Estuprada no dia do casamento perdoa agressores: “Minha fé ajudou”

A cristã Terry Gobanga ganhou destaque pela BBC por seu depoimento de superação. A mulher, que foi sequestrada e estuprada no dia do casamento e, em seguida, viveu várias tragédias, conseguiu superar os seus desafios. Confira sua história abaixo:

“Seria um grande casamento. Era pastora, então, todos os membros da nossa igreja haviam sido convidados, assim como nossos parentes. Harry, meu noivo, e eu estávamos muito ansiosos – afinal, nos casaríamos na Catedral de Todos os Santos de Nairóbi (capital do Quênia) e eu havia alugado um lindo vestido”, disse Terry.

No dia anterior ao casamento, Gobanga saiu à rua, para levar uma amiga ao ponto de ônibus, quando foi sequestrada e um pano foi enfiado em sua boca. A mulher lutava para se libertar, até que se livrou da mordaça, gritou e foi agredida.


“Os homens se revezaram para me estuprar. Sabia que ia morrer, mas estava lutando por minha vida, então quando um dos homens tirou o pano da minha boca, mordi o pênis dele. Ele gritou de dor e outro me esfaqueou na altura do meu estômago. Então, eles abriram a porta e me jogaram para fora do carro em movimento”, disse.

Uma criança viu Terry sendo jogada do carro. Tempos depois, a mulher estava no hospital e seu caso chamou a atenção da imprensa local. Os médicos disseram que os ferimentos a deixaram estéril. Mais tarde, seu noivo chega e contempla sua situação.

“Em julho de 2005, sete meses depois do que seria o nosso primeiro casamento, eu e Harry nos casamos e saímos de lua de mel”. Mas, para a surpresa de Gobanga, os dois foram envenenados durante a cerimônia. Harry morreu durante a lua de mel, e as pessoas passaram a encarar Terry como uma pessoa amaldiçoada.

Harry Olwande e Terry no dia de seu casamento
Harry Olwande e Terry no dia de seu casamento, em julho de 2005 (Foto: Arquivo Pessoal)

“Disse a todo mundo que nunca me casaria de novo. Deus levou meu marido, e o pensamento de passar por uma nova perda era demais para mim. É algo que eu não desejaria para ninguém. A dor é tão intensa, você a sente em todas as partes do seu corpo”.

Com o tempo, Terry conheceu Tonny Gobanga, por quem se apaixonou. A família não era muito a favor do matrimônio, e a mulher casou-se em lágrimas e receio de que seu futuro marido morresse. Com o tempo, descobriu que estava grávida, e hoje possui duas filhas.

Terry Gobanga com a família
Terry Gobanga com o marido, Tonny, e suas duas filhas (Foto: Arquivo Pessoal)

“Perdoei meus agressores. Não foi fácil, mas percebi que não valia a pena. Minha fé me estimula a perdoar e não pagar o mal com o mal, mas com o bem”, concluiu.