Atos de Bravura.

O livro de Atos é o melhor tratado sobre a vida prática da Igreja que jamais foi escrito.

Nada supera o valor e a inspiração destas páginas. Se uma igreja em nosso tempo realmente quer ter sucesso, ela necessariamente terá que se debruçar sobre este livro e ouvir a voz de Deus falando de maneira inconfundível. Ouvimos os gurus eclesiásticos enquanto podemos beber direto da fonte. Atos não é uma coletânea de histórias motivacionais. Também não é um manual de crescimento da igreja, como tantos que estão sendo escritos e abarrotando nossas prateleiras. Não é uma fórmula secreta para a plantação de megaigrejas. É muito mais do que isso. É a história dos Atos do Espírito Santo agindo através de improváveis discípulos. Conta como foi possível cumprir a Grande Comissão a partir de um grupo de 120 pessoas, que cresceu a ponto de incomodar o Império Romano.Em tempos de pragmatismo e estatísticas, muitos se voltam para o mais recente modelo de gestão eclesiástico e seus infalíveis métodos orientados para resultados. Entenda-se “resultado” da mesma forma como uma empresa enxerga seus consumidores. Mais gente “na parada”, contribuindo, aplaudindo, tornando os nomes de seus líderes célebres. Quem olhar para o livro de Atos esperando mais um desses vai se decepcionar. Não encontraremos ali um case de sucesso em propaganda e marketing. Houve problemas e falhas. Houve acidentes de percurso. Há relatos de racismo, de exclusivismo, de falsas conversões, de charlatanismo e mentiras, tudo isso no seio da igreja.

Além disso, houve perseguições e privações. Encontramos dois apóstolos sem dinheiro até para uma esmola. Houve apedrejamentos e execuções contra os líderes. Em momento algum Atos relata uma vida mansa por parte daqueles que estavam comprometidos com o projeto em execução.

E nunca houve, em toda a História do Cristianismo, uma época como aquela. Por isso o Espírito Santo inspira Lucas para registrar aqueles acontecimentos. E por isso, logo cedo os pais da Igreja reconheceram este livro como Escritura. Seu valor é inestimável. Se não é uma “receita de bolo para fazer nossa igreja funcionar”, é uma referência para a Igreja em todos os tempos e culturas. A Igreja Primitiva é uma espécie de padrão a partir do qual todas as demais podem ser aferidas, em todas as áreas. Aprendemos até com suas falhas.

Temos muito a ganhar ao estudar a Igreja do Século 1 para compará-la à Igreja do Século 21. Aprenderemos lições importantíssimas do que é a Igreja que agrada, que ouve e que anda de mãos dadas com o seu Senhor.

Atos é leitura obrigatória para quem ama a Deus e à sua Igreja. Mas é preciso ter coragem para conhecer os atos de bravura dos nossos primeiros irmãos. Porque nenhum cristão sério vai conseguir permanecer impassível diante do que vai ver em suas páginas. As sementes ali plantadas precisam continuar florescendo.

E então, está pronto para aceitar o desafio?

Escrito por:  

Marcos Senghi Soares