Pastor Hernandes Dias Lopes conta que sua mãe rejeitou sugestão de aborto e o consagrou a Deus

Um voto sincero, de uma mãe aflita. Essa é a história do chamado ministerial do reverendo Hernandes Dias Lopes, um dos pastores presbiterianos mais conhecidos no Brasil. Em uma entrevista recente, ele contou seu testemunho e disse que sua mãe rejeitou o aborto, mesmo com risco de morte, e o consagrou a Deus.

Dias Lopes concedeu uma entrevista ao canal Jesus Copy e contou que sua mãe o consagrou a Deus e pediu que Ele poupasse sua vida e do bebê para que, no futuro, ele pudesse se tornar pastor. Durante sua infância, no entanto, a mãe nunca contou ao filho sobre esse voto pessoal.

“É uma história muito curiosa. Quando eu estava no ventre da minha mãe, ela morava em uma região muito pobre e não tinha recursos médicos. Ela estava muito doente e um médico foi chamado para vê-la. Ele disse: ‘Essa criança não vai sobreviver’”, introduziu Dias Lopes.

O pastor contou qual foi a decisão de sua mãe: “[O médico disse] ‘ela está muito fraca e a criança em agonia de morte. A única chance que ela tem é tirar a criança’. Minha mãe tomou outra decisão: ‘Não, eu não abro mão dos filhos. Estou pronta para morrer por eles’. Ela fez um voto para Deus”, relembrou.

“’Meu Deus, se tu poupares a minha vida e a de meu filho eu quero consagrá-lo para ser um pastor’. Ela queria que Deus me chamasse e não que eu fosse sugestionado para ir ao seminário”, explicou Hernandes Dias Lopes.

No entanto, o jovem tinha outros planos para sua vida: “Meu desejo de criança era ser advogado e político até os 18 anos. E eu me filiei a um partido, mas com 19 anos Deus pois a mão sobre mim e me chamou para o ministério. Enquanto eu conversava com um presbítero da igreja disse: ‘Quando eu fizer direito, ter uma carreira promissora, eu vou entrar no seminário, fazer teologia. Vou estudar um pouco melhor para servir a Deus’”.

“Ele olhou dentro dos meus olhos e disse assim: ‘Você está querendo dar a sobra para Deus? Deus te quer agora e completo, a sua Juventude’. Então a Palavra entrou como flecha no meu coração eu saí dali plenamente convicto de que Deus me queria para o ministério. E aí a minha mãe me contou essa história que ela já estava orando por isso. Ela disse que nunca deixou de orar todos os dias para que Deus realizasse sua obra em meu coração”, prosseguiu.

A ordenação ao ministério cobrou de Dias Lopes dedicação ao estudo da Palavra e paciência: “Fui para o seminário de Campinas, estudei de 1978 a 1981, e então em 1982 eu fui ordenado ao sagrado ministério pela graça de Deus. Eu só posso dizer para você que nada para mim é mais importante do que ser pastor e pregador do Evangelho. É a coisa mais sublime do mundo”, concluiu.