Crianças ricas, mas abandonadas por seus pais

imagesCAVLIKSDMADRI (Espanha) – Mais e mais adolescentes de famílias ricas entram em centros de detenção supervisionada (uma espécie de Fundação Casa, antiga Febem, da Espanha), devido à falta de cuidado dos pais. Alguns ficam marcados como rebeldes sem causa. A maioria é formada por crianças de boas famílias, mas incapazes de conviver em sociedade e acabam cometendo crimes dos mais variados tipos. Uma situação que, na maioria dos casos, tem início com o descuido dos pais, em grande medida ausentes na vida dos filhos.

Os jovens acabam longe de casa e com futuro incerto. Com isso, cabe aos assistentes sociais ajudar a resolver esses casos complicados. Betes Branco, chefe da clínica de Madrid Psiceduca, afirma que a vítima é sempre o jovem.

” Quanto mais você adiar o problema menos chances de se encontrar uma solução, pois eles vão ficando mais velhos e difíceis de serem trabalhados.Estas são situações complicadas, mas que podem ser tratadas com razoável chance de sucesso. As terapias são longas, com alto custo e às vezes levam muito tempo”.

O gatilho é muitas vezes um comportamento errado dos menores seguido de falta de sensibilidade dos pais para tratar o assunto. “Meu filho é uma encrenca, não está indo na escola, parou com tudo. É agressivo, insulta-nos e até mesmo ameaça nos agredir. Vivemos num inferno”. Estas são algumas das palavras usadas pelos pais para explicar a convivência nos lares. Eles se sentem como vítimas em primeiro lugar. Depois da terapia, no final, eles assumem que deram tudo, exceto o seu tempo.

Fonte: El Pais