Perseguição religiosa na Ásia Central faz esposa de pastor abortar bebê

Recentemente, Nadina*, uma cristã que vive em um dos países da Ásia Central, perdeu seu bebê. A gestação estava em seu quinto mês e por causa de uma situação de perseguição muito estressante, ela teve um sangramento, o que interrompeu a pequena vida que estava a caminho. Tammar*, seu marido, é líder de uma igreja e estava realizando um trabalho entre os uigures (grupo étnico existente em diversos países).

Segundo o ‘Portas Abertas’, o líder não possui registro para se reunir como uma igreja, por isso todos os seus trabalhos são considerados clandestinos. Muitos vizinhos se voltaram contra a família, inclusive um policial que mora nas proximidades. No domingo de Páscoa, houve um ataque à igreja, onde havia cerca de 20 fiéis. Policiais e uma equipe antiterrorista invadiram o local. Cada membro teve que preencher um formulário e assinar uma declaração reconhecendo ter ciência de que a reunião era considerada ilegal de acordo com as autoridades do país.

O líder foi multado e não quis assinar a declaração, mas Nadina o aconselhou a fazê-lo. A multa foi paga com a ajuda de outra igreja. Depois disso, ela se sentiu muito mal e passou por um período de muito estresse. Alguns dias se passaram e então, durante a noite, alguém deixou um cachorro morto em seu quintal com uma mensagem que dizia: “Estamos observando você”. Infelizmente, no dia seguinte, Nadina passou mal e perdeu seu bebê. “Se estamos passando por isso, sabemos que estamos no caminho certo”, conclui a cristã.

*Nomes alterados por motivos de segurança.

Pedidos de oração

Interceda por Nadina e Tammar durante esse momento difícil, para que sejam consolados pelo Espírito Santo. Ore pela família, amigos e todos os membros da igreja. Peça pelos perseguidores, que eles sejam alcançados e constrangidos pelo amor de Jesus.

Fonte: Portas Abertas