Pastor é linchado a mando de extremistas hindus, mas ressuscita e volta a anunciar o Evangelho

O extremismo religioso na Índia é um dos mais violentos do planeta, mas recebe pouca atenção da mídia ocidental. Como o país é dividido entre hindus e muçulmanos, os cristãos são vítimas de perseguição por ambos os lados. Nesse contexto, o linchamento de um pastor terminou com uma reviravolta sobrenatural.

O pastor, identificado com o pseudônimo Tilak, estava incomodando os nacionalistas hindus, que se opõem a qualquer influência estrangeira, com seu trabalho evangelístico. Assim, para “resolver” o problema, os extremistas religiosos contrataram um grupo comunista chamado naxalitas conhecido por seu radicalismo.

De acordo com informações da Missão Portas Abertas, os naxalitas sequestraram o pastor e tentaram fazê-lo apostatar da fé em Jesus Cristo, negando o Filho de Deus. Mas, Tilak se manteve firme e os radicais o espancaram.

Com mãos e pernas amarradas, o pastor era surrado com uma espessa vara enquanto era forçado a se arrastar montanha acima. Em certo ponto do linchamento, o pastor perdeu as forças e caiu, e os naxalitas comemoraram quando não encontraram seus sinais vitais.

O ministério de Tilak vinha crescendo com seu trabalho, e pouco antes de ser sequestrado e linchado, 40 famílias haviam entregado suas vidas a Jesus.

Quando os extremistas hindus receberam a confirmação de sua morte por um médico contratado pelo grupo, jogaram seu corpo numa vala e foram à comunidade dos cristãos para debochar e ameaçar: “Assim como o seu Jesus foi espancado e morto, matamos o pastor de vocês. O corpo está em uma vala na floresta. Encontrem e enterrem”, disseram.

As famílias integrantes da igreja que o pastor vinha formando se juntaram e foram procurar seu corpo, que foi levado de volta para a comunidade. Durante o velório, Tilak abriu os olhos e se mexeu.

O alvoroço pela ressuscitação do pastor despertou a curiosidade dos extremistas hindus e dos naxalitas, que correram para ver se Tilak estava realmente vivo. Ao chegarem, ficaram em choque.

Essa situação encorajou o pastor, que passou a agir de forma mais ousada na divulgação do Evangelho, incomodando novamente os hindus. No entanto, os naxalitas agora não queriam mais espancar o pastor, por medo, e assim, o levaram para a floresta novamente, em segredo, e o disseram para fugir em troca da vida de sua família.

“Saí da aldeia com a minha família de uma vez, pois eu sofri uma tortura extrema há um ano. Eu não queria o mesmo para minha família”, relatou Tilak a missionário da Portas Abertas.

Em fuga, o pastor chegou a outra aldeia seis horas depois, e lá recebeu a ajuda de um homem que vivia numa cabana. “Ele tinha me visto quando eu ministrava nas redondezas da minha aldeia. Ele ouviu minha pregação e desenvolveu a fé em seu coração. Ele trabalhava como pedreiro. Ele era um homem muito pobre, mas com um grande coração”, contou Tilak.

Hoje, mais de um ano após o episódio, o pastor e sua família moram na mesma cabana e dividem espaço com a família do pedreiro. Apesar de seu testemunho, o próprio Tilak tem tido dificuldade para retomar sua ação evangelística, mas tem recebido encorajamento de missionários.

“Sempre que passamos por sofrimento e dor, é para a glória do Senhor. Quando deixarmos o mundo e formos para o céu, não haverá mais dor e tristeza. É por isso que precisamos nos concentrar no Senhor agora”, disse o pastor, resumindo sua situação.

Ore pela Igreja Perseguida ao redor do mundo. Cristãos de diferentes tribos e nações enfrentam angústias e adversidades intensas por causa de sua fé em Jesus, diariamente, e sofrem na pele por isso.