O Espírito Santo cura e purifica – Estudo da quarta semana de fevereiro

BASE: Ezequiel 36:23-30

INTRODUÇÃO:

Deus está levantando o Seu povo e a Sua Igreja para viver uma vida de pureza e santidade, a fim de que todas as nações testemunhem a Sua glória. Para isso, Ele tem derramado do Seu Espírito Santo sobre nossas vidas, para nos limpar de todo o pecado e fazer com que experimentemos um verdadeiro avivamento e o melhor desta terra.

DISCUSSÃO:

Deus tem muitos planos para nossas vidas e faz grandes promessas através do profeta Ezequiel. Vejamos:

 

1) Deus quer que a Sua santidade volte a habitar no meio do seu povo

Nós fazemos parte do plano de restauração de Deus, neste tempo (versículo 23). Para isso, Ele deseja que sejamos purificados (1 Pedro 1:14-16).

 

2) Deus está nos separando de um mundo cheio de pecados e perdição para nos levar ao Seu Reino

Do mesmo modo que Deus desejava que Israel ficasse longe das contaminações e dos pecados dos outros povos, Ele também espera que a Igreja de Cristo seja separada do mundo e de suas impurezas (versículo 24; 2 Coríntios 6:17-18).

 

3) Deus está nos purificando com as águas do Espírito Santo

Deus está curando todas as feridas, mágoas e enfermidades existem em nosso coração. Ele também nos convence a respeito do pecado, da Sua justiça e do juízo (João 16:8), através do Seu Espírito Santo (versículos 25-27).

 

4) Deus está preparando o melhor desta terra para os seus filhos amados (versículos 28-30)

Os planos do Senhor para nossas vidas de forma alguma serão frustrados! Ele guiará todo o nosso ser e transformará o Vale de Sitim dos nossos corações em um vale de bênçãos e prosperidade (Joel 3:18).

 

CONCLUSÃO:

Estamos vivendo o tempo em que Deus derrama sobre o seu povo uma nova unção, um tempo que precede um grande avivamento nesta nação. Assim, chegou a hora de cada um de nós, enquanto corpo de Cristo, nos reposicionar, buscando a cura e a santidade que só o Espírito Santo pode nos dar.

PARA REFLETIR:

. Você acredita que está vivendo plenamente em santidade? Por quê?

. Em sua opinião, o que significa ser separado do mundo?

. Você acha que seu coração está aberto para receber a cura, a purificação e a restauração que Deus te oferece por meio de Seu Santo Espírito?

. Você acredita que vale a pena continuar passando por esse processo de cura e santificação que Deus tem empreendido em cada um de nós, mesmo diante das lutas e dificuldades que costumam aparecer?

Lei da semeadura – Estudo da terceira semana de fevereiro

BASE: Gálatas 6:6-10

INTRODUÇÃO:

Reino de Deus é um Reino baseado em leis, princípios e limites. Todos nós sabemos que existe uma série de leis que conduzem o universo físico (leis físicas, biológicas, químicas, etc.), entretanto, há também o que podemos definir como leis espirituais.

DISCUSSÃO:

Ter conhecimento sobre a lei da semeadura é fundamental para aqueles que têm o desejo de plantar e colher bem. Deus, o Grande Agricultor, estabeleceu uma série de princípios para que sejamos prósperos em todas as nossas “lavouras” (vida espiritual, emocional, familiar e pessoal). Vamos a elas:

 

1) Para a lei da semeadura é necessário plantar a semente

a) É preciso que haja o desejo de semear (2 Coríntios 9:6, Mateus 13:13)

b) É preciso perder a semente para recebê-la de volta muitas vezes

c) A semente que não foi plantada é perdida (João 12:24)

d) O plantio da semente deve ser feita de forma sistemática (Eclesiastes 11:6)

e) Cuidado: mesmo quando se planta um boa semente, muitas vezes, a semente ruim plantada por outras pessoas terá a mesma aparência da boa. Porém, a colheita revelará o que é “trigo” e o que é “joio” (Mateus 13:24-30, 36-43).

 

2) Para a lei da semeadura é necessário plantar a boa semente

a) Deus nos deu o livre arbítrio para plantarmos aquilo que desejamos (Josué 24:15)

b) Podemos escolher dois tipos de sementes para plantar: as boas e as más (e seus frutos serão as consequências dessa escolha):

As boas são: mansidão, misericórdia, amor ao próximo, obediência, compaixão… Quem escolhe essas sementes, escolhe semear no espírito. Este terá a garantia de colher bons frutos (Salmos 92:14, 126:6)

As ruins são: a inveja, intrigas, ciúmes, ódio, fofocas, contendas, raiva… Quem escolhe essas sementes, escolhe semear na carne. Este, infelizmente, colherá frutos maus (Jó 4:8, Provérbios 22:8, Oséias 8:7).

 

3) A lei da semeadura é óbvia

a) Quem pouco planta, pouco colhe

b) Quem muito planta, muito colhe

c) Tudo o que fazemos durante a nossa vida é considerado por Deus como um plantio. Seja para o bem, ou seja para o mal, um dia vamos colher tudo aquilo que semeamos em nossa “plantação”

d) Por causa desta lei, sempre vamos colher muito mais do que plantamos. Se plantamos um grão de feijão, colheremos centenas e centenas de novos grãos; se plantamos uma sementinha de maçã, vamos colher diversas maças durante muito anos. Existe um adágio popular que diz que “quem planta vento, colhe tempestade”, então, ninguém colhe apenas o que semeou, e sim muitas vezes mais.

CONCLUSÃO:

Você e eu fomos criados por Deus para dar bons frutos para Ele. Se dedicarmos um momento que seja fazendo o bem a alguém, o resultado dessa semeadura pode durar para sempre. Porém, se optarmos por fazer algum mal a qualquer pessoa que seja, colheremos algo que poderá nos fazer sofrer por muitos anos.

PARA REFLETIR:

. Que tipo de sementes você tem plantado durante a sua vida?

. Você se preocupa com os frutos que vai colher no futuro?

Amizade verdadeira – Estudo da Segunda semana de fevereiro

BASE: Provérbios 17:17

INTRODUÇÃO:

Uma das maiores dádivas na vida de uma pessoa é uma amizade verdadeira. Os amigos são entes muito queridos que, muitas vezes, são tão importantes quanto os nossos familiares. No entanto, nem toda a amizade é sadia e, por isso, agradável a Deus. Muitas amizades podem nos conduzir ao pecado, às coisas do mal e não ao bem. São amizades perniciosas, que insistem em levar o outro ao erro por meio de palavras, gestos, planos, etc. Esse é o tipo de amizade plantada por Satanás e que só prejudica as pessoas.

DISCUSSÃO:

Diante dessas afirmações, vamos analisar o que a Palavra de Deus nos fala a respeito da amizade:

Provérbios 18:24 nos mostra que existe um tipo de amigo que é aproveitador, interesseiro. Quem tem um amigo assim vai, mais cedo ou mais tarde, ter sérios problemas. No entanto, existem amigos que são mais íntimos que um irmão, ou seja, que está sempre disposto em oferecer e não receber;

Mateus 11:19 aponta que Jesus é visto como amigo dos pecadores, era o amigo certo em todas as horas. Ele é o amigo que ama os perdidos, os caídos, e que os ajuda a se erguerem para Deus;

Provérbios 13:20 deixa bem claro a diferença entre o amigo e o companheiro;

Provérbios 28:7 afirma que o amigo não nos acompanha no pecado, já o companheiro que acompanha no mal se torna cúmplice do pecado;

Habacuque 2:15 mostra que o companheiro da mentira tem objetivos malignos, enquanto Provérbios 10:12 diz que o amor cobre todas as transgressões;

Gênesis 9:20-25 compara a atitude de Cam com a de seus outros irmãos perante o pai embriagado, mostrando que o amigo verdadeiro não zomba, não coloca o outro em situações humilhantes e não fala mal.

Como podemos identificar uma amizade firmada em coisas más:

. O falso amigo fala mal dos irmãos;

. Fala mal da liderança da igreja;

. Cria e espalha fofocas;

. Semeia a discórdia entre irmãos (Provérbios 6:16-19).

E como são as amizades firmadas na fé em Cristo e aprovadas por Deus:

. Eles são amigos para orarem por si mesmos;

. Oram pelos outros;

. Ajudam o próximo;

. Aconselham e buscam conselhos segundo a Palavra de Deus;

. Amam a Cristo mais do que a si mesmos.

Vejamos o exemplo de uma amizade verdadeira:

. 1 Samuel 18:1-4 fala sobre a característica dessa amizade;

. Salmos 133: 1-3 aponta a amizade como uma união espiritual.

CONCLUSÃO:

Os amigos de verdade se amam, se identificam. Eles compartilham seus problemas, seus medos, suas angústias e tristezas. E, juntos, buscam soluções. Entre eles há um propósito muito sério. A amizade verdadeira leva o outro a ser bem sucedido, a se portar com prudência, a ser vitorioso e a conquistar o respeito dos outros. Já a amizade que causa ódio, brigas, intrigas e maledicência entre os irmãos não é sadia e deve ser evitada, pois Deus não está naquele meio.

1 Tessalonicenses 4:9 e 1 Pedro 1:22-23 mostram que a amizade verdadeira deve ser pura e santa.

PARA REFLETIR:

. Como Deus vê a amizade?

. Como costuma ser a amizade do mundo?

. Temos mais amigos ou companheiros (Provérbios 13:20)? Qual é a diferença entre eles?

. Como deve ser o amigo (Provérbios 28:7; Rute 1:16-17)?

. Você acredita que Deus aprova as suas amizades?

Reconheça os seus pecados – Terceira lição de Janeiro = 03

BASE: Lucas 15:25-32

INTRODUÇÃO: 

Esta passagem acima fala da postura egoísta do irmão mais velho em relação ao filho pródigo. Ao invés de se alegrar com a volta do irmão que havia abandonado a família e se entregado aos prazeres do mundo, ele prefere questionar a felicidade de seu pai.

DISCUSSÃO: 

Para confrontar os escribas e fariseus que O condenavam por atender pecadores e comer com eles, Jesus conta a parábola do filho pródigo. Assim como aquele irmão mais velho, nós cristãos, podemos cometer três erros muito graves:

1º – Ignorar a prática do perdão ensinada por Jesus.

2º – Murmurar contra Deus, como fez o povo no deserto liderado por Moisés.

3º – Permitir que a vaidade nos impeça de enxergar os nossos erros.

Jesus contou essa parábola querendo que aqueles ouvintes se identificassem com o filho mais velho, que estava “certo” aos seus olhos, mas estava totalmente errado aos olhos de Deus. Vejamos os três erros cometidos por ele:

1) Ele acusou o seu irmão (versículo 30)

Aos olhos do Senhor, o irmão mais velho errou ao julgar o irmão mais novo. Por causa da escolha do rapaz em pegar a parte da herança e ir para outro país, ele não o considerava mais como um membro da família e o condenava como uma pessoa perdida. O egoísmo tomou conta do seu coração.

O pai, porém, enxergou a situação com sabedoria (versículo 32). Esse ato reflete a misericórdia que Deus tem com os seus filhos. O que seria de Moisés, Davi e Pedro se o Senhor não fosse misericordioso? Assim como o irmão mais velho, erramos quando não sabemos distinguir um pecador perdido de um pecador arrependido. (Mateus 18:21-22).

2) Ele condenou a postura do pai (versículos 28-29)

Se não fosse suficiente ter acusado o irmão, o irmão mais velho cometeu um grande erro ao murmurar contra o pai e reclamar de um suposto tratamento desigual que ele fazia entre os dois filhos. Ele se sentia injustiçado com aquela situação, porém, o pai, fez questão de mostrar a ele que o amava da mesma forma (versículo 31).

A Bíblia conta que os hebreus reclamaram contra Deus no deserto, duvidando se Ele realmente estava presente e se Ele realmente iria cumprir as promessas que havia feito aos seus antepassados, e por causa disso, pagaram um preço muito caro e não pisaram na terra prometida. A Palavra diz que, isso que aconteceu com eles é um alerta para nós não ficarmos murmurando contra Deus (1 Coríntios 10:10-11).

3) Ele se achava justo e perfeito (versículo 29)

Vamos ler a história da parábola do jovem rico, que está registrada em Lucas 18:18-23. Perceberam a semelhança entre os dois? Assim como o rapaz rico, o irmão mais velho se julgava uma pessoa sem erros. No entanto, esse falso senso de justiça própria é muito perigoso.

O terceiro erro deste filho foi acreditar que estava certo. Ele foi soberbo e não teve humildade suficiente para reconhecer que estava errado ao pensar aquelas coisas do irmão, do pai, dele mesmo e, principalmente de Deus. (Provérbios 16:18).

CONCLUSÃO:

Como seres humanos que somos, podemos achar que o erro é sempre do outro. A culpa sempre é do nosso irmão, dos nossos pais, de Deus… De qualquer um, menos nossa! E é exatamente aí que mora o pecado. Ao nos fazermos de vítimas e não reconhecer nossos erros, nos afastamos de Deus e de Sua glória.

A Bíblia mostra que os grandes homens de Deus tiveram, acima de qualquer coisa, humildade. Vejamos alguns exemplos: Moisés: Êxodo 3:11; Gideão: Juízes 6:14-15; Jeremias 1:5; Pedro: Lucas 5; Paulo: 2 Coríntios 12:7-10. Sejamos como eles!

PARA REFLETIR:

. Você tem se recusado a liberar perdão para algum irmão?

. O pecado da murmuração faz parte da sua vida?

. Você tem duvidado da fidelidade e da justiça do Senhor?

. Você acha que os méritos de sua salvação vêm do sangue de Jesus ou de sua justiça própria?

LEMBRETE:

UMA CÉLULA VITORIOSA É AQUELA QUE GERA VIDAS!

Desafiando gigantes – Segunda lição de Janeiro = 02

BASE: 1 Samuel 17:36-37

INTRODUÇÃO:

O capítulo 17 do livro de 1 Samuel nos mostra como Davi, um jovem pastor de ovelhas, derrotou Golias, o gigante guerreiro filisteu que aterrorizava o exército e o povo de Israel. Com uma funda, Davi atirou uma pedra na cabeça do desafiante e, após matá-lo, arrancou a cabeça do inimigo.

DISCUSSÃO:

Contudo, para que Golias fosse derrotado, o jovem Davi teve que passar por outras situações que o ajudaram na tomada de posições e atitudes que fizeram toda a diferença e permitiram que ele desafiasse aquele gigante. É provável que você também esteja lutando contra alguns gigantes, que estão te desafiando em questões financeiras, familiares, de saúde, trabalho, etc. Vamos, então, aprender com Davi a derrubar qualquer um deles:

1) Sempre acredite no livramento do Senhor

Davi acreditava que o mesmo Deus que o capacitou para matar um urso e um leão também o capacitaria diante de Golias; e ele acertou ao acreditar nisso. O Senhor está sempre disposto a dar a vitória àqueles que passam a vida desafiando gigantes em Seu nome. Isso agrada o coração do Pai. Ao permitir que Jesus fosse levado à cruz, Deus entregou em nossas mãos as pedras necessárias para que todos os “Golias” fossem derrubados.

A luta pela qual você está passando é muito grande? Você olha para os lados e não consegue enxergar nenhuma solução? A situação é muito impossível? Lembre-se que a sua vitória é certa, pois já foi conquistada na cruz.

A luta vai passar, o deserto chegará ao fim e você, outra vez, sairá vitorioso dessa batalha. Basta acreditar que Deus pode todas as coisas (Filipenses 4:13).

2) A batalha é do Senhor

Ao afrontar o exército de Israel, Golias não afrontou um exército qualquer; Ele desafiou o exército do Deus vivo! Os filisteus acreditavam que aquele povo era um povo qualquer, mas não era! Aquele era o povo eleito pelo Senhor dos senhores! Da mesma forma, nós somos aqueles que carregam a marca de Jesus e não somos qualquer um. Fazemos parte de um exército cujo Senhor nunca perdeu uma batalha sequer. No dicionário de Deus não existe a palavra derrota!

Quando estiver desafiando gigantes, lembre-se que você não está sozinho, que é muito importante para Deus. Satanás sabe que já foi derrotado pelo sangue de Cristo, mas, mesmo assim, tenta desviar a sua atenção para que você não enxergue a vitória. Ele usa as dificuldades e as aflições para que você desista. Ele usa seus gigantes para confundi-lo, porém, se você se lembrar que o Senhor peleja por aqueles que O ama, Ele vai lutar por você (Deuteronômio 20:4)!

3) Não encare seu problema como um gigante

Ao lermos todo o capítulo 17 de 1 Samuel, podemos notar que, em momento algum, Davi o chamou de gigante; ele sempre se referia a Golias como um filisteu, um homem comum que estava prestes a ser derrotado e degolado. Davi colocou seu adversário no mesmo nível do leão e do urso que havia derrotado antes, o encarou como mais um obstáculo a ser vencido.

Essa postura de Davi nos ensina que não se deve dar maior importância ao problema do que aquela que ele merece. Não o encare como um gigante. Se a prova está diante de você é para que você passe por ela e seja aprovado. Deus já te concedeu muitas vitórias antes, por isso tenha a certeza de que Ele te concederá outras (2 Coríntios 4:17).

CONCLUSÃO:

Se você ainda está olhando somente para o tamanho do seu problema, volte os seus olhos para o céu agora mesmo e lembre-se que existe um Deus que quer lutar no seu lugar. Um Deus que te diz: “atire a pedra, meu filho, Eu te darei a vitória!”. Creia que, pelo sangue do Cordeiro, você poderá continuar desafiando gigantes.

PARA REFLETIR:

. Qual é o maior gigante que você tem enfrentado ultimamente?

. Você acredita que pode derrotar esse gigante? Como?

. Você tem dado ao seu problema uma importância maior do que ele realmente merece?

. Quando um gigante te desafia, você costuma se lembrar que Deus, através de Jesus Cristo, já te deu a vitória?

Lembrete:

DIAS 10 A 13 CONFERENCIA DE AVIVAMENTO.

ORE POR MAIS DE DEUS NA VIDA DE CADA DISCÍPULO.

 

Deus quer te dar um recomeço – Primeira lição de Janeiro 2018 = 01

 BASE: Rute 1:16-17

INTRODUÇÃO:

Certa vez, nos tempos dos juízes, aconteceu uma grande fome na terra. Diante disso, Elimeleque, sua esposa Noemi e seus dois filhos (Malom e Quiliom) deixaram a casa em Belém para peregrinar pelos campos de Moabe. Lá, os rapazes de casaram com duas moabitas (Rute e Orfa).  Porém, os três homens da família morreram, restando apenas as três viúvas. Começou então, um grande drama familiar.

DISCUSSÃO:

Por mais que a família de Elimeleque houvesse errado, Deus não abandou Noemi nem as suas noras e lhes deu um novo começo. Diante desta história, vamos aprender mais sobre a restauração de Deus ao que foi destruído em nossas vidas:

1) As escolhas para o recomeço (Rute 1:5)

Diante daquela tragédia, Noemi tinha duas opções: reconhecer que sua família errou ao deixar Belém (que significa “casa do pão”) contra a vontade de Deus, para se aventurar em uma terra idólatra e voltar para o seu povo; ou então seguir adiante em Moabe, longe dos cuidados do Senhor.

Tenho certeza que você já passou por situação parecida, não é mesmo? Não é nada fácil olhar para trás e ver que tomamos a decisão errada, que escolhemos sair da presença de Deus. Mais difícil ainda é ter que olhar para frente e decidir qual caminho tomaremos para recomeçar.

2) Aprenda a recomeçar, apesar das perdas (Rute 1:5-6)

Logo após a morte dos homens da casa, Noemi ficou desamparada. Não tinha ninguém a quem recorrer. Então, ela toma uma atitude que mudou os rumos de sua vida: ela decide voltar para sua terra em busca do recomeço e pede para que suas noras retornem para suas famílias.

Noemi nos ensina uma grande lição nesse momento: ela teve humildade para reconhecer que havia errado e decidiu voltar ao lugar aonde Deus operava.

3) Aprenda a amar incondicionalmente (Rute 1:11-16)

Enquanto Orfa voltou para os seus familiares, Rute, por amor, abandonou o seu povo e os deuses dos moabitas para acompanhar a sogra (já idosa). Rute decidiu enfrentar uma mudança radical em sua vida, cortando os laços com o passado e até com a sua nação, para seguir com Noemi para Belém. Ela disse: “Aonde fores irei, onde ficares ficarei! O teu povo será o meu povo e o teu Deus será o meu Deus!” (versículo 16).

Esta é, com certeza, uma das maiores declarações de amor e de renúncia encontradas em toda a Bíblia. E é exatamente essa essência que deve caracterizar todos aqueles que decidem recomeçar a vida com Cristo (Lucas 9:62).

4) Deixe Deus te dar um recomeço  (Rute 4: 13-17, Deuteronômio 25:5-10)

Deus disse em Deuteronômio 23:3 que nenhum amonita ou moabita entraria na Sua congregação. Ainda assim, a fé que Rute tinha no Deus de Israel a salvou (mesmo sendo estrangeira e vinda de um povo idólatra). Ela permitiu que o Senhor lhe desse um recomeço e, como recompensa, se tornou mãe de Obede, bisavô de Davi.

CONCLUSÃO:

Quem poderia imaginar que Rute teria um recomeço de vida tão maravilhoso? De estrangeira viúva, ela se tornou integrante da árvore genealógica de Jesus (Mateus 1:5)! Quando Rute passou pelo pior momento de sua vida, ela tinha tudo para voltar para o seu povo idólatra, mas escolheu seguir os caminhos de Deus e, por isso, recebeu uma recompensa muito maior do que poderia imaginar!

PARA REFLETIR:

. Qual é a maior dificuldade que você encontra quando percebe que tomou uma decisão errada?

. Você ama a Deus a ponto de virar as costas para o seu passado e caminhar na direção dEle?

. Você já permitiu que Deus te dê um recomeço? Se não, o que te falta?

 

QUEBRA GELO:

Objetivo: Partilha dos sentimentos.

Desenvolvimento: O ambiente deve ser silencioso. Cada um deve pensar em alguém que lhe seja muito importante, para quem gostaria de dar atenção em todos os momentos, alguém que se ama de verdade, que merece todo cuidado.

Entrar em contato com essa pessoa através do pensamento e refletir sobre os motivos que os tornam tão amada.

(Deixar tempo para interiorização).

Agora cada um vai encontrar a pessoa que realmente tem um grande significado especial na sua vida e é responsável pelos seus sucessos e fracassos.

Cada um, em silêncio, se dirige até uma caixa que o instrutor preparou previamente e olha a tampa. A seguir, volta em silêncio para seu lugar.

Depois se faz a partilha dos próprios sentimentos, das reflexões e conclusões de cada um.

Dentro da caixa, colado na tampa tem um espelho. Para que a pessoa chegue a conclusão que a pessoa que mais merece sua atenção e cuidado é aquela que está refletida no espelho, ou seja: a si mesmo.

Palavra de Deus: Lc 12.1-3 Sl 131

Lembrete:

10 a 13 de fevereiro = Conferencia de Avivamento – PAIXÃO

Será um tempo de investimento na vida de cada discípulo.

 

“PERSEVERAR NA BENÇÃO” 04/11

“PERSEVERAR NA BENÇÃO”

Texto: Apocalipse 3:11 (ORE ANTES DE MINISTRAR).

Introdução: Deus tem nos abençoado sobremaneira nestes dias. Temos sido abençoados em várias áreas da nossa vida: vida espiritual, saúde física, prosperidade, vida familiar, vida na igreja. Nossa vida , nestes dias, tem experimentado um pouquinho do poder de Deus. O que nós precisamos é tomar cuidado para não deixar a benção ser roubada de nós.

1º) Deus nos deu a Benção. Ef. 1:3:
1.1 – A benção da salvação completa. Hb. 2:1-4
1.2 – A benção da fé. 1Jo. 2:20-27; Ap. 12:11; Lc. 10:19; Sl. 91:7; Pv. 3:26; Dn. 11:32; 2Co. 2:14; Ne. 8:10.

2º) O diabo é o ladrão da benção. Jo. 10:10:
2.1 – Ele quer roubar o ouro precioso: Sl. 19:7-10;
2.2 – É preciso vigiar constantemente: 2Jo. 8;
2.3 – A soberba rouba a benção: 1Tm. 3:6;
2.4 – A língua faz perder a benção: Tg. 3:1-12;
2.5 – O cuidado com o espírito de engano: Gl 3:1-5.

3º)O mundo (sistema mundial corrupto) também rouba a benção: 1Jo. 2:15-17.
3.1 – É preciso fugir das paixões da mocidade: 2Tm. 2:22;
3.2 – É preciso cuidado para não trocar a benção: Lc. 15-21;
3.3 – As obras da carne roubam a benção: Gl. 5:16-21;
3.4 – O amor ao dinheiro rouba a benção: I Tm. 6:9,10.

Conclusão: Tome posse desta palavra de Deus para a tua vida. Não deixe o inimigo roubar a benção. Persevere na palavra.

“APRENDENDO A VIVER NO SOBRENATURAL” – PARTE C – 03/11

“APRENDENDO A VIVER NO SOBRENATURAL” – PARTE C

Texto: Deuteronômio 30:1-10 (ORE ANTES DE MINISTRAR).

Introdução: Para viver um vida no Sobrenatural, precisamos viver uma vida controlada pelo Espírito Santo. O Senhor quer que tenhamos uma vida devocional (oração, Palavra, jejum, etc.) para sermos melhores para Ele e para melhor serví-lo.

3º) DAR O MELHOR PARA DEUS:
Não podemos ser adoradores se vivermos uma vida quebrando princípios da Palavra de Deus. só podemos sentir verdadeiramente à presença de Deus, se cumprirmos fielmente a Palavra. Um desses princípios é o do DÍZIMO:
3.1 – O Dízimo: Ml. 3:8-11;
3.2 – O Dízimo é do Senhor: Lv. 27:30;
3.3 – O que damos à Deus vem de Suas próprias mãos: 1Cr. 29:14;
3.4 – Deus nos dá poder para adquirir riquezas: Dt. 8:18;
3.5 – A lei da semeadura e da colheita: Lc. 6:38; Lc. 6:10-12;
3.6 – De onde virá o sustento: Pv. 13:22, Pv. 28:8;
3.7 – O dinheiro do ímpio vai para as mãos dos justos: Ec. 2:26, Jó. 27:13-17;
3.8 – Deus supre as nossas necessidades em glória: Fp. 4:19

Conclusão: O CRISTÃO FIEL EM TODOS OS PRINCÍPIOS DA BÍBLIA SEM DÚVIDA ALGUMA, VIVERÁ NA ESFERA SOBRENATURAL DE DEUS, SENTIRÁ A PRESENÇA DE DEUS, E PROSPERARÁ EM TODAS AS ÁREAS.

“APRENDENDO A VIVER NO SOBRENATURAL” – PARTE B – 02/11

“APRENDENDO A VIVER NO SOBRENATURAL” – PARTE B

Texto: Deuteronômio 30:1-10 (ORE ANTES DE MINISTRAR).

Introdução: Para viver um vida no Sobrenatural, precisamos viver uma vida controlada pelo Espírito Santo. O Senhor quer que tenhamos uma vida devocional (oração, Palavra, jejum, etc.) para sermos melhores para Ele e para melhor serví-lo.

2º) PERMANECER FIEL EM DEUS:
2.1- Entendendo a nossa posição em Cristo: Nm. 13:1-3; Nm. 13:25-33;
2.2 – O Senhor nos vê como gigantes;
2.3 – Onde estamos assentados espiritualmente: Ef. 2:4-6;
2.4 – Sou cabeça e não cauda: Dt. 28:13;
2.5 – Não voltar a ser comida da serpente: Gn. 3:14;
2.6 – Sou valoroso: Jz. 6:1-3; Jz. 6:11-19;
2.7 – Aprendendo a usar as armas certas: (o nome de Jesus – Mc. 16:16-18 ) ; (o sangue de Jesus – Ap. 12:10,11 ) ; (os anjos do Senhor – Hb. 1:13,14 ; Sl. 91:11) ; (a unção com óleo – Is. 10:27);
2.8 – Obedecer ao ide de Jesus: Mt. 28:19,20 ; Mc. 16:15 ; Mt. 9:35-38 ; Jo. 4:35;
2.9 – Vida de testemunho fiel ao Senhor: 2Tm. 2:15; 2Tm. 2:23,24; Hb. 12:1-3;
2.10 – Ser referência para os outros: 2Tm. 2:1,2;
2.11 – Ser fiel nos dízimos e ofertas missionárias: Ml. 3:8-11; Lc. 6:38; Pv. 11:24;
2.12 – Vida de oração: Jr. 29:12,13; Jr. 33:3; 1Ts. 5:17; Mt. 7:7,8;
2.13 – Aprendendo adorar ao Senhor: Jo. 4:23-24.

Conclusão: Quais os embaraços e laços que precisam ser eliminados na minha vida hoje? Necessito controlar minha língua. Renunciar pecados e maldições, melhorar minha vida devocional e testemunhar no Espírito Santo, tome posse hoje da vida sobrenatural do Senhor.

“APRENDENDO A VIVER NO SOBRENATURAL” – PARTE A – 01/11

“APRENDENDO A VIVER NO SOBRENATURAL” – PARTE A

Texto: Deuteronômio 30:1-10 (ORE ANTES DE MINISTRAR).

Introdução: Para viver um vida no Sobrenatural, precisamos viver uma vida controlada pelo Espírito Santo. O Senhor quer que tenhamos uma vida devocional (oração, Palavra, jejum, etc.) para sermos melhores para Ele e para melhor serví-lo.

1º) SER O MELHOR PARA DEUS:
1.1 – Viver sem embaraços: Hb. 12:1;
1.2 – Eliminar os laços: 1Tm. 3:7; At. 8:22,23;
1.3 – Ter bom testemunho de todos: At. 22:12;
1.4 – O testemunho requer renúncias: Mt. 16:24;
1.5 – O bom testemunho através da língua: 2Tm. 2:14-18;
1.6 – Testemunhando no silêncio: Sl. 46:10;
1.7 – Melhorando a vida espiritual.1Rs. 19:1-14;
1.8 – Testemunhando no Espírito: Gl. 5:16-25;
1.9 – Hora de ouvir a Deus. Jn. 1:1-3;
1.10 – Viver no centro da vontade de Deus. Gl. 2:19,20; Fp. 3:12-17; 3:7,8.

Conclusão: Quais os embaraços e laços que precisam ser eliminados na minha vida hoje? Necessito controlar minha língua. Renunciar pecados e maldições, melhorar minha vida devocional e testemunhar no Espírito Santo, tome posse hoje da vida sobrenatural do Senhor.

O QUE EU ERA E O QUE EU SOU AGORA – Estudo para Células nº 04/10

Estudo para Células nº 04/10

“O QUE EU ERA E O QUE EU SOU AGORA”

Texto: Salmo 14:2,3 (ORE ANTES DE MINISTRAR).
Introdução: Preciso ter conhecimento da minha verdadeira posição em Cristo. Antes, eu era escravo dos meus próprios desejos, hoje sou controlado pelo Espírito Santo de Deus.

1º) Ele se fez filho do homem, para que eu me tornasse filho de Deus: Gl. 4:4 e Jo. 1:12.

2º) Ele participou da minha natureza humana para que eu fosse participante da sua natureza divina: Fl. 2:6,7 com 2Pe. 1:4.

3º) Ele se tornou em tudo semelhante a mim, para que eu me tornasse em tudo semelhante a Ele: Hb. 2:17 com Rm. 8:29.

4º) Ele recebeu a minha punição, para que eu fosse perdoado: Is. 53:3,4.

5º) Ele foi ferido, para que eu fosse sarado: Is. 53:4,5.

6º) Ele se fez pecado, para que eu fosse feito justiça de Deus: 2Co. 5:21.

7º) Ele morreu a minha morte, para que eu recebesse a sua vida: Hb. 2:9.

8º) Ele se fez maldição em meu lugar, para que eu fosse participante da benção:Gl. 3:13.

9º) Ele se fez pobreza para que eu compartilhasse da sua abundância: 2Co. 8:9 e 9:8.

10º) Ele sofreu a minha vergonha, para que eu participasse da sua Glória: Mt. 27:35,36.

11º) Ele sofreu rejeição para que eu tivesse a sua aceitação com o Pai: Mt. 27:46 e Ef. 1:5.

12º) Ele foi cortado pela morte, para que eu fosse unido à Deus para sempre: Is. 53:8.

13º) Ele tomou o meu corpo humano, para me dar o seu Espírito Divino: Hb. 10:5 e At. 5:32.

14º) Meu velho homem morreu com Ele,para que eu ande com Ele em novidade de vida e o novo homem em mim se manifeste: Rm. 6:6; Cl. 3:9,10.

Conclusão: tome hoje, a sua posição real em Cristo e viva a unção de conquista e multiplicação que o Senhor te deu.

ENFRAQUECIMENTO ESPIRITUAL – Estudo para Células nº 03/10

Estudo para Células nº 03/10

“ENFRAQUECIMENTO ESPIRITUAL”

Texto: Hebreus 12:1-3 (ORE ANTES DE MINISTRAR).
Introdução: O que é enfraquecimento espiritual? O que causa o enfraquecimento espiritual? Como voltar a ser forte espiritualmente novamente?

1º) O que causa o enfraquecimento espiritual?
1.1: deixar de olhar para Jesus: Hb. 12:2;
1.2: perda da simplicidade do evangelho: Rm. 14:13-20;
1.3: perda do discernimento espiritual: Gn. 2:22-25; Gn. 3:1-10.

2º) Qual o comportamento do fraco espiritual?
2.1: ira, nervosismo, rosto diferente, fuga, críticas: Gl. 5:16;
2.2: desconfiança espiritual: Tg. 3:1-10;
2.3: perda do compromisso, responsabilidade, temor, fé: 2Tm. 4:10;
2.4: apego às coisas materiais: Pv. 11:24-28.

3º) Por quê acontece o enfraquecimento espiritual?
3.1: más companhias: pv.13:20; 1Jo.4:1;
3.2: inveja, ciúmes, pecados ocultos: Sl. 66:18; Sl 32:1-5;
3.3: desobediência a Deus: 1Sm. 15:23.

4º) Quem tira proveito do enfraquecimento espiritual?
4.1: o diabo, os demônios : 1Pe. 5:8; Tg. 4:7;
4.3: as falsas religiões: 1Pe. 3:15;
4.4: incrédulos que não querem Jesus: Hb. 12:1,2;
4.5: “crentes” frios e rebeldes: 1Co. 3:1-3.

5º) Quem é atingido com o enfraquecimento espiritual?
5.1: Deus (Pai, Filho Jesus Cristo e o Espírito Santo) 1Co. 15:58;
5.2: líderes da igreja (pastor, líderes de células e de macro-células): Fp. 2:25-30; Cl. 4:12;
5.2: a igreja; família; sociedade: Hb. 10:25.

6º) Como voltar a ser forte espiritualmente?
6.1: perdão e arrependimento: Sl. 32 (todo o salmo);
6.2: tomar sua posição em cristo: Ap. 2:1-5;
6.3: congregar; dizimar; ofertar: Mt. 22:23; Ml. 3:8-12;
6.4: praticar a palavra: Tg. 1:22;
6.5: orar e jejuar: Lc. 18:1; 1Ts. 5:17; Mt. 26:41;
6.6: fortalecer a célula principal, que é a família: 1Pe. 3:1-7;
6.7: pagar todas as dívidas: Rm. 13:8;
6.8: tomar cuidado com as palavras: Mt. 12:36,37;
6.9: andar só com sábios espirituais:Pv. 13:20;
6.10: não ignorar a batalha espiritual: Ef. 6:10-18;

Conclusão: todo nós, cristãos, passamos por provas e lutas e devemos tirar proveito para nossa edificação espiritual. Determinadas batalhas só servem para nosso fortalecimento espiritual. Não adianta se desviar do Senhor e da Igreja. Não adianta mudar de Igreja. É preciso mudar o nosso comportamento. Não adianta abandonar os cargos e posições. Não adianta fugir do compromisso. Quando se sentir fraco, confia no Senhor. Ne. 8:10 e Jl. 3:10.

PEQUENAS COISAS QUE PODEM TIRAR A NOSSA PAZ COM DEUS – Estudo para Células nº 02/10

Estudo para Células nº 02/10

“PEQUENAS COISAS QUE PODEM TIRAR A NOSSA PAZ COM DEUS”

Texto: Cantares de Salomão 2:15 (ORE ANTES DE MINISTRAR).
Introdução: Nossa vida espiritual pode muito bem ser comparada a uma vinha que está em flor. As “Rapozinhas”, na verdade, são pequenas coisas, e às vezes, aos nossos olhos, coisas insignificantes, que, se não forem tratadas, danificarão as flores da vinha, impedindo nossa frutificação e multiplicação.

1º) Não podemos ignorar as pequenas coisas: Zc. 4:10;
2º) Nada começa grande, mas pequeno: 1Co. 5:6; Gl. 5:9;
3º) Cuidado para não tropeçar em pequenas coisas: Tg. 2:10; Jo. 11:19;
4º) Pequenas coisas atrapalham as grandes: 2Co. 11:3; 1Sm. 17:32-47;
5º) Pequenas coisas em cada discípulo se transformam em coisas gigantescas: Jz. 5:1-8; Jz. 3:7-11; Jz. 3:12-14;
6º) Pequenas coisas abrem legalidades à Satanás: 1Pe .5:8; Tg. 4:6-7; Jo. 13:21-30; Jo. 12:1-6;
7º) O diabo trabalha no sentido de derrubar o Cristão. Sua função é: roubar , matar, destruir: Jo. 10:10; Ef. 6:10-18.

Lista de pequenas coisas que podem tirar a nossa Paz:
1. Passar o sinal vermelho.
2. Assistir novelas ou filmes indecorosos.
3. Comer demais, beber muito café, beber muito refrigerante.
4. Gritar com os filhos.
5. Faltar nos cultos da igreja.
6. Não entregar ofertas para missionários.
7. Usar roupas provocantes.
8. Usar perfumes e cosméticos provocantes.
9. Discutir com o cônjuge e não pedir perdão.
10. Preguiça, dormir demais.
11. Criticar os patrões, chefes, a empresa, o Presidente, etc….
12. Não cumprimentar aos irmãos.
13. Não conservar limpa a casa.
14. Desanimar por qualquer coisa.
15. Perder oportunidades de falar de Jesus.
16. Criticar o tempo, murmurar por causa do calor, frio, chuvas.
17. Não querer andar a pé.
Lista de coisas mais graves:
1. Não orar, não ler a Bíblia.
2. Não falar de Jesus, não buscar o desviado.
3. Criticar a visão que Deus deu ao Pastor e à Igreja.
4. Não entregar o dízimo e as ofertas missionárias.
5. Fofocar, criticar, murmurar etc…
6. Faltar aos cultos constantemente.
7. Não respeitar nenhuma autoridade humana.
8. Falar mal da obra do Espírito Santo.
9. Brigar com o cônjuge e não se reconciliar.
10. Cobiçar o cônjuge alheio.
11. Não se reconciliar com o irmão.
12. Não pagar as dívidas, não dar justificativas.
13. Abandonar o chamado de Deus.
14. Voltar ao vício da mentira.
15. Voltar ao vício da masturbação.
16. Voltar a sentir rancor pelas pessoas .
17. Voltar aos traumas,complexos e problemas psicológicos.
18. Ignorar a batalha espiritual.
19. Achar que é mais espiritual que os demais
20. Não se esforçar para conhecer a Palavra de Deus.
21. Não

CURADOS PARA CONQUISTAR / Estudo para Células nº 01/10

Estudo para Células nº 01/10

“CURADOS PARA CONQUISTAR”

Texto: 2 Timóteo 2:4 (ORE ANTES DE MINISTRAR).
Introdução:temos uma nação para conquistar; e há no exercito do Senhor muitos soldados feridos. Nestes dias o Senhor Jesus está levantando um exército curado, com capacidade e habilidade para invadir e conquistar almas para o Senhor.

1º) RETIRAR OS CONQUISTADORES DAS CAVERNAS:
1.1 – chamados da caverna: 1Sm. 22:1,2;
1.2 – tornando-se valentes: 2Sm. 23:8.

2º) SAIR DA MEDIOCRIDADE:
2.1 – ignorar os fatos: Jz. 6:11;
2.2 – não esconder mais: Jz. 6:11-16.

3º) SAIR DA INVEJA:
3.1 – aprender a se conformar com a vitória dos outros: 1Sm. 18:5-9;
3.2 – quando há interferência dos demônios: 1Sm. 19:8-10.

4º) TIRAR O ESPÍRITO DE GRANDEZA:
4.1 – tirar a idéia de que “sou o melhor”: Mt. 20:20-28;
4.2 – servir acima de tudo: Mt. 20:26-28.

Conclusão: Permita que o Espírito Santo possa curar a tua alma, transformando-o em um soldado curado e preparado para conquistar almas para o Senhor Jesus.
20

OS QUATRO TIPOS DE CORAÇÃO – Ultima de Setembro

“OS QUATRO TIPOS DE CORAÇÃO”

Texto: Mateus 13:1-9 e 19-23 (ORE ANTES DE MINISTRAR).
Introdução: Há quatro tipos de Corações. O que Rejeita a Cristo, o que Despreza a Cristo, o que Ignora a Cristo e o que Entrega-se totalmente à Cristo.

1º) O CORAÇÃO “BEIRA DO CAMINHO”:
1.1 – Um coração Pisado: Mt. 13:04 e Mt. 13:19;
1.2 – Um coração Infrutífero e Dominador: Mt. 13:4 e Mt. 13:19;
1.3 – Um coração Egoísta: Mt. 13:4 e Mt. 13:19.

2º) O CORAÇÃO “PEDREGOSO”:
2.1 – Um coração sem Profundidade: Mt. 13:6 e Mt. 13:21;
2.2 – Um coração Emotivo e Fraco: Mt. 13:5 e Mt. 13:20;
2.3 – Um coração Inconstante: Mt. 13:6 e Mt. 13:21.

3º) O CORAÇÃO “ESPINHOSO”:
3.1 – Um coração Dividido: Mt. 13:7 e Mt. 13:22;
3.2 – Um coração comprometido com outras coisas: Mt. 13:7 e Mt. 13:22;
3.3 – Um coração Materialista: Mt. 13:7 e Mt. 13:22.

4º) O CORAÇÃO “BOA TERRA”:
4.1 – Um coração Frutífero: Mt. 13:8 e Mt. 13:23;
4.2 – Um coração Fiel e Obediente: Mt. 13:8 e Mt. 13:23;
4.3 – Um coração Persistente: Mt. 13:8 e Mt. 13:23.

Conclusão: Qual destes Quatro Corações é o teu Coração? Você deseja ter um coração Segundo a vontade de DEUS? Você está disposto a entregar, sem reservas o teu coração ao SENHOR?

Multiplicação: uma questão de propósito.

Multiplicação: uma questão de propósito.

Visão de multiplicação da célula
O líder segundo o coração de Deus está sempre permitindo ao próprio Deus ampliar
sua visão. Ele nunca estaciona naquilo que Deu já lhe deu. Está sempre buscando as
coisas novas que o Senhor ainda tem para fazer em sua vida e por meio de sua vida.
Talvez seja esta uma das características que fez com que o apóstolo Paulo fosse tão
importante em sua geração para o cristianismo. Veja seu estilo de vida em Filipenses 3:7-
14.
Ter visão de multiplicação da célula significa ter uma visão de crescimento para cada
membro da célula. O líder é como um pai ou mãe humanos que deseja, sonha, se angustia,
se esforça, se desgasta pelo crescimento integral de seus filhos. Era assim que o apóstolo
Paulo se sentia com relação aos seus filhos na fé (Gálatas 5:19). Como líder de célula,
peça sempre a Deus para mostrar a você a visão particular que ele tem para sua vida e
para cada pessoa que você está pastoreando.

As resistências à multiplicação
Em João 16:21 Jesus nos fala sobre a hora do parto: “Quando a mulher está para
dar à luz, fica triste porque chegou a hora de sofrer. Mas depois já não se lembra
mais do sofrimento, pois está feliz porque nasceu uma criança”. O nascimento de uma
criança é uma experiência dolorosa, mas a alegria de ter e segurar uma criança nos braços
ultrapassa de longe a dor do parto.
Muitas células nunca geram novas células. Entre as muitas razões, destacamos três
citadas por Joel Comiskey, no seu livro “O Crescimento Explosivo da Igreja em
Células”, pg. 96.
Os membros do grupo tornam-se confortáveis demais na companhia uns
dos outros.
Eles se apegam fortemente aos seus relacionamentos e não querem deixa-los,
mesmo sabendo que ao fazer isso novas pessoas seriam ganhas para o Reino.
É claro que devemos incentivar os membros de células a desenvolver
relacionamentos próximos, mas não a ponto de excluírem outras pessoas.
Este sentimento deve ser combatido com o argumento de que ao deixarem a célula
para darem início a uma nova, eles continuarão mantendo contato com os amigos da célula
antiga. A célula-mãe e a célula-filha poderão se reunir ocasionalmente na semana livre para
a confraternização.
Os membros não conhecem a alegria do nascimento de uma nova célula,
e de como isso contribui para o crescimento da igreja do Reino de Cristo.
É preciso sair da teoria para a prática. Só a explanação da bênção da multiplicação
não é suficiente. Essa alegria precisa ser experimentada por todos aqueles que estão em
células.

Após provar a beleza do mover do Espírito de Deus em um grupo pequeno,
existe o medo de que o grupo não seja tão bom.
As pessoas resistem à multiplicação devido à preocupação de que o novo grupo
possa não ser tão ungido como o atual. Para superar essa tendência, os líderes e membros
de célula precisam ser constantemente lembrados de que o Espírito de Deus irá fazer
aquela nova célula ser tão especial quanto a atual.
Abordando este assunto, Ralph Neighbour Junior faz uma afirmação bastante
importante: “A beleza da igreja em células continua mesmo quando o grupo gera uma nova
célula porque o poder do Espírito continua a operar na vida do novo grupo”.
v Multiplicação de células
Na forma denominada de multiplicação “mãe-filha”, uma célula existente
supervisiona a criação de uma célula-filha provendo pessoas, liderança e uma parcela de
cuidado pessoal para apóia-la. Um grupo da célula-mãe é formado e é enviado para iniciar
uma célula-filha. Este é o método tradicional e mais freqüentemente utilizado para a
multiplicação de células.
Tradicionalmente a célula-mãe forma um novo núcleo que é constituído do novo
líder, do novo auxiliar e alguns membros da célula-mãe. O líder dessa equipe geralmente
servia como auxiliar na célula-mãe. A decisão de manter o auxiliar na célula original ou de
coloca-lo na liderança da célula-filha depende da maturidade e do nível de liderança dessa
pessoa.Uma variante mais comum do método mãe-filha é o líder iniciar com alguns membros
da célula-mãe uma nova célula. Neste cenário, o auxiliar da célula assume a direção da
célula-mãe.
II. PREPARANDO-SE PARA A MULTIPLICAÇÃO
v O tamanho adequado para a multiplicação
A célula tem que permanecer um grupo pequeno para não perder a sua eficácia e
sua habilidade de cuidar das necessidades de cada membro. O crescimento em número de
membros normalmente exclui o crescimento na intimidade e essa é a razão mais forte a
favor da multiplicação. Quando o grupo pequeno aumenta em número de membros, cresce
também a diferença no percentual de participação entre a pessoa mais ativa e a pessoa
menos ativa. A célula precisa ser pequena o suficiente para que todos os membros possam
contribuir livremente e compartilhar necessidades pessoais.
Muitos crêem que o tamanho perfeito para a multiplicação está entre oito e doze
pessoas. Dale Galloway diz: “O número ideal para boas dinâmicas de grupo e para o
cuidado e o diálogo está em torno de oito a doze pessoas. A participação é muito maior
quando o grupo permanece nesse número”. John Mallison, outro especialista em grupos
pequenos, afirma: “O número de doze não estabelece somente o limite máximo para
relacionamentos significativos, mas promove uma situação não ameaçadora para aqueles
que são novos em experiências de grupos menores… É significativo que Jesus escolheu
doze homens para estarem em seu grupo”. Carl George, outro estudioso sobre o assunto,
fixa o número adequado em dez pessoas. No seu entendimento este é o número ideal para
que o líder possa oferecer cuidado pastoral qualitativo.

v A célula tem duração de seis a doze meses
A célula tem vida limitada. As igrejas que estão em células há vários anos tem
observado que após um certo tempo de vida a célula tende a estagnar. Depois de certo
período os grupos tendem a se tornar imóveis. Inicialmente as pessoas não querem ficar
juntas, mas depois disso, elas tendem a ficar juntas por muito tempo.
Durante os primeiros seis a doze meses as pessoas aprendem umas com as outras;
mas depois disso, é provável que comecem a relaxar e deixar o barco correr. Por essa
razão, espera-se que a célula se multiplique dentro de um período ideal de seis meses e
máximo de doze meses, para que haja a possibilidade do desenvolvimento de novos
relacionamentos.
Caso não haja possibilidade de multiplicação durante este período, o problema deve
ser diagnosticado e a célula reestruturada, para cumprir o seu objetivo final, ou seja, a
multiplicação.
Coloque a multiplicação como um objetivo para a célula, desde a primeira reunião.
Trabalhe para que o momento do “nascimento” de uma nova célula aconteça dentro do
cronograma normal. Para que isto aconteça o líder deve concentrar grande parte do seu
ministério com seus três auxiliares, pois a célula se multiplica pelo núcleo (liderança) e não
pelo citoplasma, ou seja, corpo da célula.
O líder de célula deve, desde o início, selecionar e treinar dois ou três líderes em
potencial dos membros da sua célula. O maior reconhecimento que poderá ser dado ao
líder de célula é ter levado a sua célula à multiplicação. Ele deve colocar esse alvo diante
de si, trabalhando para alcançar aquele momento em que a sua célula vai dar à luz uma
célula-filha. Quando o líder chegar a este ponto, já deverá estar com os auxiliares
plenamente aptos para se tornarem líderes da nova célula, ou novas células.
v As etapas da vida de uma célula.
Durante a vida da célula, ela irá passar por quatro fases de crescimento. O líder deve
estar atento para estas etapas na vida da célula, para que possa ministrar com eficácia.
A etapa da descoberta (conhecendo-se uns aos outros)
Depois de certa convivência é comum às pessoas confessarem umas as outras,
depois de um período de forte convivência: “Você não é bem como eu pensava que
fosse na primeira vez que o vi”.
Esta é uma reação bem comum, porque as primeiras impressões que temos das
pessoas são baseadas, geralmente, em relacionamentos do passado que tivemos com
outras pessoas. É necessário que os membros da célula participem de duas ou três
reuniões para vencerem as falsas conclusões que tiraram a respeito de outros.
Este processo pode ser acelerado se a célula realizar um retiro de formação
espiritual, no qual as pessoas vão ter a oportunidade de passar bem mais tempo em
comunhão concentrada. Também é significativo promover uma atividade de fim-de-semana
de quatro a seis horas, como um piquenique com jogos e outras atividades.
Nesta fase inicial da vida da célula não é recomendável levar visitantes. É uma
oportunidade para os próprios membros da célula se conhecerem mutuamente. Antes que
alguém venha visitar a célula é necessário que haja entre os irmãos um pouco de
entrosamento para que o ambiente celular fique mais descontraído, menos formal e mais
relacional.

4
A etapa dos conflitos
Quando as pessoas chegam a se conhecer bem, os seus sistemas de valores
entram em choque. Pode ser que uma fale demais, irritando o grupo inteiro pela dominação
indesejável. Outro membro talvez seja caracterizado pela insensibilidade, machucando com
suas atitudes os outros irmãos da célula, ao passo que ainda outros sejam hipersensíveis e
se machucam com facilidade.
Depois de uns cinco ou seis encontros, conflitos como esses virão à tona na hora do
debate, do compartilhamento da palavra. Aí vai haver o processo do efeito-lixa. Como
resultado, as pessoas aprenderão a confiar umas nas outras até o ponto de deixar
transparecer os seus desacordos e assim poderão resolvê-los.
Se o líder tem pouca experiência com grupos pequenos, é provável que venha a
sentir um pouco de medo quando surgir à etapa dos conflitos. Mas não deve ter receio!
Precisa continuar conduzindo o grupo de forma gentil, deixando que os participantes
compartilhem coisas íntimas.
Durante a reunião da célula é importante conscientizar os membros, que os conflitos
são naturais e fazem parte da vida com sucesso da célula. O líder descobrirá que os
próprios membros irão resolver essas diferenças. Os resultados serão fantásticos!
Enquanto o líder trabalha com os conflitos, a identidade da célula será estabelecida e um
novo compromisso para com a célula irá surgir. Pela primeira vez, a identidade da célula
será formada, e as pessoas de fato se comprometerão com os irmãos que a compõe.
A etapa da comunidade
A etapa dos conflitos é seguida de um período bastante significativo, no qual os
membros irão de encontro uns dos outros de uma forma bastante especial. Neste período
os membros aumentam, de modo especial, a sua expressão de comunhão. Este não é
somente um período de enriquecimento, mas também é um período bastante perigoso.
Por terem formado relacionamentos significativos, os membros da célula podem
querer se enclausurar, para não serem perturbados. Se isto for permitido, a célula se
transformará num monstro feio e egoísta. Passará aquele bom momento e os membros não
terão mais força para multiplicar a célula.
Logo que o líder perceber que os laços entre os membros estão muito fortes, deve
lidera-los para alcançar outros e focalizar seu ministério em atividades de multiplicação.
A etapa do ministério (ministrar a outros)
Logo no primeiro encontro o líder deve deixar bem claro para os presentes que a
célula existe para fortalecer os seus membros a fim de que ajudem a outros. A partir da
primeira reunião, cada membro deve ser encorajado a cultivar relacionamentos com
incrédulos.
Assim que o líder sentir que sua célula está adentrando na etapa da comunidade,
deverá imediatamente começar a enfatizar a importância de todo membro se envolver em
alcançar outras pessoas e servir às necessidades dos membros da célula.

O PREÇO DA VIDA COM DEUS – 04 Agosto

Estudo para Células nº 04

“O PREÇO DA VIDA COM DEUS”

Texto: Lucas 9:23-27, Mateus 16:24-28 e Marcos 8:34 (ORE ANTES DE MINISTRAR).

Introdução: Existem preços que pagamos neste mundo como: impostos, pedágios, planos de saúde, casa própria, carros, móveis, roupas, aluguéis. Pessoas também pagam por batismos (Igreja Católica), missas, casamentos, correntes de libertação, trabalhos de macumba, curandeirismo. Também pagam médicos, psicólogos, advogados etc. Mas, temos um preço a pagar:

1º) NEGAR-SE:
1.1 – Revestir-se do novo homem: Mt. 9:16,17;
1.2 – Não viver mais para si mesmo: 1Co. 1:1-9.

2º) TOMAR A CRUZ CADA DIA:
2.1 – A cruz fala de morte: Gl. 2:20; Gl. 5:24; Gl. 6:14;
2.2 – A cruz fala de compromisso: Mt. 5:13-20; Mt. 6:19-24; Mt. 7:13-23.

3º) SEGUIR JESUS:
3.1 – Largar tudo: Mc. 2:14; Mt. 4:18-22;
3.2 – Viver experiências com Jesus: At. 9:1-5; At. 26:14.

Conclusão: Qual o preço que você tem pago nestes dias? Um preço material? O preço do discipulado? O preço da verdadeira vida com Deus? Que cada um nesta noite, possa refletir sobre sua vida com Deus.

MANTENDO A UNÇÃO – 03 Agosto

Estudo para Células nº 03

“MANTENDO A UNÇÃO”

Texto: 1 João. 2:20 (ORE ANTES DE MINISTRAR).
Introdução: Unção é o Poder do Espírito Santo na nossa vida. Quando falamos que alguém tem a Unção, dizemos que este alguém tem o Poder de Deus. Precisamos manter este Poder na nossa vida vivendo no sobre-natural do Senhor. Santidade é a chave principal para isso.

1º) CONSERVAR A VIDA EM SANTIDADE:
1.1 – Não deixar apagar o fogo de Deus: Lv. 6:12; Lv. 10:1;
1.2 – Viver constantemente santo: Ex. 28:36; 2Co. 1:12; 2Co. 7:1.

2º) DEDICAR-SE AO SENHOR:
2.1 – Permanecer no santuário: Lv. 21:12; 1Co. 6:19;
2.2 – Palavra, oração e jejum: Jo. 17:17; Lc. 18:1; Jl. 2:12-17.

3º) CONSERVAR-SE SANTO EM FAMÍLIA:
3.1 – Conservar-se como referencial: Ef. 5:22-28;
3.2 – Ter consciência da responsabilidade conjugal: 1Pe. 3:7.

4º) POR EM PRÁTICA A UNÇÃO DE MULTIPLICAÇÃO:
4.1 – Ter paixão pelas almas: Ez. 3:18,19; 1Co. 9:16;
4.2 – Falar sempre de Jesus às pessoas: At. 20:17-27.

5º) NÃO TER RECEIO DE PERDER O PODER DE DEUS:
5.1 – O medo arma laços: Jó 3:25; Jó 29:25;
5.2 – O medo é arma do inimigo: 1Pe. 5:8.

Conclusão: Para manter a unção do Senhor na nossa vida, precisamos perseverar em santidade todos os dias.

AMARRAS NA VIDA DO DISCÍPULO – 02 Agosto

Estudo para Células nº 02

“AMARRAS NA VIDA DO DISCÍPULO”

Texto: João 11:39-44 (ORE ANTES DE MINISTRAR).
Introdução: Precisamos hoje nos despojar de certas amarras que impedem o crescimento espiritual e trava a multiplicação na Igreja . Nosso coração precisa estar limpo de certas imundícias que não convém à cristãos.

1) A INVEJA:
1.1 – Faz o discípulo se desviar: Sl. 73:1-3
1.2 – Apodrece os ossos: Pv. 14:30
1.3 – Traz aflição de espírito: Ec. 4:4
1.4 – Vem do coração e contamina o homem: Mc. 7:22
1.5 – Pode dividir uma igreja: I Co. 3:3
1.6 – É obra da carne: Gl. 5:21
1.7 – É como vivíamos antes de ter Jesus: Tt. 3:3

2) A INCREDULIDADE:
2.1 – Impede as bênçãos de Deus: Mt. 13:58
2.2 – Gera admiração em Jesus: Mc. 6:6
2.3 – Situação de quem não tem Jesus: 1Tm. 1:13
2.4 – Impede grandes coisas de Deus: Hb. 3:19
2.5 – Impede do homem entrar na glória: Ap. 21:8

3) O MEDO:
3.1 – Gera espírito de escravidão: Rm. 8:15
3.2 – Não foi dado por Deus: 2Tm. 1:7
3.3 – Está no coração de quem não foi liberto por Jesus: Lc. 1:74
3.4 – O medo da morte gera servidão: Hb. 2:15

4) O ORGULHO:
4.1 – É o que Deus não aceita: Pv. 8:13;
4.2 – Gera afronta: Pv. 11:2;
4.3 – Está na boca do tolo: Pv. 14:3;
4.4 – É o preparo para a queda e a ruína: Pv. 16:18;
4.5 – Abate totalmente o homem: Pv. 29:23;
4.6 – Vem do coração e contamina o homem: Mc. 7:22;
4.7 – É qualidade de homens ruins e corruptos: 1Tm. 3:4.

5º A REBELDIA:
5.1 – É o mesmo que feitiçaria: 1Sm. 15:23;
5.2 -É o contrário de prudência: Lc. 1:17;
5.3 – Esta ligado à desobediência à Deus: Rm. 10:21;
5.4 – Gera disciplina por parte de Deus: Hb. 2:2.

Conclusão: Hoje você pode desprender-se da inveja, da incredulidade, do medo, do orgulho e da rebeldia.

A UNÇÃO PARA CONTINUAR – 01 Agosto

Estudo para Células nº 01

“A UNÇÃO PARA CONTINUAR“

Texto: 2 Timóteo 4:7 (ORE ANTES DE MINISTRAR).
Introdução: Por quê muitos não conseguem ir mais avante na vida cristã? Por quê muitos abandonam ao Senhor? Por quê muitos têm como mania, olhar para trás? O Senhor diz que “ Aquele que recuar a alma do Senhor não terá prazer nele”. Hb. 10:38

DISCUSSÃO

1) Você tem dimensão da importância da unção?

OBJETIVO: compreender a importância da unção na vida dos cristãos e na  Igreja.

1º) É NECESSÁRIO COMBATER O BOM COMBATE:
1.1 – Existe uma luta espiritual: Ef. 6:10-18;
1.2 – Existe um inimigo que quer impedir: 1Ts. 2:18, At. 8:23, 1Tm. 3:7, 6:9, 2Tm. 2:26, Pv. 22:5;
1.3 – Existe uma forma de vencer o inimigo: Ap. 12:10,11, Hb. 1:13,14, Is. 59:19;
1.4 – Existe uma grande mensagem a ser vivida: 1Jo. 3:11-18.

2º) ACABAR A CARREIRA:
2.1 – Honrar o serviço estabelecido por Deus à nós: 1Tm. 1:12;
2.2 – Não parar em hipótese alguma: 1Tm. 4:1, Hb. 12:1;
2.3 – Não ir na direção contrária: Jn. 1:1-17, Jr. 31:3;
2.4 – Trabalhar incansavelmente para o Senhor: Jo. 5:17 e 6:27.

3º) GUARDAR A FÉ:
3.1 – Ter conhecimento prático da Palavra: Tg. 1:22,23;
3.2 – Viver como mais que vencedor: Ap. 2:7, 11, 17 e 26, 3:5, 12 e 21;
3.3 – Esperar com paciência : Tg. 5:7,8.

Conclusão: Hoje nós tomamos posse da palavra de Deus para a nossa vida e rejeitamos qualquer possibilidade de perder esta unção.