Avon não quer que você chame sua filha de “princesa”

O documentário “Repense o Elogio”, usado pelo Fantástico como base de sua matéria que mostrava a ideologia de gênero como “brincadeira de criança” foi patrocinado pela Avon.

A empresa de cosméticos nos últimos anos já vinha fazendo campanhas que apostavam no “gênero neutro” para maquiagem e no chamado marketing de lacração, que usa pautas liberais como mote principal.

Após a repercussão negativa da matéria do Fantástico e da campanha fracassada do sabão em pó OMO os internautas conservadores estão denunciando a Avon por ter bancado a produção do documentário dirigido por Estela Renner.

No Youtube, o vídeo já acumula quase 10 mil “não gostei”. Na descrição, afirma que o objetivo é fazer “a reflexão sobre a maneira como os filhos e filhas são elogiados”. Contudo, há cenas onde claramente promove uma troca de lugares, com meninos se vestindo como meninas e meninas rejeitando a feminilidade.

O material também tem um viés feminista, nada apropriado para crianças, onde mostra que as meninas deveriam receber os mesmos elogios. Ou seja, ao invés de “lindas, princesas e delicadas”, deveriam, como os meninos serem “fortes, inteligentes e corajosas”.

No finalzinho  do documentário, a mensagem deixada na tela é clara:  “o que você diz às meninas hoje, influencia quem elas serão amanhã.”