Igreja Batista irá queimar livros, discos e até Bíblias por considera-los satânicos

livrosUma igreja baptista de Canton, na Carolina do Norte, está se preparando para queimar livros e música que considera satânicos, por ocasião do Dia das Bruxas. Além de livros da saga Harry Potter e obras como “A Origem das Espécies”, de Charles Darwin, também cópias da Bíblia serão queimadas – excepto a versão “King James”, a única tomada em conta pela igreja baptista e considerada “infalível”.

De acordo com a revista “Examiner”, o encarregado desta igreja, o pastor Marc Grizzard, disse que todas as outras versões da Bíblia são “satânicas” e “perversões” da palavra de Deus. Além destas obras, também discos de música considerada satânica serão queimados por Grizzard e 14 outros membros da igreja. Entre os estilos, contam-se o Country, Rap, Rock, Pop, Heavy Metal, Western, Jazz e Soul.

Este deverá ser, no entanto, um serão bem passado. O site da igreja, informa que vai haver churrasco de frango e que “toda a gente será servida”.

O DOM DO PERDÃO “Empresário perdoou e deu oportunidade para ex-sequestrador”

o dom do perdãO ex-sequestrador Ronaldo Miguel Monteiro, que hoje faz trabalhos sociais e é pastor, foi destaque do Fantástico nesse domingo, 8, após dar uma declaração na novela “Viver a Vida”, sobre o passado no crime e da pretensão de sequestrar o empresário Custódio Rangel.

     Ronaldo, ex-presidiário, que foi condenado a 28 anos de prisão pelos 10 sequestros cometidos na década de 80, disse na declaração no fim do capítulo da novela que foi uma experiência muito forte encontrar uma das suas vítimas.

     Quando descobriu uma forma fácil de ganhar dinheiro através da extorsão e sequestro, descobriu que o empresário Custódio era uma vítima que lhe iria render um bom resgate, mas que não sairia com vida do sequestro. Mas nada deu certo nesse sequestro e após cinco meses Ronaldo foi preso, cumprindo 13 anos de pena.

     Durante o tempo que esteve preso, Ronaldo recebeu a visita do homem que seria sequestrado, Custódio Rangel. O empresário não foi visitá-lo para julgar e sim para mostrar o caminho até Jesus, “Pois é, Jesus amou todos. Temos que fazer alguma coisa. Então, uma boa pescaria seria se eu ganhasse Ronaldo para Jesus. E aconteceu isso”, contou Rangel.

     A visita marcou a vida de Ronaldo e as coisas começaram a mudar a partir desse dia, “foi muito forte, você não encontra palavras, só alguém que vive na marginalidade e se depara com uma vítima que diz “eu te perdoo”, poderia responder. E com certeza ela não vai encontrar palavras”, disse Ronaldo na entrevista para o Fantástico.

      Depois desse dia, Ronaldo começou a trabalhar com os demais presos e ao sair da prisão pela condicional, conseguiu um emprego que trabalhou por dois anos, dado pelo próprio empresário, que mais uma vez o ajudou e mostrou ter perdoado.

     Hoje Ronaldo segue seu caminho longe da criminalidade e tem uma Ong que ajuda presos a se qualificar profissionalmente.   

     Assista o vídeo aqui

POLÊMICA “Igreja Luterana Suécia aprova casamentos gays na Suécia”

11052009_capaA Igreja Luterana da Suécia – a maior do país – deve começar a realizar casamentos entre pessoas do mesmo sexo a partir do mês que vem.

     Cerca de 70% dos 250 membros do sínodo da igreja votaram a favor da medida, tornando-a uma das primeiras grandes igrejas do mundo a permitir o casamento gay.

      O governo da Suécia aprovou uma nova lei em maio garantindo a casais homossexuais os mesmos direitos concedidos a casais heterossexuais.

 Cerca de três quartos dos suecos são membros da Igreja Luterana, apesar de o número de praticantes ser relativamente baixo.

     A Igreja Luterana diz que a partir de novembro qualquer um de seus pastores poderá celebrar casamentos entre homossexuais.

     Pastores individuais não serão “forçados” a celebrar os casamentos gays, mas poderão ser substituídos para as cerimônias caso se recusem.

Apoio

 A igreja, que até 2000 estava sob o controle do Estado, apoiou a decisão do governo de legalizar os casamentos gays em maio.

     Mas alguns líderes religiosos defenderam que as cerimônias da igreja e o termo matrimônio sejam reservados às uniões heterossexuais.

     Outros se opuseram à nova lei argumentando que ela seria contrária às escrituras religiosas.

     “De minha parte, acho que a decisão correta foi tomada, mas tenho empatia com os muitos que acreditam que isso foi longe demais”, afirmou o arcebispo da Suécia, Anders Wejryd.

     O principal grupo gay do país, a Federação Sueca dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros, elogiou a decisão da Igreja Luterana.

     “Nós congratulamos a Igreja da Suécia por sua decisão. Os membros homossexuais e bissexuais da Igreja finalmente poderão se sentir um pouco mais acolhidos pela sociedade”, afirmou o grupo num comunicado.

     A Suécia foi um dos primeiros países a dar aos casais homossexuais direitos para  “parcerias civis”, em meados dos anos 1990, e a permitir que casais homossexuais adotassem crianças, a partir de 2002.

     Com a lei aprovada em maio, a Suécia se tornou o quinto país europeu a reconhecer o casamento entre pessoas do mesmo sexo, depois da Holanda, da Bélgica, da Espanha e da Noruega.

JESUS TERIA QUE SE ALIAR A JUDAS

cristo-e-judasSegundo Lula, Jesus teria que se aliar se governasse o Brasil

 

    Em uma prova que na política não há mais ideais partidários, o presidente Luis Inácio Lula da Silva, em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, diz que até ‘Jesus teria de chamar Judas para fazer coalizão” se fosse eleito para governar o Brasil. Na longa entrevista o presidente declara se empenhará em transferir o seu prestígio e o do governo para a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, sua candidata. “A transferência de voto não é como passe de mágica”.

        O petista disse ainda que Dilma não representa um terceiro mandato e defende ainda uma disputa plebiscitária. Nesta semana PT e PMDB assinaram uma aliança. O partido de Lula homologará a candidata à presidente e o PMDB, o vice.

   Recentemente Dilma Rousseff participou de um culto na Assembléia de Deus e depois de banho de axé com pais de santos na Bahia.

Você conhece a rua dos evangélicos?

Ruas especializadas são características da cidade de São Paulo. Há uma rua das noivas, uma de madeiras, outra de motores, a dos eletrônicos, a dos lustres, a dos joalheiros, a dos instrumentos musicais e, agora, como sinal dos tempos, a dos evangélicos, ironicamente localizada às costas da Catedral da Sé. Em pouco mais de duas quadras, há galerias, lojas e camelôs vendendo artigos de que fiéis e pastores possam precisar – desde bíblias até envelopes para a coleta do dízimo. Pode-se encontrar ali o mobiliário necessário para montar um templo. Esse é, por sinal, um, digamos, segmento de mercado em ampla expansão, com a abertura de 10 000 templos evangélicos por ano.

Durante a semana, o maior movimento na rua é de lojistas de todo o país em busca de mercadorias. No sábado é a vez do comprador individual. “Vim com a família comprar peças de vestuário para o novo grupo de jovens da igreja”, diz o paulistano Valteci Figueiredo dos Santos, que não resistiu à pechincha de três gravatas por 10 reais. O burburinho na Conde de Sarzedas é similar ao das vias de comércio popular das proximidades. A peculiaridade é que nela os camelôs e as barraquinhas de comida dividem as calçadas com pregadores e cantores gospel. Naturalmente, os ambulantes vendem produtos pirateados, só que autenticamente evangélicos. Por enquanto, o negócio é próspero para todos. “A pirataria ainda não conseguiu nos incomodar”, diz Renato Fleischner, editor-chefe da Editora Mundo Cristão, com estimativa de venda de 1,5 milhão de livros neste ano.

Na década de 90, as variadas denominações evangélicas se multiplicaram no Brasil. O número de fiéis cresceu quatro vezes acima da média da população brasileira. Ao contrário da maioria católica, discreta no que diz respeito a compras ligadas à religião, os evangélicos se revelaram consumidores vorazes. O mercado de produtos específicos para eles é estimado em 1 bilhão de reais, o dobro de quatro anos atrás. O apetite consumista se deve bastante aos pentecostais (confissões mais antigas e severas em questões de vestuário e comportamento), como a Assembleia de Deus, com 15 milhões de fiéis, e aos neopentecostais (mais recentes e liberais em relação ao comportamento do fiel), como a Universal do Reino de Deus, com 8 milhões de seguidores.

Sete anos atrás, a primeira edição da ExpoCristã, a maior feira de negócios evangélicos da América Latina, em São Paulo, reuniu 58 expositores e recebeu 4 500 visitantes. Neste ano, o número de expositores chegou a 315 e o de visitantes passou dos 150 000. Há também versões mais modestas montadas em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro. Estima-se que três de cada dez CDs vendidos no país sejam de música gospel.EVANGL~1 Um dos discos de Aline Barros, a mais popular cantora evangélica, vendeu mais de 3 milhões de CDs e DVDs. Nas prateleiras da Ebenezer, a maior loja da rua, pode-se escolher qualquer gênero musical – pagode, rap, heavy metal, todos devidamente evangélicos.

Na Brother Simion, é difícil conciliar a imagem tradicional da religião com as jaquetas de couro, correntes de metal e bolsas de padrão oncinha do estilo roqueiro. Quem entra é recebido por uma vendedora de cabelos vermelhos. “Boa tarde, irmã, olha que linda essa mochila que acabou de chegar”, diz Juliana Cristina Melo, 20 anos, na loja há sete meses. Ela é uma vendedora elétrica, atenta a cada freguês que entra. “Foi Jesus quem me deu o dom da comunicação fácil”, explica Juliana. Ela divide o atendimento com o dono da loja, Brother Simion. Cinquentão, com uma carreira de sucesso no rock gospel nacional, ele gosta de contar seu momento de “iluminação”. “Fui morar na Holanda e me envolvi com drogas”, relata. “Então conheci Jesus e voltei meu rock para a música gospel. Hoje, minha missão é ‘descaretizar’ a religião.”

Pelo menos uma dezena de pregadores tenta ao mesmo tempo atrair novos fiéis e vender alguma coisa na Conde de Sarzedas. Alguns pregam aos gritos, outros tocam música com caixas de som em alto volume. Israel Dias, 38 anos, é cantor gospel há quatro e disputa todos os dias um espaço na rua para propagandear seus dois CDs – ambos de produção independente. Ele sai de Santo Amaro, no sul da cidade, às 8 da manhã e caça fregueses na rua por cinco a seis horas. No meio do dia faz uma pausa para se perfumar e arrumar o terno impecável. “É isso que cativa os clientes”, diz Israel, que fatura de 150 a 200 reais por dia. Dá uma boa renda mensal. Deus seja louvado!

ATLETAS CRISTÃOS BUSCAM MEDALHAS

     jogos rio 2016Foi anunciada nesta sexta-feira (2) oficialmente a escolha do Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos de 2016. O Brasil será o primeiro país a receber os jogos na América do Sul. Todas as orações e torcidas foram atendidas e agora o foco será o bom desempenho de nossos atletas em suas diversas modalidades. Muitos deles evangélicos, apostam na fé como um estímulo a mais para levar o Brasil ao pódio.

 

     Entre os muitos atletas estão os evangélicos estão João Derly, no judô; a Ciça; a ginasta Juliana Veloso e a jogadora de handball Adriana Nascimento. Todos se destacaram durante o Panamericano do Rio, em 2007. Nos jogos olímpicos são, sem dúvida, a esperança de medalhas. “Vamos entrar em quadra e fazer muito bem feito aquilo que sabemos. O Senhor tem nos sustentado no seu caminho” disse a Adriana Nascimento durante os jogos do Pan.  No futebol, a paixão nacional, os jogadores brasileiros Lúcio, Kaká e Mineiro  e no basquete o jogador  Leandrinho também são os nomes confirmados em 2016.

 

     Também nas para olimpíadas o Brasil se destaca com seus atletas cristãos. O velocista Emicarlo da Silva disputou os jogos olímpicos de Pequim e promete repetir a garra no Rio de Janeiro. Colecionador de medalhas, ao atleta é campeão mundial, recordista parapanamericano e medalhista nos Jogos do Rio de Janeiro de 2007, considerado o melhor para-atleta do mundo em sua categoria, após título conquistado na Holanda no mesmo ano.

Maradona se diz vítima de macumba a recorre a bruxo para dar o troco

     MARADONASegundo imprensa paraguaia, treinador tenta desfazer suposto “trabalho” feito contra sua equipe. O jornal Popular, do Paraguai, afirmou que Maradona está apelando para às “forças ocultas” para tentar salvar a Argentina nas Eliminatórias para a Copa de 2010.

     A publicação afirma que Dieguito contratou um bruxo para fazer um “trabalho” a fim de ajudar sua equipe a vencer o Paraguai, no Estádio Defensores del Chaco.

“Este misterioso personagem ajudou o Boca Juniors a ganhar a Copa Libertadores de 2006. Na ocasião, ele interviu na Casa Amarilla (sede da equipe) e na Bombonera”, explica o diário.

     A atitude veio depois de consultar uma especialista em “forças ocultas” paraguaia, a professora Fanny, que garantiu que foram feitos “trabalhos” para que a equipe não vá a Copa de 2010.

     “Seguramente em uma casa nos arredores do estádio Defensores del Chaco, foi feito um trabalho para que os jogadores não atuem bem, mas não creio que terá efeito. De toda maneira, há tempo até o meio-dia (desta quarta-feira) para desfazê-lo”, afirmou a especialista. Como diria o velho ditado: “no creo em las brujas, pero que los hay, hay”.

FÉ CONTRA A CRIMINALIDADE “POLÍCIA”

criminalidade_violenta_zoratePolícia quer melhorar desempenho contratando evangélicos

 

Com o propósito de prevenir delitos e combater a corrupção na corporação policial, o Ministério de Segurança Pública vai contratar jovens evangélicos, com menos de 35 anos, e que tenham o perfil adequado para a função.

A Polícia Federal quer que esses jovens desenhem novas estratégias de luta contra a delinquência organizada. Ela entende que pastores transmitem, dos púlpitos, valores e respeito às instituições.

A iniciativa partiu do pastor Miguel Bustamante, servidor público do Ministério de Segurança, que propôs a contratação de jovens evangélicos a fim de que se integrem no que deverá ser a nova Polícia Científica, a quem caberá o combate do crime organizado e a fiscalização da corrupção.

Bustamante explicou que esses jovens não vão cobrir o pessoal que está na luta de frente e combate a máfia organizada com armas de alto poder de fogo, mas trabalharão na área administrativa, no planejamento de estratégias de combate aos delitos como o roubo, a pornografia infantil, a lavagem de dinheiro, o narcotráfico.

Assim, jovens evangélicos sem emprego terão a oportunidade de fazer parte do “novo rosto” da polícia, sem distinção de sexo. Os requisitos são que o candidato tenha entre 21 a 35 anos, tenham concluído cursos universitários.

Nã há limites para o diaconato

Carlos Eustáquio Rocha completa 84 anos no próximo dia 20; ele é membro e diácono na Igreja Batista Getsêmani desde a sua fundação, em dezembro de 1974 e foi um dos que receberam o pastor Jorge Linhares de braços abertos na sua chegada a igreja. No último domingo (13/09) foi capa de um dos jornais mais expressivos do Estado, por ter saltado de pára-quedas.

O salto representa um sonho de infância, mas para entender toda a história desse simpático senhor, precisamos voltar no tempo e remontar sua trajetória. Quando, ainda garoto, tocava os céus com os olhos e acompanhava o pouso e a decolagem dos aviões na primeira pista de correio aéreo da cidade – hoje o Aeroporto da Pampulha.diaconato

Durante a vida inteira Carlos esteve relacionado com as alturas, em 1932, mudou-se com a família de Vespasiano para Belo Horizonte, no Bairro Jaraguá, vindo morar ao lado do Aeroporto da Pampulha. Seu pai, José Augusto da Rocha, veio trabalhar na construção da pista de pousos e decolagens. Com o tempo Carlos tomou gosto pelos aviões e se realizou profissionalmente, também, no aeroporto. Lá começou como servente, mas logo aprendeu o ofício de artífice de aeronaves. Também trabalhou no Aeroclube de Minas Gerais. Entre 1944 e 1947, serviu na Aeronáutica e, nesse meio tempo, aprendeu a voar.

O desejo em saltar de pára-quedas veio há cerca de dois meses, ao acompanhar o primeiro salto da neta Luíza Rocha, de 18, ganhou coragem e decidiu pular. Ele conta que antes da decisão orou a Deus para que tudo acontecesse segundo a plena vontade do Soberano. “Caso não fosse da vontade de Deus que saltasse, pedi a ele que retirasse o desejo de saltar do meu coração”. Com o coração confortado por ter recebido a resposta positiva de Deus em oração, comunicou da decisão aos quatro filhos, nove netos e uma bisneta. Carlos iria saltar de pára-quedas e entrar para a história como o homem mais velho a fazê-lo no Brasil. No sábado (12/09), presenteado por uma imensidão azul, e pela vegetação magnífica da Serra do Cipó, ele saltou de um monomotor a aproximadamente 3 mil metros de altura, atingindo uma velocidade de 100km. “A queda livre durou pouco mais de trinta e cinco segundos, mas para mim foi como se o tempo estivesse parado”, afirma Carlos.

Carlos é um exemplo de vida para a sua família, é um representante de dedicação no serviço ao Reino de Deus e um referencial de coragem para a sociedade, que possamos ser assim também, influenciando de maneira real nossa família, a igreja e a sociedade com os valores de Jesus Cristo.

“Não desanimem, permaneçam em oração, confiem permanentemente em Deus e sirvam-no com todo amor e dedicação”. (Carlos Eustáquio Rocha)

 
 

Noites de luta e reggae enchem igrejas evangélicas no Brasil

lutadores gospelA atmosfera estava elétrica na igreja Renascer em Cristo na noite de “Extreme Fight”. Seguidores da igreja vestiam jeans e tênis, muitos com bonés virados para trás, e se alinhavam num ringue de boxe temporário para aplaudir lutadores de jiu-jitsu de peitos desnudos.

Eles gritavam quando o favorito dos fãs, Fabio Buca, resistiu ao seu oponente após vários minutos. Eles ficaram frenéticos quando o Pastor Dogão Meira, de 26 anos, abateu o seu opositor, segurando ele com uma chave de braço por apenas 10 segundos de luta.
Com a multidão ainda vibrando, o pastor Mazola Maffei, vestido em calças militares e camiseta, pegou o microfone. Maffei, que também é o treinador de luta de Meira, então deixou a multidão absorta com um sermão sobre a ligação entre esportes e espiritualidade. “Vocês precisam praticar mais o esporte da espiritualidade”, ele recomendou. “Vocês precisam lutar pelas suas vidas, pelos seus sonhos e ideais”.

A Renascer em Cristo está entre o crescente número de igrejas evangélicas no Brasil que estão encontrando maneiras de se conectar com pessoas mais jovens para aumentar suas fileiras. De noite de luta à música reggae, de videogames a tatuadores no local, as igrejas ajudaram a fazer o movimento evangélico o movimento espiritual que cresce mais rápido no Brasil.

Igrejas evangélicas estão atraindo brasileiros para longe do catolicismo romano, a religião dominante no Brasil. Em 1950, 94% dos brasileiros disseram ser católicos, mas o número caiu para 74% em 2000. Enquanto isso, a percentagem daqueles que dizem ser evangélicos se multiplicou por cinco neste período, atingindo 15% em 2000. Um novo censo do governo deve sair no ano que vem.

Apesar da grande conexão do Brasil com o catolicismo, mais e mais brasileiros querem experimentar e escolher sua própria religião, diz Silvia Fernandes, professora da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, que escreveu um livro sobre o movimento evangélico no Brasil.

Ela disse que mais brasileiros foram atraídos para as igrejas evangélicas ou o pentecostalismo, para uma “flexibilidade na expressão religiosa”. Eles vêem igrejas como a Renascer como lugares onde eles podem se expressar mais livremente e “não apenas procurar soluções para problemas pessoais, mas também encontrar um lugar para conhecer pessoas e socializar”.

Meira disse que para jovens que procuram salvação, o evangelismo pode preencher uma lacuna. “Aqui eles entram na igreja, às vezes para ver uma competição de luta, recebem a palavra de Jesus Cristo, e começam uma transformação. Eles vão deixar as drogas, começar a respeitar sua família e começar a curar doenças da alma, como ansiedade, depressão, drogas, álcool e prostituição”, disse.

No meio do movimento jovem, a Renascer em Cristo sofreu sua parcela de controvérsia. Os líderes da igreja, Estevam e Sonia Hernandes, voltaram ao Brasil no mês passado depois de passar vários meses em uma prisão americana por tentar entrar clandestinamente com mais de US$ 56.000 nos Estados Unidos, incluindo US$ 9.000 escondidos numa Bíblia. Eles ainda enfrentam acusações de fraude, apropriação indébita, evasão de impostos e lavagem de dinheiro no Brasil.

A Renascer tenta encontrar pastores mais jovens, que podem se relacionar melhor com adolescentes. Meira é um pastor de meio período; ele também trabalha, durante o dia, em marketing para uma empresa familiar de tintas e estuda propaganda à noite.

Na noite do Extreme Fight, dezenas de jovens pairavam em volta da igreja. Na sala da frente, barracas vendiam cachorro-quente e pizza e jovens se alinhavam em um canto para fazer tatuagens com temas religiosos, como “Eu pertenço a Jesus”. Na sala principal, havia videogames, um DJ tocando uma mistura de hip-hop e funk, e uma tela de projeção mostrando um DVD do Harlem Globetrotters.

Apesar de a maioria ter vindo para o evento principal, o Extreme Fight, eles deixam-se ficar. Depois de quatro lutas e do sermão de Maffei, os membros formaram pares. Um colocou sua mão na testa do outro e falou de Jesus Cristo, o outro fechou bem os olhos.

O crescimento do movimento evangélico jovem visa brasileiros de todas as classes. Na igreja Bola de Neve, jovens profissionais se misturam a outros de famílias de renda mais baixa e problemáticos.

Pastores lideram um rebanho de mais de 2.500 membros nas noites de domingo estimulados por músicas de reggae e rock, com letras religiosas projetadas em uma enorme tela.

O “apóstolo” da igreja, Rinaldo Pereira, disse que teve uma experiência próxima à morte relacionada a drogas e hepatite 17 anos atrás, antes de um evento “sobrenatural” o levar a dedicar a sua vida a Deus.

Em 1999, Pereira e outros poucos surfistas ávidos fundaram a Bola de Neve, inspirados pela ideia de que uma bola de neve começa pequena mas pode crescer e ficar grande. A igreja recebeu seu impulso inicial de um empresário de roupas de surf, que emprestou um auditório para a igreja. Precisando de um altar para sua primeira cerimônia, Pereira pegou uma prancha de surf que viu no corredor e a colocou em algumas cadeiras.

Hoje a igreja diz ter cem unidades, a maioria no Brasil. Uma delas, na Barra da Tijuca, área do Rio de Janeiro perto da praia, começou três anos atrás, com sete pessoas, e agora tem cerca de 3.000 integrantes.

Esportes e música “superam todos os tipos de limites”, disse Pereira em uma entrevista.

“As pessoas podem não entrar numa igreja, mas definitivamente vão assistir a uma luta, a um campeonato de surf, a um evento musical”, ele disse. “Tanto o esporte quanto a música transmitem uma mensagem para o público”.

Em São Paulo, a igreja é verdadeiramente um assunto familiar. Num domingo, Pereira, de 37 anos, fez um sermão que durou três horas, ainda usando uma prancha de surf de cabeça para baixo como seu púlpito. A mulher dele, Denise, que também é pastora, aqueceu a multidão, cantando com força letras com uma banda de rock às suas costas.

No porão da igreja, o filho deles de 16 anos de idade, Nathan, liderou uma multidão de adolescentes e jovens. O pastor “em treinamento”, de cabelo espetado, fez um sermão sobre Jesus Cristo com habilidade de talk-show. Em determinado momento, ele segurou um recipiente de plástico branco e estimulou os jovens seguidores a fazer doações, assegurando a eles que Deus “daria de volta em dobro” o que quer que eles oferecessem.

Escadas acima, onde seu pai fazia um sermão, um homem e uma mulher jovens tomam o palco e declaram seu amor. Pereira parabeniza pelo menos dois jovens casais por seus novos bebês, segurando-os para o alto para todos verem.

À medida que seu sermão atinge o clímax, os membros fecham seus olhos firmemente e seguram os braços, como num transe, cantando e se balançando com a música enquanto lágrimas escorrem em seus rostos.

Depois da cerimônia, Dom Luiz Bayeux, de 22 anos, contou como chegou ali. Ele cresceu num lar problemático, onde seu padrasto, um viciado em crack, morreu de Aids. Aos 13 anos, um rebelde Dom começou a sua vida no crime. Cinco anos depois, sua busca para escapar do vício o levou a muitos lugares e a várias religiões.

Depois de fracassar em um exame para entrar para as Forças Armadas, ele se lembrou de ter ouvido falar sobre a Bola de Neve. No dia em que ele chegou, o pastor disse aos membros: “Vocês estão aqui para entrar para o Exército de Jesus Cristo”.

Para ele, era uma intervenção divina. “O fato de que aqui as pessoas falam a mesma língua e vivem no mesmo estilo de vida que eu foi o que realmente me atraiu a este lugar, e o que me ajudou a me manter aqui”, ele disse.

Tribos da Fé: Roqueiros, surfistas e lutadores são o novo fenômeno evangélico

tatuadores-200x146No Brasil, a tradição da fé católica perdurou e, até o século XIX, era a única reconhecida oficialmente. Naquela época, quem não era católico não podia trabalhar para o Estado. Entretanto, os outros cultos eram permitidos, desde que não fossem praticados dentro de edificações cujas arquiteturas lembrassem uma igreja.

Atualmente, com o crescimento dos evangélicos no país, surgem templos para as mais diferentes tribos urbanas, que vão dos adeptos do heavy metal aos lutadores de jiu jitsu e surfistas. São igrejas voltadas para públicos que se diferenciam pelo visual, como tatuagens e o uso de piercings. Uma aparência que, muitas vezes, incomoda o conservadorismo presente no catolicismo e nas tradicionais denominações evangélicas.

De acordo com a antropóloga e professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Léa Freitas Perez, o surgimento dessas novas igrejas é uma expressão religiosa de um fenômeno cultural contemporâneo. É o chamado pluralismo da religião. “A religião, como qualquer outro elemento da cultura, precisa se adaptar ao tempo. Isso é importante para o fortalecimento da crença. As igrejas tradicionais perdem fiéis porque não se adaptam às mudanças do tempo”, explica.

O fato de compartilharem da mesma fé e gostarem de rock’n roll, usarem roupas pretas e terem cabelos grandes foi um dos motivos que levou um grupo de jovens a criarem sua própria igreja: a Caverna de Adulão, que, desde 1992, funciona em Belo Horizonte. “A caverna surgiu da necessidade de se compartilhar a mensagem do evangelho com uma geração de jovens que era rejeitada nas igrejas oficiais por questões culturais”, explica o pastor Geraldo Luiz da Silva.

É entre os evangélicos que surgem as propostas de igrejas flexíveis. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, uma prancha de surfe virou púlpito para uma igreja descolada: a Bola de Neve, criada inicialmente para os surfistas. Em Fortaleza, há cerca de um ano, a Igreja Evangélica Congregacional desenvolve um projeto com alunos de jiu jitsu. No local, os jovens “Lutadores de Cristo” oram, sobem no tatame para lutar e assistem à pregação do pastor.

“Essa foi a maneira que encontramos para alcançar os jovens que nunca entraram em uma igreja. Aqui pregamos a paz, e uma das nossas regras de conduta é não se envolver em brigas nas ruas”, diz o coordenador do projeto, lutador e seminarista Elder Pinto.

A diversidade de igrejas mostra que a religiosidade é nômade. “As igrejas que mais têm sucesso são aquelas receptivas, festivas, que não exigem uma exclusividade dos fiéis”, diz a antropóloga Léa Perez.

Caverna de Adulão: Bateria, baixo, tatuagens, piercings e muito amor a Deus

Cânticos em ritmo de rock, ao som de bateria e baixo, dão início ao culto na igreja Caverna de Adulão. Aos poucos, os jovens e casais com tatuagens no corpo, piercing no nariz e alargadores de orelha começam a chegar. Com uma linguagem informal, o pastor Magno Vieira começa a pregação do Evangelho. “É o maior barato a vida com Jesus. Sabemos que erramos, somos vacilões, mas estamos aqui para perdir perdão”, diz.

A reunião da comunidade cristã é realizada nas noites de quarta-feira e domingo na rua Aimorés, no bairro Funcionários, na região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Há 17 anos, o historiador e tatuador Giordano Augusto Toniolo, 29, se tornou um frequentador assíduo da Caverna de Adulão. “Eu me converti muito cedo, aos 8 anos de idade. Comecei a frequentar a caverna junto com meus irmãos, em 1992. Aqui, aprendi que o importante para Deus é o nosso interior, e não o visual que temos”, afirma.

Para Toniolo, o grande diferencial da comunidade é a simplicidade no relacionamento com o próximo, sem discriminação. “Todos são recebidos de braços abertos, desde skinheads até travestis”, ressalta.

Entre o público que frequenta a Caverna de Adulão, além dos adeptos do heavy metal, estão homens e mulheres sem o visual estereotipado. “Não estamos preocupados com costumes. As pessoas só precisam mudar seu coração e não o jeito de vestir para estar perto de Jesus”, diz o pastor Vieira.

Bola de Neve: Avalanche de surfistas leva o Evangelho aos quatro cantos

Na Igreja Bola de Neve, com sede em São Paulo, a prancha de surfe virou marca registrada. Em um altar despojado, ela serve de púlpito para a Bíblia. A comunidade foi criada há dez anos pelo surfista Rinaldo Luiz de Seixas Pereira, 37, que se tornou evangélico após contrair hepatite, em 1992.

“O púlpito em forma de prancha foi algo que aconteceu por acaso. Os nossos primeiros encontros eram realizados no salão de uma loja de materiais para surfistas. Não tínhamos uma mesa para colocar a Bíblia e improvisamos uma prancha”, explica Seixas, que hoje também é pastor.

De acordo ele, a igreja surgiu com o objetivo de aproximar os jovens da religião. Hoje, o cultos na comunidade são embalados com músicas de louvor em ritmo de reggae e rock. “A Bola de Neve leva a mensagem do Evangelho de uma forma descontraída. Aqui, a palavra de Deus é pregada para um público alternativo, com uma linguagem mais informal. Esse é o nosso grande diferencial”, diz.

Atualmente, a Bola de Neve paulistana realiza cinco cultos por semana e reúne um público de 2.500 pessoas, de 20 a 35 anos, entre surfistas, jogadores de futebol e adeptos de outros esportes.

E a aceitação da igreja tem crescido. Hoje, ela está em sete países, além do Brasil: Austrália, Peru, Índia, Rússia, Canadá, Estados Unidos e Espanha. Em todos, conforme Seixas, um dos princípios é levar a palavra do Evangelho a todas as pessoas, sem discriminação de cor ou classe social.

PT pode expulsar deputados que não são a favor do aborto

ptDiretório nacional fará reunião para julgar se Luiz Bassuma (BA) e Henrique Afonso (AC) devem deixar o partido por defenderem princípios contrários a duas resoluções aprovadas pelos militantes. O julgamento vai confrontar convicções religiosas com bandeiras históricas das mulheres petistas.

 O Partido dos Trabalhadores decide na próxima semana se expulsa, adverte, suspende ou mantém na legenda dois deputados que são abertamente contrários à legalização do aborto, uma das bandeiras assumidas pelo partido do presidente Lula durante encontro nacional de militantes. O relatório da Comissão de Ética sobre a situação dos petistas Henrique Afonso (AC) e Luiz Bassuma (BA) ainda não está pronto.

O documento deve ser concluído até a manhã do dia 17 de setembro, quando os 81 membros do Diretório Nacional do PT se reúnem em Brasília para votarem as recomendações da Comissão de Ética do partido. A reportagem procurou o presidente do partido, deputado Ricardo Berzoini (SP), mas ele não retornou os recados deixados.

Segundo a Secretaria de Mulheres do PT, Bassuma e Henrique Afonso descumprem uma resolução partidária, aprovada em 2007, que defende a “defesa da autodeterminação das mulheres, da descriminalização do aborto e regulamentação do atendimento a todos os casos no serviço público, evitando assim a gravidez não desejada e a morte de centenas de mulheres, na sua maioria pobres e negras, em decorrência do aborto clandestino e da falta de responsabilidade do Estado no atendimento adequado às mulheres que assim optarem”.

Outra resolução, do 10º Encontro Nacional de Mulheres do PT, realizado em 2008, defende que sejam expulsos os militantes “que não acatarem e não respeitarem as resoluções partidárias relativas aos direitos e à autonomia das mulheres”. O texto determina a retirada de projetos de lei que “prejudiquem o direito das mulheres de autonomia sobre seu corpo e sua sexualidade”.

Liberdade de expressão

Bassuma e Henrique Afonso dizem que suas convicções pessoais têm que ser aceitas porque isso significa garantir a liberdade de expressão e o direito à vida, previsto na Constituição. No ano passado, o Congresso em Foco procurou petistas a favor e contra o direito ao aborto em qualquer situação. Todos disseram que não há motivo para expulsão dos que agem por convicções pessoais ou “de foro íntimo”.

Na Constituinte de 1988, o PT decidiu não tomar posições partidárias de caráter íntimo. “Lembro até que o Plínio de Arruda Sampaio, hoje no Psol, era contra o aborto. Não cabe fechamento de questão”, afirma o senador Paulo Paim (PT-RS), defensor do direito ao aborto.

Historicamente, a esquerda teve relacionamento conflituoso com as religiões, embora em muitos momentos tenham caminhado juntas. Setores progressistas da igreja católica e de várias outras crenças tiveram papel decisivo, por exemplo, na luta contra a ditadura, na formação e no crescimento do PT.

Mas, para Karl Marx, a religião era o “ópio do povo”. Na prática, temas como aborto, relações homossexuais e uso de células-tronco opuseram crentes e esquerdistas.

Ameaçado de expulsão, o deputado Luiz Bassuma entende que os problemas entre a religião e a esquerda decorrem de visões de mundo antagônicas. “Predomina nos partidos de esquerda uma visão de mundo mais materialista. A minha é espiritualista”, diz o deputado, que é espírita kardecista.

O deputado Gilmar Machado (PT-MG) acredita que Marx confundiu religião e Deus. “Ele cometeu alguns equívocos porque não conheceu Jesus e a Bíblia”, disse o vice-líder do governo no Congresso, que é evangélico.

Explicações

O senador Flávio Arns (PR) – que deixou o PT porque a legenda decidiu não apoiar as investigações contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP) – já teve que prestar explicações aos eleitores sobre temas espinhosos que mostrariam incoerência entre suas convicções e o programa do partido.

Os eleitores queriam saber por que ele estava numa legenda que tinha decidido apoiar o aborto. “Me causou muito mal-estar. Eu tive de dizer que, quando ingressei no PT, isso não fazia parte do programa”, conta Arns, católico e sobrinho do bispo dom Paulo Evaristo Arns e da coordenadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns.

Os deficientes físicos também reclamaram do senador quando ele votou contra o uso de células-tronco embrionárias nas pesquisas científicas. “Os eleitores acham que esse é o caminho para a cura. Mas eu expliquei que as células-tronco adultas apresentam resultados muito melhores que as embrionárias”, disse Arns.

O senador já recebeu um convite do Psol para engrossar a bancada do partido. Está analisando. O Psol é favorável ao direito ao aborto, apesar de sua presidente nacional, a vereadora Heloísa Helena, ser contra.

Lula institui dia da ‘Marcha para Jesus’

dilma-crivella-casal-hernandesDilma Rousseff e casal Hernandes participam de cerimônia; publico evangélico representa 15% do eleitorado

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou nesta quinta-feira, 3, o projeto de lei que institui o Dia Nacional da Marcha para Jesus. Participaram da cerimônia, realizada no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), o presidente da Câmara, Michel Temer, o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) e a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, estavam presentes no evento.

O projeto marca um novo lance nos esforços de Lula para se aproximar do público evangélico, que, segundo estimativas, representa 15% do eleitorado.

Segundo Crivella, a lei que cria a Marcha para Jesus apenas oficializa uma comemoração que já ocorre regularmente em caráter informal em várias cidades brasileiras.

A solenidade contou com a participação de representantes de várias igrejas evangélicas, inclusive dos bispos Estevam e Sônia Hernandes, da Igreja Renascer em Cristo. O casal voltou ao Brasil no começo de agosto, depois de um período de dois anos e seis meses de prisão e liberdade condicional nos Estados Unidos. Eles foram condenados após tentar entrar no país com US$ 56 mil não declarados.

Oração

Antes do início da cerimônia, Estevam Hernandes fez questão de puxar uma oração pela saúde da ministra Dilma, que deu entrevista nesta quinta-feira dizendo que está curada do câncer linfático. Dilma é a candidata do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência em 2010.

De acordo com as informações da Presidência, a Marcha para Jesus teve origem em Londres e hoje ocorre em diversos países.

“Oramos por ela, pela família dela e pela saúde dela”, disse Estevam ao deixar a sala de cerimônias do CCBB, atual sede do governo.

Após a bênção à ministra, o casal Hernandes convidou Dilma para participar, no dia 2 de novembro, em São Paulo, da Marcha para Jesus, quando pretende reunir pelo menos quatro milhões de pessoas. “Ela disse que, se for possível, estará sim presente”, contou Hernandes, que não quis falar em apoio à candidatura da petista às eleições presidenciais de 2010. “É muito cedo para falar em apoio a candidatos”, respondeu.

Dilma Rousseff e casal Hernandes participam de cerimônia; publico evangélico representa 15% do eleitorado

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou nesta quinta-feira, 3, o projeto de lei que institui o Dia Nacional da Marcha para Jesus. Participaram da cerimônia, realizada no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), o presidente da Câmara, Michel Temer, o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) e a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, estavam presentes no evento.

O projeto marca um novo lance nos esforços de Lula para se aproximar do público evangélico, que, segundo estimativas, representa 15% do eleitorado.

Segundo Crivella, a lei que cria a Marcha para Jesus apenas oficializa uma comemoração que já ocorre regularmente em caráter informal em várias cidades brasileiras.

A solenidade contou com a participação de representantes de várias igrejas evangélicas, inclusive dos bispos Estevam e Sônia Hernandes, da Igreja Renascer em Cristo. O casal voltou ao Brasil no começo de agosto, depois de um período de dois anos e seis meses de prisão e liberdade condicional nos Estados Unidos. Eles foram condenados após tentar entrar no país com US$ 56 mil não declarados.

Oração

Antes do início da cerimônia, Estevam Hernandes fez questão de puxar uma oração pela saúde da ministra Dilma, que deu entrevista nesta quinta-feira dizendo que está curada do câncer linfático. Dilma é a candidata do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência em 2010.

De acordo com as informações da Presidência, a Marcha para Jesus teve origem em Londres e hoje ocorre em diversos países.

“Oramos por ela, pela família dela e pela saúde dela”, disse Estevam ao deixar a sala de cerimônias do CCBB, atual sede do governo.

Após a bênção à ministra, o casal Hernandes convidou Dilma para participar, no dia 2 de novembro, em São Paulo, da Marcha para Jesus, quando pretende reunir pelo menos quatro milhões de pessoas. “Ela disse que, se for possível, estará sim presente”, contou Hernandes, que não quis falar em apoio à candidatura da petista às eleições presidenciais de 2010. “É muito cedo para falar em apoio a candidatos”, respondeu.

Artistas evangélicos fizeram sucesso na Festa de Peão em Barretos

andreSem atrações musicais no palco principal, a noite desta segunda-feira (24) em Barretos contou com a presença de André Valadão e outros artistas da musica gospel.

Ídolo pop da música evangélica, André Valadão usa uma linguagem religiosa que o aproxima dos jovens, público que consome cada vez mais música gospel. O discurso de Valadão é diferente, e mostra bem a medida de como se dá sua aproximação com os jovens: “Eu não acredito em religião. Eu creio em Deus e em Jesus. A gente esquece que Jesus tinha 30 anos de idade, era jovem e se estivesse vivendo na nossa época hoje, com certeza estaria sabendo as músicas que estão tocando no rádio. Jesus estaria com um iPhone na mão, provavelmente”.

O público que aguardava as apresentações era predominantemente formado por jovens. “Ele é quase que um Jota Quest gospel, por isso a molecada gosta tanto”, conta Amanda de Oliveira, que esperava a saída de Valadão do camarim para tentar uma foto.

Assim como Nascimento, Valadão também não se diz surpreso com os rumos da música gospel. “A realidade da música cristã, hoje, é romper as quatro paredes da igreja. Tocar em Barretos e em outras festas pelo Brasil é entender que a música não se limita à igreja, a mensagem é global. A minha mensagem hoje em Barretos vai além de uma droga, de uma bebida, além de uma diversão. É algo que pode acrescentar verdadeiramente na vida de um jovem”.

A música cristã foi a aposta da festa de Barretos para atrair público nesta segunda-feira, dia em que o público é menor. Os ingressos a R$ 5 reais e a temperatura agradável fizeram que com que parque ficasse bem movimentado.

Olha a que ponto tem chegado algumas igrejas evangelicas.

u2Neste domingo (30), às 11h e às 18h30, os fiéis da Igreja Metodista Unida de Pensacola, na Flórida, vão poder participar de um novo tipo de culto – uma “U2caristia” (“U2charist”, em inglês, mistura de “U2″ com “eucaristia”), que incorpora músicas do grupo irlandês U2 na liturgia cristã.

Entre as músicas escolhidas para o repertório da “U2caristia” estão “Where the streets have no name”, “With or without you”, “One” e “I still haven’t found what I’m looking for”. A música de abertura, que receberá os fiéis, será “Beautiful day”.

“É definitivamente algo diferente”, diz o ministro da igreja Geoffrey Lentz ao jornal “Pensacola News Journal”. “Mas a música do U2 é tão profundamente espiritual que eu acho que o espaço de adoração diária é perfeito para ela”.

A igreja criou a “U2caristia” em 2003, e o primeiro culto com músicas do U2 foi realizado em Maryland, em 2004. A banda não cobra nenhum royalty dos metodistas – eles apenas têm que doar o dinheiro arrecadado nos cultos para uma instituição de caridade.

Michael Jackson leu a bíblia antes de morrer

mikeEsta foi a notícia publicada neste domingo próximo passado no tablóide inglês “DAILY MAIL” quando dos relatos das últimas horas de vida de Michael Jackson.

Segundo a reportagem, ele se encontrava agitado e impaciente, quando entrou para o seu quarto, e sentado na sua cama se pôs a ler a Bíblia. Não se sabe ao certo se são especulações, ou se de fato procede à informação, mas vale a indagação: o que levaria um homem em seus últimos momentos de vida – ainda que não sabidos por ele – a recorrer à Bíblia como leitura ultima?
A resposta é simples: a necessidade de Deus!

Por mais que homens se submetam a uma corrida intensa por coisas materiais no afã de conquistarem a posição de estrelas, não podemos afastar a verdade de que isto jamais os saciará. Estrelas se apagam, não deixando quase nada de sua lembrança, pois outros milhares de estrelas lhe ofuscaram mais cedo, ou mais tarde as suas lembranças. As necessidades humanas são maiores e mais profundas que o que nós imaginamos. Coisas matérias não a podem preencher porque a palavra nos diz claramente em Eclesiastes 3. 11: “Deus pôs a eternidade no coração dos homens…”. Assim sendo, não serão coisas terrenas, submetidas às intempéries e desgastes da vida que se subsumirão a esta necessidade eterna que há no homem.

Ora, antes de ser corpo, o homem é espírito. Quando Deus o criou do pó da terra, já o tinha dentro de si em forma de sopro. Momentos como estes vividos por Michael Jackson são autênticos exemplos de que há no homem algo que clama por Deus, uma essência dentro do homem que somente se sentirá completa se preenchida pela insubstituível presença que nos ajuda. Isto se torna mais evidente na proximidade dos momentos últimos, pois o espírito do homem – dimensão mais profunda do ser humano – percebe situações que por vezes o corpo não pode perceber. A morte é um exemplo disso, pois neste momento o espírito voltará a Deus como está escrito: “E o pó volte a terra como o era, e o espírito a Deus que o deu.” (Ec.:12.7).

Eis o motivo que leva um homem a ler a Bíblia nos seus últimos momentos: a necessidade de adquirir valores eternos que não se desfarão em pó como o corpo e todos os valores que a ele podem ser agregados.

Espero que o “rei” do pop tenha em seus últimos momentos conseguido agregar estes valores a si. Espero que aquele que conquistou multidões com suas canções e coreografias irreverentes tenha conquistado a própria salvação e encontrado nas sagradas letras o caminha que leva a Deus, e conseqüentemente a eternidade. Espero sinceramente que aquele que chamou para si a atenção do mundo inteiro mesmo no momento de sua morte, tenha dado atenção a morte daquele que morreu pelo mundo inteiro.