas luzes, ao som de muito thrash metal, numa decoração onde abóboras se fazem presentes, dezenas de jovens vestidos de preto, dançam efusivamente naquilo que denominam de Festa de Elohim, vulgarmente conhecido como Halloween Gospel.

Esposa de pastor sequestrado diz que precisou aprender a perdoar os “inimigos”

Susanna Koh, esposa de um pastor que foi sequestrado em fevereiro do ano passado, na Malásia, veio a público mais uma vez pedir orações em prol do seu esposo, mas também para contar algumas importantes lições de fé que ela tem aprendido com o este caso, como a necessidade de liberar perdão aos seus inimigos e perseguidores.

O pastor Raymond Koh continua desaparecido e ainda sem paradeiro. A Comissão de Direitos Humanos da Malásia (Suhakam) decidiu reabrir investigações em maio desse ano, mas sem resultados favoráveis até então, apesar da pressão de organizações como a Portas Abertas, que já encaminhou uma petição com cerca de 14 mil assinaturas cobrando uma resolução para o caso.

“Queridos amigos e companheiros de oração, obrigada por elevar a família Koh em suas orações. Somos gratos por seu contínuo suporte e encorajamento”, disse Susanna Koh em um comunicado, segundo a Portas Abertas.

“Já faz mais de 615 dias que o pastor Raymond foi sequestrado. Até agora não recebemos nenhuma notícia do novo governo, apesar de termos contatado várias pessoas e de a polícia ter sido instruída a manter a família atualizada”, disse ela.

Susanna destacou a possibilidade de um acusado que está sendo investigado, Datuk Awalludin Jadid, confessar todo o esquema, uma vez que se encontra com uma enfermidade grave.

“O inquérito público da Suhakam está chegando ao fim e a última testemunha é Datuk Awalludin Jadid, que foi apontado pelo denunciante como a pessoa que comandou a operação. Ele está muito doente com câncer e se encontra de licença médica até o final de novembro. Por favor, orem para que ele seja constrangido a falar a verdade”, explicou Susanna.

Apesar do momento de profunda angústia, Susanna ainda pontuou que isso tem estreitado o seu relacionamento com Deus, pois lhe fez aprender a necessidade de perdoar os que ela desconfiou de participar do sequestro do seu marido.

“Jesus nos ensinou a perdoar nossos inimigos e orar por aqueles que nos perseguem. Não foi fácil, mas eu tive que me arrepender das minhas atitudes erradas em relação à polícia”, disse ela, que por fim demonstrou estar confiante em Deus, uma vez que já fez todo o possível para encontrar o destino do pastor Raymond Koh.

“Nós já tentamos tudo o que era humanamente possível e só podemos deixar tudo nas mãos de Deus”, disse ela. “Nós confiamos nossa causa ao justo juiz do céu e da terra. Deus sabe e está no controle de tudo”.

Cresce o número de suicídios na Venezuela

Houve um aumento recorde dos casos de suicídio entre os venezuelanos. A situação tem assustado e desgastado os médicos que trabalham no hospital universitário de Mérida. O Estado tem cerca de 1 milhão habitantes, e só no ano de 2017, essa região já apurou mais de 19 suicídios a cada 100 mil habitantes.

Em nível de comparação, nos Estados Unidos, o número de suicídio anual é de 16 (em média) a cada 100 mil americanos. “Vivemos entre o terror e a impotência”, disse Ignacio Sandia, chefe do departamento de psiquiatria. O médico considera “aterrorizante” esse quadro e lamenta não poder fazer mais nada para ajudar as pessoas que são mais afetadas pela crise no país.

Na grande Caracas, houve 131 suicídios entre junho e julho, de acordo com um documento da polícia investigativa nacional, obtido pela Bloomberg News. Isso implica um total, neste ano, de 786 só na capital.

Mérida antes e depois da crise

Esse Estado é um pouco menor que Connecticut (EUA). Já foi muito conhecido por suas cidades agrícolas tranquilas e picos cobertos de neve. Além de ter sido o maior centro estudantil e turístico do ocidente venezuelano.

Hoje, a sede da prestigiosa Universidade de Los Andes, perdeu seus estudantes. Eles foram embora e levaram também o otimismo contagiante dos jovens.

Turisticamente, a maior atração é o teleférico mais alto e o segundo mais longo do mundo. Mas a triste situação não atrai mais os estrangeiros. Atualmente, os apagões perturbam a região. A escassez de gasolina e de transporte público obriga os moradores a pegar carona nas ruas repletas de lixo.

Silêncio das autoridades

O governo autocrático do presidente Nicolás Maduro, que costuma ficar em silêncio, não tem sido transparente em relação às mortes. Assim como com as estatísticas de inflação, homicídios e HIV.

Os últimos dados confiáveis do Instituto Nacional de Estatísticas da Venezuela são de 2012. Há 6 anos, todo o país teve 788 suicídios. Nos últimos anos, porém, esse tipo de morte tem se tornado comum numa população assolada pela hiperinflação, fome e emigração em massa.

O sistema público de saúde culpou a falta de remédios antidepressivos e ansiolíticos. Especialistas dos serviços de saúde mental também apontam para a solidão que as pessoas sentem à medida que os entes queridos vão embora. “Uma sensação de desesperança toma conta e as pessoas vêm que não há saída”, concluiu a psiquiatra Minerva Calderón, de Caracas.

Ateus tentam impedir oração, comunidade responde com campanha “Nós Cremos”

O caso aconteceu no final do mês passado, mas o debate continua na cidade de Locust Fork, Alabama (EUA). Antes das partidas do time de futebol da escola pública, a oração do Pai Nosso sempre era feita pelos jogadores à beira do campo e transmitidas pelo sistema de alto-falantes.

A Freedom From Religion Foundation, grupo ateísta militante, ameaçou entrar na justiça contra a escola por permitir manifestações religiosas em espaços públicos. A direção da Locust Fork High School anunciou então que a tradição chegaria ao fim.

Contudo, a comunidade local, formada majoritariamente por cristãos, decidiu não se dobrar. Pais dos alunos criaram a campanha “We Believe” [Nós Cremos] e mandaram confeccionar camisetas verdes com essa frase na frente e os versos do Pai Nosso, de Mateus 6, nas costas.

Eles passaram a ir aos jogos vestindo-as e a fazer a oração mesmo sem a transmissão nos alto-falantes da escola. Foi uma forma pacífica de protestar contra a decisão da diretoria. Em diversos jogos era possível ver uma “onda verde” se levantar antes do início das partidas e orar espontaneamente.

Gregg Armstrong, pai de um dos alunos, disse que foi um momento emocionante. Ele é o ministro da música da Igreja Batista de Locust Fork e conta que várias igrejas aderiram. A Igreja Batista da Graça, a Igreja Metodista Unida, a Igreja Batista em Pine Bluff e a Igreja Batista Edgewood financiaram a produção de 1000 camisetas que foram distribuídos ao público.

Não foi o suficiente. No jogo do dia 22, contra a equipe de Pennington, “havia cerca de 300 ou 400 pessoas que não conseguiram uma camiseta e queriam uma”. Agora eles estão produzindo mais um milhar e vendendo pelo preço de custo aos interessados.

A movimentação atingiu estabelecimentos comerciais, que começaram a fazer camisetas semelhantes, conta Amanda Moore, proprietária da Serigrafia Manda.

Logo depois que a escola anunciou que não haveria mais oração, ela começou a receber encomendas de camisetas com o Pai Nosso de pais de alunos das outras escolas da cidade e até de cidades vizinhas. “Vou vendê-las enquanto as pessoas continuarem procurando por elas”, assegura.

A ação dos ateus é contra a escola, mas não pode impedir manifestações espontâneas das pessoas. Armstrong disse que eles vão continuar a recitar a oração do Pai Nosso em todos os jogos da temporada. “Espero que o que fizemos honre ao Senhor. Era uma tradição fazer uma oração transmitida pelos alto-falantes, mas às vezes novas tradições são criadas e se tornam maiores que as do passado.”

Igrejas viram centro de abrigo para muçulmanos, após terremoto na Indonésia

Na última semana de setembro, uma série de terremotos que atingiram 7.4 na escala Richter abalou a ilha indonésia de Sulawesi, seguido por um tsunami. Enquanto a população local ainda contava os mortos, o vulcão local entrou em erupção.

A sequência de desastres naturais já deixou mais de 1.500 vítimas. Minoria perseguida no maior país muçulmano do mundo – 200 milhões de habitantes – os cristãos estão abrindo as igrejas para cuidar dos sobreviventes que perderam tudo.

Dezenas de milhares de pessoas acabaram desabrigadas após os desastres. Um grande número de casas foi “engolido” pela terra ou desabou. Além do governo, organizações como a Cruz Vermelha criaram campos para atender os deslocados, mas não foi o suficiente.

Pastores das igrejas locais decidiram abrir as portas dos seus templos para oferecer alimentos, cuidado médico e também abrigo para todos, independentemente de religião.

De acordo com a Christianity Today, líderes evangélicos relataram que 86 igrejas em Palu, cidade mais atingida, são agora “centros de ajuda”. “A maioria dos refugiados eram muçulmanos. Estamos oferecendo apoio materialmente e psicológico”, explicam Yuberlian Padele, Ika Kulas e Set Tolage, que lideram a iniciativa.

A maioria dos prédios eclesiásticos sofrem apenas algumas rachaduras e são considerados seguros. “O pátio das igrejas tornou-se um refúgio seguro para milhares de pessoas que ainda não sabem o que fazer”, disseram eles. Além de pessoas acampadas no seu terreno e dormindo nas dependências, alguns templos estão servindo como cozinhas comunitárias, oferecendo refeições gratuitas.

Não há previsão de quando os deslocados ficarão nessa situação, uma vez que o governo não apresentou planos de reconstrução. Segundo a Cruz Vermelha da Indonésia, trata-se de uma das maiores tragédias que o país já viu, comparável ao tsunami de 2004.

A tragédia de setembro vitimou 200 cristãos que estavam no Centro de Educação e Treinamento (Pusdiklat) do Sínodo das Igrejas Protestantes. O local foi engolido pela lama e o prédio desapareceu completamente. No local, 240 pessoas, incluindo muitas crianças, realizavam um acampamento bíblico. Apenas 23 alunos sobreviveram. Segundo testemunhas, o desabamento ocorreu em segundos, sendo tragado pela terra.

Os pastores de Sulawesi estão pedindo que os cristãos do mundo todo orem pela situação enquanto eles procuram dar testemunho do evangelho em palavras e ações. Palu foi invadida por saqueadores violentos e a criminalidade está em alta. Existem milhares de pessoas sem acesso a necessidades básicas como comida, água e gás.

Piper orienta como os pais devem ensinar os filhos: “Trate a Bíblia como autoridade absoluta”

Considerando o avanço de uma cultura cada vez mais relativista e a dificuldade de muitos pais em lidar com a educação dos seus filhos, o pastor e renomado autor John Piper deu algumasorientações sobre a maneira como devemos educar nossas crianças e adolescentes.

“Procure ser totalmente autêntico em seu amor por Cristo, sua alegria nele e seu deleite em seus caminhos. Você não pode forçar a satisfação de uma criança em Deus quando não parece que o Senhor está satisfazendo mamãe e papai”, disse Piper.

A declaração do pastor foi resultado do questionamento de uma mãe em seu programa de rádio. Piper enfatizou que devemos vivenciar o Evangelho diariamente, transformando o ensino da Bíblia em testemunho através do nosso comportamento.

John Piper explicou que os pais devem incluir referências da Bíblia e agradecimentos a Deus a todo momento, “saturando” os filhos com a Palavra. “Sature sua família com as Escrituras. Fale sobre isso de manhã, tarde e noite”, disse ele, destacando o texto de Deuteronômio 6:7-8.

“Fale sobre isso quando você se levantar, quando fizerem as refeições, quando estiverem no carro. Fale sobre a palavra de Deus, e procure ajudar seus filhos a entenderem isso”, completa.

Autoridade absoluta da Bíblia

Outro ponto bastante importante ressaltado por Piper foi o lugar na Bíblia no ensino familiar. Por conta de algumas correntes teológicas liberais, a Palavra de Deus tem sido relativizada por certos líderes, fazendo com que muitos fiéis percam o Evangelho como referência de suas vidas.

“Trate a Bíblia como a autoridade absoluta em sua vida. Ore para que as crianças cresçam acreditando que este livro é a mais alta autoridade no universo sob Deus”, disse Piper. “Lembre sempre aos seus filhos que Cristo morreu pelos pecadores, e que Ele nos oferece uma maneira de restaurar a comunhão com Ele mesmo quando falhamos”.

Por fim, John Piper também ressalta a importância do relacionamento entre pais e filhos, explicando que a confiança e intimidade são pilares de um bom diálogo, mas que isso deve ser conquistado, também, através do saber ouvir.

“Pergunte coisas além do que um breve ‘como vai você?’ Fique sozinho com eles em algum ambiente que estejam confortáveis e ouça o coração deles, conheça seus sentimentos, seus medos, suas esperanças, os desafios que sentem na escola. Não se contente com uma resposta simples e superficial”, conclui o pastor.

“Meu pai me estuprou, inúmeras vezes”, testemunha Joyce Meyer em novo relato

Um testemunho impactante da escritora e evangelista Joyce Meyer continua servindo para tocar milhares de vidas ao redor do mundo. Ela precisou superar o trauma do abuso sexual cometido pelo próprio pai, inúmeras vezes ao longo da sua juventude, e hoje conta como Deus lhe fez entender um propósito que parece estar além do entendimento humano.

“Meu pai me estuprou, inúmeras vezes, pelo menos 200 vezes. Não havia lugar onde eu me sentisse segura, crescendo”, disse ela na primeira vez que revelou os abusos que sofreu durante toda a juventude. Na ocasião, Meyer explicou que a sua mãe não teve forças para lidar com a situação.

“Literalmente, o que ele fez foi me estuprar, toda semana, pelo menos uma vez por semana, até os 18 anos. Meu pai, o homem em quem eu deveria confiar, que deveria me manter seguro, foi aquele que me estuprou um mínimo de 200 vezes”, detalhou ela.

Agora Meyer falou novamente sobre o assunto, porém, ressaltando como Deus aos poucos foi trabalhando em sua mente e coração, para lhe fazer compreender o que ocorreu por outra perspectiva.

“Onde estava Deus enquanto tudo aquilo acontecia? Vamos falar sobre isso por um minuto”, propôs Meyer abertamente em sua pregação. “Eu não posso explicar isso para você em minha mente … Eu sei que Deus não me tirou daquela situação, mas Ele me deu forças para passar por aquilo. Na verdade, Deus tinha um plano”, disse ela.

Uma das pregadoras mais lidas no meio evangélico da atualidade, Meyer explicou que aos poucos entendeu que não deveria pensar mais que “não deveria ter vivido aquela situação”. Ela deixou de questionar a existência do ocorrido, para aceitá-la como um propósito de Deus.

“Cerca de três anos atrás, eu disse isso: ‘Mas é claro que eu gostaria de não ter sido abusada’, e Deus me fez parar e refletir. Ele disse: ‘Pare de dizer isso’. E então eu pensei sobre isso e, hoje sei que isso parece loucura, mas estou feliz que tenha acontecido. Você sabe por quê? Porque eu sou uma pessoa melhor agora, melhor do que eu jamais teria sido”, disse ela.

“Eu não sei como tirar algum sentido disso, mas eu sei que Deus me redimiu. Ele tomou o que Satanás quis usar para o meu mal e resolveu isso para sempre”, disse ela, segundo a CBN News, levando os ouvintes às lágrimas.

Perdão e recuperação

Joyce Meyer revelou em outra ocasião que o seu pai lhe pediu perdão pelos abusos. Antes disso, porém, ela havia cuidado dele e da sua mãe quando idosos. Após ela ter lhe perdoado, ele aceitou a Cristo e foi batizado posteriormente.

A evangelista disse que o fato de hoje pregar para multidões e ser ouvida faz parte desse plano. O seu testemunho, consequentemente, está agora fazendo sentido ao ser utilizado como instrumento para impactar milhares de vidas.

“Hoje eu sou mais forte. Eu conheço mais a Deus. Eu entendo a dor das pessoas. E eu acredito que isso me possibilitou alcançar você em sua dor e sua necessidade e dizer a você com toda a minha paixão, que Deus está vivo”, disse ela.

“Você pode se recuperar? Você está olhando para alguém que se recuperou. Amém? Você está olhando para a prova viva, a evidência de que é possível se recuperar”, disse ela. “Não há poço tão profundo que Ele não possa descer e te tirar de lá”, conclui a autora.

Conflitos que destroem

…eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo. v.7

O super-homem do filósofo alemão Nietzsche, de fato, se aproxima mais do Batman: um homem comum que com seu cinto de utilidade pode fazer quase qualquer coisa. E tudo o que possui em sua Batcaverna é invenção sua. Também podemos agir assim e, com nossos aparatos especiais, pensar que controlamos as adversidades, nos achando sábios o suficiente para não dependermos de ninguém.

Esse era o sentimento de Caim: autodeterminação, independência, quase onipotência. Embora Abel, por ser mais novo, não possuísse o direito sucessório, sua vida consagrada a Deus representava ameaça e crítica, sem palavras, à arrogância de Caim. Isso gerou em Caim um conflito com Deus. Em sua ira, só se preocupava em impedir que a oferta de Abel fosse novamente aceita.

Jesus considera assassino tanto quem mata quanto quem odeia (Mt 5:21,22), pois o sentimento que está por trás deles é o mesmo: eliminar a concorrência. Matamos as pessoas quando não queremos vê-las, não as perdoamos, e em nosso interior lhes desejamos o mal.

Deus alertou Caim para controlar os maus desejos em seu coração (vv.6,7). Se não queremos ser transformados, forçamos o mundo a se ajustar a nós e vemos todos como culpados de nossa dor.

Não adianta termos uma religião que cumpre todas as obrigações, mas que não gera transformação. Esse culto Deus não aceita. Espírito Santo, há tanto de Caim em meu ser. Entra em meu coração e transforma-me.

PRONTIDÃO NO OUVIR A DEUS E OBEDECER A SUA VOZ – Quarta semana de setembro

Texto: Tiago 1:19 (ORE ANTES DE MINISTRAR).

Introdução: Os nossos ouvidos estão sempre prontos a ouvir as coisas externas:

• tv; • filmes; • vídeos; • rádio; • Internet; • fofocas.

E a voz de Deus, será que temos ouvido e praticado?

1) Todo homem seja pronto para ouvir, Tg. 1:19: O homem deve estar pronto para ouvir e tardio em falar e irar-se. Nesta passagem, Tiago quer que sejamos prontos para ouvir, mas não só a voz dos homens, mas também a de Deus. Como Samuel disse: “fala Senhor porque o teu servo ouve” 1 Sm. 3:9-10. Lemos em Isaías 1:19: “Se quiseres e me ouvires comereis o melhor desta terra”.

2) Deus se manifesta de diversas maneiras: 2.1 – visão aberta (andando pela rua a qualquer hora do dia pode-se ter visões): 2Rs. 6:17; 2.2 – através de sonhos: Mt. 1:20; 2.3 – mediante a palavra: Rm. 10:17.

Conclusão: todos devem estar prontos a ouvir a Deus, pois ele se manifesta de diversas maneiras. E também deseja se manifestar em nossas vidas.

 

Igreja de Atos 3 – Unção e Poder – Terceira semana de setembro

Palavra
Objetivo: Mostrar como a unção de Deus é derramada sobre a vida dos seus filhos.

Contexto:

A unção que havia sobre os apóstolos foi o cumprimento da promessa de Jesus (At. 1:4) e conseqüência de fé e obediência.Os milagres e maravilhas que os apóstolos realizavam eram devido ao poder sobrenatural do Espírito Santo que havia descido sobre eles. (At. 2:4)Unção e o poder impulsionam e capacitam as pessoas a levarem as boas notícias do Evangelho. (Is. 61:1) (At. 1:8)O Espírito Santo é o único que pode curar as feridas da alma.Só a unção do Espírito Santo é capaz de liberar os escravos do pecado e os que estão vivendo oprimidos pelo inimigo.A unção restaura vidas (Is. 61:2, 3), consola (Jó. 14:18) e derrama alegria e paz (Jó. 14:27).

Conclusão: A obra do Senhor só pode ser realizada com unção e poder do Espírito Santo. Ter unção é contar com o respaldo de Deus para que Sua vontade seja feita em sua vida.

Aplicação: A unção e o poder do Espírito Santo são para todos aqueles que crêem, obedecem e apropriam-se da promessa de Deus.

 

Dica de quebra-gelo
Objetivo: Estimular a participação de todos por igual nas reuniões e evitar interrupções paralelas.

Desenvolvimento: O coordenador apresenta um tema a ser discutido pelo grupo. Baseado nesse tema, cada integrante tem trinta segundos para falar sobre o assunto apresentado, sendo que ninguém, em hipótese alguma, pode ultrapassar o tempo estipulado, ao mesmo tempo em que os outros integrantes devem manter-se em completo silêncio.
Se o comentário for concluído antes do término do tempo, todos devem manter-se em silêncio até o final desse tempo. Ao final, o tema pode ser, então, debatido livremente.

Conclusão: Sabemos respeitar e escutar (e não simplesmente ouvir) a opinião dos outros? Conseguimos sintetizar nossas opiniões de maneira clara e objetiva?

 

Frase para o líder
Liderar é a arte de construir relacionamentos com valores nobres e sobre bases sólidas!

Alfredo Martini Júnior