Sobrevivente de aborto aos 7 meses, mulher conta testemunho emocionante de perdão

O aborto é uma das práticas mais discutidas em nossos dias, do ponto de vista judicial, moral e religioso, em praticamente todo o planeta. Pessoas que lutam em favor da vida estão travando uma verdadeira batalha contra a legalização desse tipo de assassinato, e uma delas é Gianna Jessen.

Jessen esteve em um culto da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, liderada pelo pastor Silas Malafaia. Durante a Escola Bíblica Dominical ela contou o seu testemunho, dizendo como atualmente lida com o trauma de ter sido vítima de uma tentativa de aborto:

“Eu nasci em uma clínica de aborto, salva pelo poder de Jesus Cristo”, disse ela, explicando que sua mãe, na época com 17 anos, tentou lhe abortar aplicando solução salina em seu útero. O procedimento faz com que o bebê seja queimado pelo ácido, por dentro e por fora.

Apesar da tentativa, Jessen conseguiu sobreviver. “Isso aí para mim foi a glória de Deus. Ele é tão bom e eu sou a garota Dele! Então eu devo dizer: ‘Não mexa comigo, porque o meu pai é o dono do mundo’. E também não é muito sábio causar problemas para um órfão”, disse ela.

Após nascer, ela ficou em uma encubadora por meses. Sua mãe havia lhe abandonado, então levaram ela para um programa de adoção. A primeira família que lhe recebeu, no entanto, também lhe abandonou em seguida: “Eu fui rejeitada desde o início por todos, menos por Deus. Ele me ama e luta por mim e por você também”, disse ela.

Jessen ficou com sequelas devido à tentativa de aborto, sendo diagnosticada com paralisia cerebral aos 17 meses de vida. Para ela, o argumento de que o aborto deve ser legalizado nos casos em que o bebê apresenta alguma deficiência física é inaceitável:

“Eu não teria paralisia cerebral se não tivesse passado pela tentativa de aborto. Vocês podem imaginar o quanto eu fico assustada quando ouço alguém dizer que o aborto deve ser permitido se o bebê nascer com um defeito físico”, destacou.

Apesar do trauma, Jessen compreende que mulheres que já abortaram ou pensam em abortar, devem ser perdoadas e não condenadas. “Em muitos lugares onde vou falar, há pessoas que fizeram aborto ou que conhecem pessoas que fizeram aborto”, disse ela.

“Eu quero te dizer que não estou aqui para te condenar, porque Jesus não está aqui para te condenar. Ele está aqui para te libertar, mas você precisa se arrepender, você tem que pedir perdão e tem que pedir para que Ele te liberte”, conclui.

Assista o vídeo com o testemunho de Gianna Jessen abaixo: