Ateus tentam impedir oração, comunidade responde com campanha “Nós Cremos”

O caso aconteceu no final do mês passado, mas o debate continua na cidade de Locust Fork, Alabama (EUA). Antes das partidas do time de futebol da escola pública, a oração do Pai Nosso sempre era feita pelos jogadores à beira do campo e transmitidas pelo sistema de alto-falantes.

A Freedom From Religion Foundation, grupo ateísta militante, ameaçou entrar na justiça contra a escola por permitir manifestações religiosas em espaços públicos. A direção da Locust Fork High School anunciou então que a tradição chegaria ao fim.

Contudo, a comunidade local, formada majoritariamente por cristãos, decidiu não se dobrar. Pais dos alunos criaram a campanha “We Believe” [Nós Cremos] e mandaram confeccionar camisetas verdes com essa frase na frente e os versos do Pai Nosso, de Mateus 6, nas costas.

Eles passaram a ir aos jogos vestindo-as e a fazer a oração mesmo sem a transmissão nos alto-falantes da escola. Foi uma forma pacífica de protestar contra a decisão da diretoria. Em diversos jogos era possível ver uma “onda verde” se levantar antes do início das partidas e orar espontaneamente.

Gregg Armstrong, pai de um dos alunos, disse que foi um momento emocionante. Ele é o ministro da música da Igreja Batista de Locust Fork e conta que várias igrejas aderiram. A Igreja Batista da Graça, a Igreja Metodista Unida, a Igreja Batista em Pine Bluff e a Igreja Batista Edgewood financiaram a produção de 1000 camisetas que foram distribuídos ao público.

Não foi o suficiente. No jogo do dia 22, contra a equipe de Pennington, “havia cerca de 300 ou 400 pessoas que não conseguiram uma camiseta e queriam uma”. Agora eles estão produzindo mais um milhar e vendendo pelo preço de custo aos interessados.

A movimentação atingiu estabelecimentos comerciais, que começaram a fazer camisetas semelhantes, conta Amanda Moore, proprietária da Serigrafia Manda.

Logo depois que a escola anunciou que não haveria mais oração, ela começou a receber encomendas de camisetas com o Pai Nosso de pais de alunos das outras escolas da cidade e até de cidades vizinhas. “Vou vendê-las enquanto as pessoas continuarem procurando por elas”, assegura.

A ação dos ateus é contra a escola, mas não pode impedir manifestações espontâneas das pessoas. Armstrong disse que eles vão continuar a recitar a oração do Pai Nosso em todos os jogos da temporada. “Espero que o que fizemos honre ao Senhor. Era uma tradição fazer uma oração transmitida pelos alto-falantes, mas às vezes novas tradições são criadas e se tornam maiores que as do passado.”

Piper orienta como os pais devem ensinar os filhos: “Trate a Bíblia como autoridade absoluta”

Considerando o avanço de uma cultura cada vez mais relativista e a dificuldade de muitos pais em lidar com a educação dos seus filhos, o pastor e renomado autor John Piper deu algumasorientações sobre a maneira como devemos educar nossas crianças e adolescentes.

“Procure ser totalmente autêntico em seu amor por Cristo, sua alegria nele e seu deleite em seus caminhos. Você não pode forçar a satisfação de uma criança em Deus quando não parece que o Senhor está satisfazendo mamãe e papai”, disse Piper.

A declaração do pastor foi resultado do questionamento de uma mãe em seu programa de rádio. Piper enfatizou que devemos vivenciar o Evangelho diariamente, transformando o ensino da Bíblia em testemunho através do nosso comportamento.

John Piper explicou que os pais devem incluir referências da Bíblia e agradecimentos a Deus a todo momento, “saturando” os filhos com a Palavra. “Sature sua família com as Escrituras. Fale sobre isso de manhã, tarde e noite”, disse ele, destacando o texto de Deuteronômio 6:7-8.

“Fale sobre isso quando você se levantar, quando fizerem as refeições, quando estiverem no carro. Fale sobre a palavra de Deus, e procure ajudar seus filhos a entenderem isso”, completa.

Autoridade absoluta da Bíblia

Outro ponto bastante importante ressaltado por Piper foi o lugar na Bíblia no ensino familiar. Por conta de algumas correntes teológicas liberais, a Palavra de Deus tem sido relativizada por certos líderes, fazendo com que muitos fiéis percam o Evangelho como referência de suas vidas.

“Trate a Bíblia como a autoridade absoluta em sua vida. Ore para que as crianças cresçam acreditando que este livro é a mais alta autoridade no universo sob Deus”, disse Piper. “Lembre sempre aos seus filhos que Cristo morreu pelos pecadores, e que Ele nos oferece uma maneira de restaurar a comunhão com Ele mesmo quando falhamos”.

Por fim, John Piper também ressalta a importância do relacionamento entre pais e filhos, explicando que a confiança e intimidade são pilares de um bom diálogo, mas que isso deve ser conquistado, também, através do saber ouvir.

“Pergunte coisas além do que um breve ‘como vai você?’ Fique sozinho com eles em algum ambiente que estejam confortáveis e ouça o coração deles, conheça seus sentimentos, seus medos, suas esperanças, os desafios que sentem na escola. Não se contente com uma resposta simples e superficial”, conclui o pastor.