Igreja de Atos 3 – Unção e Poder – Terceira semana de setembro

Palavra
Objetivo: Mostrar como a unção de Deus é derramada sobre a vida dos seus filhos.

Contexto:

A unção que havia sobre os apóstolos foi o cumprimento da promessa de Jesus (At. 1:4) e conseqüência de fé e obediência.Os milagres e maravilhas que os apóstolos realizavam eram devido ao poder sobrenatural do Espírito Santo que havia descido sobre eles. (At. 2:4)Unção e o poder impulsionam e capacitam as pessoas a levarem as boas notícias do Evangelho. (Is. 61:1) (At. 1:8)O Espírito Santo é o único que pode curar as feridas da alma.Só a unção do Espírito Santo é capaz de liberar os escravos do pecado e os que estão vivendo oprimidos pelo inimigo.A unção restaura vidas (Is. 61:2, 3), consola (Jó. 14:18) e derrama alegria e paz (Jó. 14:27).

Conclusão: A obra do Senhor só pode ser realizada com unção e poder do Espírito Santo. Ter unção é contar com o respaldo de Deus para que Sua vontade seja feita em sua vida.

Aplicação: A unção e o poder do Espírito Santo são para todos aqueles que crêem, obedecem e apropriam-se da promessa de Deus.

 

Dica de quebra-gelo
Objetivo: Estimular a participação de todos por igual nas reuniões e evitar interrupções paralelas.

Desenvolvimento: O coordenador apresenta um tema a ser discutido pelo grupo. Baseado nesse tema, cada integrante tem trinta segundos para falar sobre o assunto apresentado, sendo que ninguém, em hipótese alguma, pode ultrapassar o tempo estipulado, ao mesmo tempo em que os outros integrantes devem manter-se em completo silêncio.
Se o comentário for concluído antes do término do tempo, todos devem manter-se em silêncio até o final desse tempo. Ao final, o tema pode ser, então, debatido livremente.

Conclusão: Sabemos respeitar e escutar (e não simplesmente ouvir) a opinião dos outros? Conseguimos sintetizar nossas opiniões de maneira clara e objetiva?

 

Frase para o líder
Liderar é a arte de construir relacionamentos com valores nobres e sobre bases sólidas!

Alfredo Martini Júnior