Homem é feito refém e oferece Bíblias a bandidos: “Foi um livramento de Deus”

Vinte minutos nas mãos de sequestradores foi tempo suficiente para que um homem de 45 anos falasse sobre Deus e até oferecesse Bíblias para os criminosos.

“Eu ofereci a verdade”, disse o corretor de imóveis que foi abordado por um casal de criminosos na noite de sexta-feira (27), em Vila Velha, no Espírito Santo.

Os sequestradores, identificados como Vinicius Lacerda de Souza Januário, de 19 anos e uma adolescente de 15, abordaram a vítima enquanto conversava ao telefone, na calçada da casa de amigos, no bairro Jaburuna.

O homem foi forçado pelos bandidos a dirigir seu próprio carro com uma arma apontada na cabeça. Depois de 20 minutos, dois policiais em motocicletas conseguiram encontrar o veículo e passaram a acompanhá-lo.

“A todo instante ele dizia que ia me matar. Pior que ele, era a menina. Isso me assustou mais, pois ela era a que mais falava coisas assustadoras. Ofereci até a minha Bíblia e a da minha esposa para que eles tivessem a palavra de Deus e também o carro para me deixarem, mas gritaram que não queriam”, relembra o corretor de imóveis.

Quando visualizou uma viatura, a vítima passou a frear o carro diversas vezes para dar um sinal aos policiais, que entenderam o recado e acionaram a ajuda de outros militares. Em poucos minutos, mais de 10 viaturas já faziam o cerco para pegar os suspeitos.

“Eles mandaram eu acelerar ainda mais e eu fiz isso, pois era tudo ou nada. Quando me aproximei, freei uma vez, e depois de novo, fazendo com que o rapaz armado no banco do carona batesse a cabeça no painel. Foi aí que consegui escapar, já a 3 metros dos policiais”, detalhou o homem.

O suspeito e a adolescente foram conduzidos para a 2ª Delegacia Regional de Vila Velha, localizada no bairro Cobilândia, onde foram autuados em flagrante pelo crime de roubo majorado pela restrição da liberdade da vítima, emprego de arma e concurso de pessoas.

O homem, que é evangélico, disse que ofereceu as Bíblias e conversou com os criminosos em todo o tempo para tentar acalmá-los. “Foi Deus quem me ajudou, falou comigo de coisas que vão acontecer na minha vida por isso eu sabia que não ia acontecer nada comigo naquele momento. Foi um livramento de Deus”, disse ele.