Esposa de pastor sequestrado diz que precisou aprender a perdoar os “inimigos”

Susanna Koh, esposa de um pastor que foi sequestrado em fevereiro do ano passado, na Malásia, veio a público mais uma vez pedir orações em prol do seu esposo, mas também para contar algumas importantes lições de fé que ela tem aprendido com o este caso, como a necessidade de liberar perdão aos seus inimigos e perseguidores.

O pastor Raymond Koh continua desaparecido e ainda sem paradeiro. A Comissão de Direitos Humanos da Malásia (Suhakam) decidiu reabrir investigações em maio desse ano, mas sem resultados favoráveis até então, apesar da pressão de organizações como a Portas Abertas, que já encaminhou uma petição com cerca de 14 mil assinaturas cobrando uma resolução para o caso.

“Queridos amigos e companheiros de oração, obrigada por elevar a família Koh em suas orações. Somos gratos por seu contínuo suporte e encorajamento”, disse Susanna Koh em um comunicado, segundo a Portas Abertas.

“Já faz mais de 615 dias que o pastor Raymond foi sequestrado. Até agora não recebemos nenhuma notícia do novo governo, apesar de termos contatado várias pessoas e de a polícia ter sido instruída a manter a família atualizada”, disse ela.

Susanna destacou a possibilidade de um acusado que está sendo investigado, Datuk Awalludin Jadid, confessar todo o esquema, uma vez que se encontra com uma enfermidade grave.

“O inquérito público da Suhakam está chegando ao fim e a última testemunha é Datuk Awalludin Jadid, que foi apontado pelo denunciante como a pessoa que comandou a operação. Ele está muito doente com câncer e se encontra de licença médica até o final de novembro. Por favor, orem para que ele seja constrangido a falar a verdade”, explicou Susanna.

Apesar do momento de profunda angústia, Susanna ainda pontuou que isso tem estreitado o seu relacionamento com Deus, pois lhe fez aprender a necessidade de perdoar os que ela desconfiou de participar do sequestro do seu marido.

“Jesus nos ensinou a perdoar nossos inimigos e orar por aqueles que nos perseguem. Não foi fácil, mas eu tive que me arrepender das minhas atitudes erradas em relação à polícia”, disse ela, que por fim demonstrou estar confiante em Deus, uma vez que já fez todo o possível para encontrar o destino do pastor Raymond Koh.

“Nós já tentamos tudo o que era humanamente possível e só podemos deixar tudo nas mãos de Deus”, disse ela. “Nós confiamos nossa causa ao justo juiz do céu e da terra. Deus sabe e está no controle de tudo”.