Mensagens subliminares vêm sendo usadas em filmes e séries para influenciar o comportamento, alerta pastor

A sutileza na trasmissão de mensagens e conceitos através dos principais conteúdos de entretenimento popular, como filmes, séries, desenhos infantis e novelas, é um tema que causa diferentes reações entre os evangélicos: uns consideram paranoia e fanatismo, enquanto outros sempre ressaltam a importância de estar alerta sobre o tema.

O programa Bate-Papo, da Rede Super, abriu espaço para o assunto numa entrevista do pastor Eduardo Coimbra, que trouxe luz à questão lembrando que o uso do conceito de “mensagem subliminar” é ampla no marketing, como uma ferramenta de vendas, mas também é usada de forma a disseminar novos conceitos, muitas vezes antibíblicos, em filmes, séries, desenhos, música e novelas.

“É como se fosse um cavalo de Troia, vem embutido. Esse tema é pouco discutido na igreja e tem certa discriminação no meio evangélico”, comentou, referindo-se à parcela do segmento religioso que considera a discussão sobre isso um exagero. “É classificado como aquelas pessoas que são fanáticos, mas na realidade é algo que tem massacrado sobretudo as crianças e os jovens”, alertou.

“A mensagem subliminar foi uma descoberta na área da publicidade é por meio dela as pessoas poderiam alterar o comportamento de outros. Com o passar do tempo a gente percebeu também que havia influência no mundo espiritual e acabou se tornando algo muito amplo na vida das pessoas”, acrescentou Coimbra.

O pastor enfatizou que uma mensagem transmitida de maneira subliminar, geralmente, é imperceptível para a maioria das pessoas: “Quando você vai para o campo da percepção, da pesquisa, da informação, aí você começa a abrir a sua mente em relação aquela informação. Agora no dia a dia, ninguém percebe”, argumentou.

De que forma essas mensagens são transmitidas? “Um objeto neutro, quando impregnado de maldade, pode trazer maldições para as nossas vidas”, disse, lembrando que em relação às crianças, os desenhos – antigos e novos – sempre foram usados como veículo de difusão de mensagens subliminares.

“[Há] desenhos atuais, que por meio das mensagens subliminares querem embutir comportamentos, hábitos e influências nas pessoas. Não apenas em crianças, mas no espectador em geral […] Nós precisamos separar aquilo que a mensagem explícita do que é mensagem subliminar. Isso vai influenciar o comportamento direto, vai trabalhar no conceitual. Esse filme Frozen é muito mais atrativo pelo seu enredo do que subliminarmente. Foi algo colocado propositalmente”, exemplificou.

“O segredo da mensagem subliminar é você não rejeitar. Vai entrando e posteriormente vai atuar na sua vida, alterando comportamentos para te influenciar. Aquilo que é explícito ou você rejeita ou você absorve”, ressaltou.

Assista ao trecho do programa em que o assunto foi debatido: